Triumph
Guilherme Marazzi
As rodas de liga leve distinguem a Triumph Tiger 900 GT da versão Rally

Lançada em junho em apenas duas versões, a família Triumph Tiger 900 está agora com o line-up completo, disponível para os adeptos das grandes aventuras em uma motocicleta. Sua antecessora, a Tiger 800, já havia conquistado o posto de aventureira mais desejada em sua categoria, e, como a nova motocicleta está ainda mais equipada, a previsão é que a Tiger 900 se torne um sucesso ainda maior.


Praticamente ninguém discute quando os usuários de Tiger 800 elencam suas qualidades, entre elas a extrema facilidade de pilotagem, face ao seu tamanho avantajado, e a ótima disposição de seu motor tricilíndrico em resposta ao acelerador. E a novidade na Triumph Tiger 900 não é apenas o aumento de cilindrada, pois trata-se de uma nova motocicleta, com novo quadro e muito mais tecnologia em todos os sistemas mecânicos.

Triumph
Guilherme Marazzi
A potência do novo motor foi mantida, mas o torque aumentou em 10%


Basicamente são duas as versões da nova Triumph Tiger 900, a GT, que tem rodas de liga leve (19 polegadas na dianteira e 17 polegadas na traseira), e a Rally, que tem rodas raiadas (21 polegadas na dianteira e 17 polegadas na traseira). Muitas outras características distinguem a Tiger GT, que tem maior disposição para o asfalto, da Rally, que é configurada para máximo desempenho no fora de estrada.


Com variações em detalhes, tanto a GT quanto a Rally ainda têm as suas respectivas versões Pro, que acrescentam funcionalidades à pilotagem. Complementando a família, em um total de seis opções para o usuário, há ainda uma versão básica, de entrada, com rodas de liga leve, e uma versão GT com menor altura do banco, para maior conforto na pilotagem urbana.


Experimentando a Triumph Tiger 900 GT Pro em percursos exclusivamente asfaltados, não tenho como negar que a motocicleta realmente melhorou bastante, principalmente no conforto e na facilidade de condução. A Tiger GT Pro tem, de série, painel de instrumentos de sete polegadas de TFT, conectado ao telephone celular do usuário ao sistema My Triumph, por meio do Bluetooth.

Tem, ainda, sistema de freios ABS otimizado para curvas e controle de tração, com cinco modos eletrônicos de pilotagem (Rain, Road, Sport, Off-Road e “Configurável pelo Piloto”), novo sistema de troca de marchas Shift Assist, interruptores iluminados, assento e manoplas aquecidas e monitoramento da pressão dos pneus.


O motor tricilíndrico, que passou de 800 cm3 para 888 cm3, manteve os 95 cv de potência, só que com um acréscimo de até 9% nas faixas intermediárias, o que pude sentir nitidamente durante uma semana com a motocicleta.

Triumph
Guilherme Marazzi
Ainda mais leve e ágil, a nova Tiger 900 é bastante ágil, mesmo em uso urbano

É claro que o principal motive da melhora nas curvas características desse motor se deve, principalmente, ao maior torque máximo, que passou de 79 Nm, na Tiger 800, para 87 Nm, na Tiger 900. Com as melhorias internas desse motor, que incluem novo sistema de refrigeração com dois radiadores e nova caixa de ar, até o ronco ficou mais bacana.


E esse é apenas um dos motivos do grande prazer ao pilotar a nova Tiger 900. A posição impecável do piloto, mesmo os de maior estatura, a perfeita visibilidade das funções do painel de instrumentos e a razoável proteção do para-brisa ajustável complementam a experiência de pilotagem.


Quanto ao visual da nova Triumph Tiger 900, já há algum tempo que noto que as mudanças estéticas das motocicletas modernas só podem ser analisadas com precisão comparando as versões uma ao lado da outra. A nova Tiger mudou bastante, mas manteve seu estilo de big trail contemporânea.


A Triumph Tiger GT Pro avaliada tem preço fixado em R$ 59.990, sendo que a versão Tiger GT custa bem menos, R$ 52.990 (tanto a normal quanto a Low). Já a Triumph Tiger 900 Rally custa R$ 55.990, com sua versão “top” Tiger 900 Rally Pro custando R$ 60.990.

A versão de entrada, a Triumph Tiger 900 , é bem mais acessível, custando R$ 48.990, só que abre mão de muitos sistemas e componentes importantes, como o Shift Assist e o controle de tração otimizado para curvas. O painem de instrumentos é um pouco menor (5 polegadas, também de TFT) e os modos eletronicos de pilotagem são apenas dois. Mas pode ser uma boa opção para entrar no mundo das Triumph Tiger 900.

    Veja Também

      Mostrar mais