Tamanho do texto

Para aqueles que tinham saudade do Honda Lead, o Elite chega para dominar

O novo Honda Elite 125 tem porte de scooter maior
Divulgação
O novo Honda Elite 125 tem porte de scooter maior

O passeio com o novo scooter Honda Elite 125 foi quase que um city-tour. A cidade balneária de Santos, no litoral sul paulista, não é muito grande, mas tem muitos lugares agradáveis e históricos para se visitar. De um lado as praias, ladeadas pelo maior jardim de praia do mundo (mais de 5 km de jardins muito bem cuidados), e de outro o porto marítimo mais importante do país. As duas paisagens contrastam, mas ainda assim é interessante visitar o cais do porto e seu centro histórico.

LEIA MAIS: Nova Honda XRE 300 agora tem freios ABS de série. Confira avaliação

Por ser essencialmente plana, muitas bicicletas trafegam na cidade, o que indica que o local é também muito adequado aos pequenos scooteres. Não que o Honda Elite 125 não possa vencer aclives acentuados, pelo contrário, diferentemente de seu antecessor Honda Lead 110, o novo scooter da Honda é valente e surpreende por sua aceleração. A prova da ladeira foi feita na subida da icônica Ilha Porchat, já no município vizinho de São Vicente. Tirou de letra.

O novo scooter Honda Elite 125 chega em um momento muito bom para os pequenos veículos, que se adaptam facilmente no dia a dia dos habitantes de cidades de trânsito complicado, além de, dependendo do caso, permitir uma boa economia nos gastos com transporte, seja individual ou coletivo.

Harmonia do Honda Elite 125

A posição de pilotagem do Honda Elite 125 é bastante confortável
Divulgação
A posição de pilotagem do Honda Elite 125 é bastante confortável

O que se destaca de primeira no Elite é a beleza de suas linhas, com aparência moderna e sofisticada. Na parte frontal, o conjunto ótico composto por dois faróis e duas luzes diurnas DLR (daytime running lamp), todas de leds, e mais os piscas de lâmpadas convencionais, confere ao modelo um porte de scooter maior. Ao guidão, no entanto, a sensação de domínio vem de uma posição de pilotagem privilegiada, muito boa para o seu tamanho, e do peso de apenas 104 kg.

LEIA MAIS: Honda PCX é o scooter preferido nas cidades

De uso essencialmente urbano, o Elite pede bom piso, devido às rodas pequenas (a dianteira de 12 polegadas e a traseira de 10 polegadas) e das suspensões de pequeno curso (90 mm na frente e 70 mm atrás). Mas há muito conforto e conveniência.

Atrás do anteparo frontal, há dois porta-objetos com capacidade de uma garrafa ou 1,5 kg cada um, mais um gancho para sacola de compras que suporta mais 1,5 kg. O painel de instrumentos é especial, com belo formato e totalmente eletrônico, com velocímetro digital, marcador de nível de gasolina e um interessante indicador circular de velocidade sem números.

Além dos faróis de leds, o Honda Elite 125 tem DRL, as chamadas luzes diurnas
Divulgação
Além dos faróis de leds, o Honda Elite 125 tem DRL, as chamadas luzes diurnas

Os freios têm um funcionamento peculiar: o sistema CBS de ação combinada de acionamento do dianteiro sempre que o traseiro é acionado é diferente dos CBS de outros modelos da marca, pois atua diretamente no manete direito. O resultado é o mesmo: para frenagens de controle, no meio do trânsito, basta aplicar o manete esquerdo para ter 70% de frenagem no tambor traseiro e 30% no disco dianteiro. Para uma frenagem de emergência, é necessário aplicar também o manete direito para se ter 100% de frenagem na roda da frente. Um item que se destaca no Honda Elite é a trava do manete esquerdo, que funciona como um freio de estacionamento e permite estacionar com segurança em uma aclive.

LEIA MAIS: A Honda CB 250F Twister ficou mais segura

O quadro tubular de aço é do tipo underbone e deixa os pés do piloto totalmente livres na plataforma inferior. O garupa, que tem um bom apoio na alça de alumínio para se segurar, fica com os pés em duas pequenas plataformas laterais. Embaixo do banco está o tanque de combustível de 6,4 litros, que a Honda garante oferecer uma autonomia total de mais de 300 km, e um espaço para objetos ou então um capacete pequeno. A abertura é feita pela chave de ignição.

O motor é um monocilindro refrigerado a ar (forçado por ventoinha) de 124,9 cm3, apenas a gasolina, com potência de 9,34 cv e torque de 1,05 kgfm. A transmissão é automática continuamente variável CVT.  O seu preço de lançamento do é de R$ 8.250, R$ 40 a menos que seu principal concorrente, o Yamaha Neo , que tem rodas de 14 polegadas. O Honda Elite 125 tem garantia de 3 anos e mais sete trocas de óleo grátis. As cores são o branco, preto, azul e vermelho.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.