Tamanho do texto

O estilo agressivo da Kawasaki Z800 agrada até aos mais conservadores

A Kawasaki Z800 na pista Vello Città, em Mogi Mirim, no interior de São Paulo, mostra bom desempenho
Mario Villaescusa/Divulgação
A Kawasaki Z800 na pista Vello Città, em Mogi Mirim, no interior de São Paulo, mostra bom desempenho

Prestes a ser substituída pela Z900, que foi lançada ano passado na Europa, a Kawasaki Z800 continua empolgando, não apenas pelo visual muito agressivo, mas principalmente pelo vigoroso desempenho. A naked esportiva, que também pode ser definida como uma street fighter , foilançada no Brasil em 2013, substituindo a Z750, que, por sua vez, chegou por aqui em 2007, ainda importada. É uma motocicleta para quem gosta mesmo de nakeds violentas, sem nenhum elemento estético retrô, como, por exemplo, um farol redondo. Pelo contrário, os faróis lembram um animal em posição de ataque, sob o conceito Sugomi japonês, que passou agora também para a Z650.

LEIA MAIS: A naked Kawasaki RE-6n agora é uma autêntica moto da linha Z

 Como todos os modelos da família Z, essas motocicletas, inclusive a Kawasaki Z800, descendem diretamente da linha Z dos anos 70, que chegaram a destronar a até então revolucionária Honda CB 750 Four, de 1970. Antes disso, a Kawasaki já arrepiava com a fantástica porém rudimentar família H, com potentíssimos motores dois tempos de três cilindros. 

Como uma legítima naked esportiva, a Kawasaki Z750, que passou a ser produzida no Brasil em 2009, ajudou a fortalecer o gosto pelas motocicletas não carenadas, cuja possibilidade de se visualizar também o motor faz parte do apelo esportivo desse tipo de motocicleta. A transição para a Z800, em 2013, fez aumentar a cilindrada de 748 cm 3 para 806 cm 3 , com aumento proporcional de potência de 106 cv para 113 cv.

LEIA MAIS:  Kawasaki GPz1100: a moto que mexeu com  os ânimos no Brasil nos anos 80

As melhorias visuais e funcionais também a tornaram uma nova motocicleta, motivo mais do que suficiente para se fazer o upgrade de cilindrada. A sua já anunciada substituta, a Z900 que chega ainda este ano, estará ainda mais visualmente agressiva, com a rabeta mais curta e alta, como já foi mostrado na Kawasaki Z650.

Detalhes de pilotar a Z800

Para não deixar aquele gostinho de saudade pela bela Z800, fiz a trinca de ouros com a motocicleta, rodando uma semana pela cidade – onde ela até que se sai bem, graças ao guidão não muito alto –, viajando no final de semana por estradas sinuosas e travadas (super diversão) e experimentando seus dotes esportivos no circuito Vello Città, em um teste de pneus da Michelin.

Para meu gosto pessoal, seu melhor é aproveitado nas estradas cheias de curvas, devido à sua particularidade de geometria de suspensão. De todas as maneiras, no entanto, é motocicleta para ninguém que curta uma naked, moderna ou retro, botar defeito. Esperamos com ansiedade a chegada da sua substituta. A Kawasaki Z800 é vendida por R$ 37.990.

LEIA MAIS:  A vingança da Kawasaki Versys 1000. Gabriel Marazzi conta detalhes

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.