Tamanho do texto

Assista ao vídeo do belo esportivo da marca alemã com motor 1.9, de quatro cilindros, câmbio manual de cinco marchas e tração traseira

A definição clássica de um roadster é bem simples. Um veículo compacto, conversível, para duas pessoas e que tenha um espírito esportivo, assim como o BMW Z3. Essa ideia impulsionou o lançamento de vários modelos diferentes, de marcas distintas, ao longo dos anos.

LEIA MAIS: BMW raro de Steve Jobs vai a leilão. E pode ser arrematado por R$ 1 milhão

Como se pode imaginar os europeus são os precursores do estilo. Quando se observa alguns roadsters ingleses fica fácil entender porque eles são os pais da ideia. Simetria de formas, carrocerias leves e personalidades diferentes podem ser vistos nesses carros entre os quais o BMW Z3 , de 1996, em perfeito estado de conservação, que aparece no vídeo acima. 

A MG é uma das maiores expoentes quando se fala no assunto. Com o TC e o TD criaram verdadeiros objetos de desejo. O primeiro, antes e depois da 2ª Guerra Mundial, era presença obrigatória em qualquer estradinha sinuosa, seja na Escócia ou nos Alpes suíços.

Durante algum tempo o estilo roadster ficou, de certa forma, fora de moda. Os conversíveis acabaram ocupando seu lugar, em parte por conta da necessidade de levar também os filhos para um passeio no campo no final de semana.

Sangue quente

BMW Z3 1.9: raridade que roda no Brasil em perfeito estado tem a mesma cor do modelo do filme 007 contra Golden Eye
Renato Bellote/iG
BMW Z3 1.9: raridade que roda no Brasil em perfeito estado tem a mesma cor do modelo do filme 007 contra Golden Eye

Mas na década de 90 o conceito ressurgiu de forma brilhante. A BMW lançou a linha Z justamente com essa proposta. Novamente o tamanho compacto e o espírito esportivo foram levados em conta. O Z1 trazia ainda as revolucionárias portas que se recolhiam. Em breve trarei um deles para a coluna.

LEIA MAIS: Mora nos Clássicos: valor agregado. Saiba mais detalhes da raridade

E o Z3, lançado na sequência, conseguiu englobar a ideia toda com um toque de personalidade germânica que atravessa o tempo de forma incrível. Basta olhar para ele para entender uma parte da história da marca alemã e também uma referência no design.

Basicamente eram três versões. A de 1,9 litro e quatro cilindros, como mostrada na matéria, tem 140 cv e um acerto legal para quem busca um meio-termo entre esportividade e estilo de vida. Entre outras características, o Z3 também vinha com tração traseira e câmbio manual, de cinco marchas, o que também contribui com o conjunto muito bem acertado do carro. Esse exemplar – da mesma cor usada no filme 007 contra Golden Eye – marca apenas 19 mil quilômetros no odômetro.

LEIA MAIS: MW apresenta versão conversível do supercarro elétrico i8 em Los Angeles

Ainda estavam disponíveis as versões de seis cilindros em linha, com 2,6 litros e 3 litros, a M, que merecem uma matéria própria pelo desempenho de tirar o fôlego e por causa do alto nível de sofisticação para o início da década passada, quando foram lançados mundialmente. De qualquer forma o Z3 foi um divisor de águas para a BMW e até hoje é referência do prazer em dirigir um roadster. Até a semana que vem! 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.