Tamanho do texto

Veja detalhes da versão mais completa, de R$ 107.900. E descubra qual é o encanto diferenciado que o modelo tem em relação aos seus rivais

Esqueça número de vendas, pois nesse quesito o Toyota Corolla é imbatível no segmento de sedãs médios do Brasil. Nosso assunto no vídeo desta semana é prazer ao volante, sensação que a atual geração do Honda Civic - vendida com preços entre R$ 90.900 e R$ 126.600 - sabe muito bem transmitir. É daqueles carros que, logo ao se acomodar no banco, faz o motorista sorrir. Mas, como todo veículo, o modelo produzido em Sumaré (SP) tem aspectos que poderiam ser melhorados. Por isso, bora descobrir qual é o encanto dele e seus pontos negativos.

LEIA MAIS: Honda Civic 2019 muda nos EUA. Veja o que pode ser adotado no Brasil

A versão avaliada do Honda Civic é a EXL, a mais completa entre as opções equipadas com o motor 2.0 aspirado flex de até 155 cv, tabelada em R$ 107.900. Na linha 2018, lançada no início do ano, passou a trazer sensores de estacionamento (traseiros e dianteiros), recurso até então exclusivo da opção topo de linha, Touring, dotada de propulsor turbo 1.5 turbo à gasolina de 173 cv. Este item, claro, entra na lista de pontos positivos do sedã, que dispõe também de acendimento automático dos faróis, sensor de chuva, seis airbags, central multimídia com tela sensível ao toque e possibilidade de espelhamento de smartphones, ar-condicionado digital de duas zonas… tudo que se espera de um carro de mais de R$ 100 mil? Infelizmente não!

Apesar do preço elevado, a configuração EXL fica devendo retrovisor fotocromático, botão de partida do motor e chave presencial, comodidades encontradas nas versões equivalentes de seus principais rivais, Toyota Corolla e Chevrolet Cruze , para não citar outros. Banco do motorista com ajuste elétrico e teto solar poderiam ser oferecidos ao menos como opcional, mas são atrativos exclusivos do Civic Touring.

LEIA MAIS: Desacato a autoridade: veja 5 motivos para comprar Civic e não Corolla

Honda Civic é bom de dirigir

Honda Civic:  o conjunto bem acertado é uma das qualidades do modelo que tem o Toyota Corolla como grande rival
Divulgação
Honda Civic: o conjunto bem acertado é uma das qualidades do modelo que tem o Toyota Corolla como grande rival

Mesmo com esses deslizes, o sedã médio da Honda consegue conquistar o consumidor por ser muito gostoso de dirigir. O banco confortável, a excelente ergonomia, a posição de guiar esportiva bem baixa, tudo isso transfere ao motorista uma sensação bastante prazerosa, combinada com um bom desempenho do motor 2.0, que trabalha em boa sintonia com a transmissão CVT de sete marchas virtuais.

Além do rendimento satisfatório para acelerações e retomadas de velocidade, o conjunto mecânico do Civic agrada com as boas médias de consumo de combustível. Abastecido com etanol, de acordo com os índices do Inmetro, o modelo faz 7,2 km/l na cidade e 8,9 km/l na estrada. Na prática, porém, os números são melhores do que os declarados, como você verá no vídeo.

LEIA MAIS: Honda Civic Si: cupê esportivo de verdade. Confira a avaliação completa

Conforto e espaço interno também reforçam a lista de qualidades do Honda Civic , que acomoda com tranquilidade até quatro adultos altos e tem um amplo porta-malas de 519 litros. Destaque ainda para a suspensão do tipo multilink na traseira, um diferencial em relação aos seus concorrentes diretos, assim como o isolamento acústico da cabine mais eficiente e de tecnologias como o freio de estacionamento eletrônico com a função brake hold , que permite o condutor tirar o pé do freio em paradas, mesmo com a manopla do câmbio na posição Drive. Quer saber o que mais encanta nele? Então aperte o play do vídeo e Bora de Carona!

Escreva para coluna De Carona com Leandro no  Youtube ou no Instagram .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.