Yamaha NMax
Divulgação
O novo scooter Yamaha NMax é totalmente novo e está mais confortável de pilotar no dia a dia


Um novo scooter começa a ir para as ruas nesta semana. É o Yamaha NMax 2021, que foi lançado nesta última terça-feira mas que eu já experimentei. Aí vocês perguntam: “Novo? Não é apenas uma leve reestilização do modelo lançado em 2016?” Não mesmo. Eu mesmo perguntei isso, até que comparei as duas versões, peladas, com tudo à mostra.


Tratam-se de dois scooteres completamente diferentes, mecanicamente falando, apesar do novo  Yamaha NMax manter o visual básico exterior, incluindo as medidas. Novo quadro, novas suspensões e, principalmente, novo motor. Muitos novos detalhes e sistemas eletrônicos, também.

No seu lançamento, em 2016, a comparação com seu principal concorrente, o Honda PCX 150 , lhe rendeu grande vantagem em todos os aspectos de desempenho, em especial ao motor de maior cilindrada (6 cm³, apenas), com quatro válvulas e comando variável (na Honda são duas válvulas com comando fixo). Mas perdeu feio em itens de conforto e conveniência, como as suspensões muito duras, a falta do sistema start/stop, além de detalhes como uma tomada de força.

Sendo que o Yamaha NMax 160 2021 é um novo scooter, seria de se esperar que essas deficiências fossem sanadas. E foram. O novo NMax tem agora um ponto de energia de 12 volts dentro do porta-objetos do lado esquerdo do anteparo frontal. 

Tem também novo painel de instrumentos, totalmente digital, cujas funções podem ser selecionadas por um botão acionado pelo dedo indicador esquerdo do piloto, sem que este precise tirar a mão do guidão.

Entre as funções do novo painel, destaca-se o indicador de nível de carga na bateria, o indicador da hora da manutenção da correia variável V-Belt e indicador do funcionamento do comando variável VVA. Tem também indicador de funcionamento do novo sistema start/stop, denominado de Stop & Start, e do novo sistema de chave inteligente, a Smart Key, que incorpora um sensor de presença.

O motor do scooter Yamaha NMax 160 2021 é totalmente novo. A potência subiu levemente, passando de 15,1 cv para 15,4 cv, perdendo apenas 0,1 kgfm de torque. Mas a maior novidade é o sistema Stop & Start, que trocou o antiquado motor de partida por um estator montado diretamente no eixo principal do motor.

Isso fez com que o sistema automático que desliga o motor em paradas rápidas, como em semáforos, o religue suave e instantaneamente, quase sem que se note.

O estator tem sua polaridade automaticamente invertida pela centralina do motor sempre que for necessário funcionar como alternador, regarregando a bateria, ou motor de arranque, reiniciando o funcionamento do motor a combustão. Para quem não tem paciência com a vida própria do scooter, que fica ligando e desligando a toda hora, um botão no punho pode desligar o sistema.

Chassi

Yamaha NMax
Divulgação
O chassi é totalmente diferente do anterior, com nova fixação da balança traseira


As maiores alterações no Yamaha NMax 2021 estão na sua estrutura. O chassi de tubos de aço é totalmente novo, sem qualquer setor aproveitado do anterior. Isso permitiu dois aperfeiçoamentos, a adoção de um tanque de combustível com meio litro a mais de capacidade, passando de 6,6 litros para 7,1 litros, e a obtenção de mais espaço para os pés do piloto.

A melhor alteração, no entanto, é a nova posição do pivô da suspensão traseira, que passou de cima do quadro antigo para baixo no quadro novo, o que, fisicamente falando, deverá melhorar sensivelmente o trabalho da suspensão, eliminando aquela sensação de traseira dura que o NMax sempre teve.

O test-drive de pouco menos de uma centena de quilômetros, a maioria deles em estradas asfaltadas, já deu uma noção da melhora da suspensão, mas será em uma semana de avaliação, posteriormente, que isso ficará comprovado, enfrentando as duras condições do piso das ruas e avenidas.

E o visual? Sinceramente, poucos notarão as diferenças das duas versões com o scooter passando rapidamente pelas janelas de seus automóveis, mas também tudo é novo. Colocando novo e velho lado a lado é possível notar essas mudanças.

Além do novo painel de instrumentos, destacam-se as novas rodas, o novo banco e as novas carenagens, com o conjunto ótico de leds. São novos também o pisca-alerta e o travamento central elétrico, incluindo o banco e o bocal do tanque, acionado pelo sensor de presença da chave inteligente.

O novo Yamaha NMax 160 tem preço de R$ 14.990 e está disponível nas cores azul (Navy Blue), preto fosco (Midnight Black) e branco (Sports White). A garantia de fábrica é de quatro anos.

    Veja Também

      Mostrar mais