Harley-Davidson
Acervo pessoal
Harley-Davidson 1947 Essa Harley-Davidson era rara mesmo para a sua época. Elas já vinham com os motores Knuclehead e com o Panhead

Três perfeitos patetas precisam fazer um pangaré vencer um páreo e, para isso, dão peperoni para o animal comer. Depois, na corrida, eles seguem o cavalo pela lateral da pista com um balde de água na ponta de uma vara, fazendo com que o sedento pangaré vença a prova. E ele venceu. Quem? Os Três Patetas, no curta “Playing The Ponies”, de 1937. Como? Com uma motocicleta Harley-Davidson e um side-car. Essa cena ficou marcada na minha infância, já que continha dois elementos de minha admiração, o trio mais engraçado das telas e uma motocicleta.

LEIA MAIS: Um passeio cheio de “causos” pelos anos 80

A motocicleta desta semana é mesmo uma Harley-Davidson , e ela também tem um side-car. Não tão antiga quanto a dos Três Patetas, é uma Flathead 1200 de 1947, mas da mesma forma bastante representativa. Modelo raro mesmo para sua época, os motores flathead de válvulas laterais eram comuns em modelos menores, de 750 cm3, já que as maiores vinham com os motores Knuclehead e, a partir de 1947, os novos Panhead.

O mais interessante, no entanto, é o carrinho lateral desta Harley-Davidson. Muito utilizado até cerca da metade do século passado, o side-car resolvia o problema de transporte de passageiros em uma motocicleta, mas dificultava o trabalho do piloto, em algumas situações. Curvas para a esquerda, no caso de o carrinho estar montado do lado direito da moto – o mais usual – até que são tranqüilas, mas para a direita é preciso ter cuidado para não capotar. Jogo de corpo é fundamental.

LEIA MAIS: Trocando marchas com a mão, na Indian Chief 1948

Nem é preciso mencionar que um side-car acaba com a maior vantagem de uma moto, que é passar em locais estreitos. É muito comum vermos cenas de comédias, principalmente em filmes antigos, de o piloto esquecer que tem um trambolho lateral e deixar seu passageiro entalado em uma árvore.

Além do side-car, se destacam nesta belíssima Harley-Davidson 1947 a suspensão dianteira Springer, com molas externas, toda cromada, e o estepe.

Quanto à pilotagem, não é qualquer um que consegue trocar as marchas com a mão esquerda e embrear com o pé esquerdo, mas esta é outra das raras características desta motocicleta. Neste caso, o side-car ajuda, pois o piloto não precisa colocar o pé no chão ao mesmo tempo em que aciona a embreagem. O acelerador é na manopla direita, mas a esquerda também tem função: controla o ponto de ignição, que deve ser acertado continuamente.

LEIA MAIS: Um passeio cheio de “causos” pelos anos 80

De qualquer forma, mesmo que uma motocicleta dessas não seja tão prática para uso corriqueiro, dar um passeio aos fins de semana ou exibí-la em encontros de clássicas já cumprem a sua função. Melhor ainda: a Harley-Davidson 1947 com side-car ficaria ótima no centro de uma sala de estar.

    Veja Também

      Mostrar mais