Shelby
Renato Bellote/iG
Shelby Cobra com motor Duratec, e um turbocompressor, modernizam e apimentam o projeto originado nos anos 60

Carrol Shelby foi um gearhead de carteirinha. Correu com vários tipos de carros, disputou provas e longa e curta duração e venceu as 24 Horas de Le Mans. Sua experiência na Europa mostrou que a América precisava de um carro pequeno e que fosse divertido de guiar.

Shelby partiu inicialmente do clássico AC Ace, originalmente com motor de seis cilindros em linha como todos os roadsters ingleses, pensou em apimentar a receita do modo norte-americano: com um V8. Afinal, o Corvette já tinha mostrado que por lá o público torcia o nariz para outras configurações mecânicas.

Mas qual V8 poderia ser utilizado nesse projeto? Carroll Shelby pensou em procurar a Chevrolet, mas um concorrente do Corvette estava nascendo e não seria boa ideia fornecer motores. Foi então que sua parceria com a Ford nasceu e gerou muitos frutos, inclusive nas pistas e corridas de endurance.

O projeto da matéria de hoje é totalmente diferente. As réplicas e recriações do Shelby Cobra são equipadas com motores V8. E isso faz todo sentido, afinal está ligado à origem do modelo, como na história contada nos parágrafos anteriores.

Mais detalhes do Shelby Cobra

Shelby
Divulgação
Primeiro Shelby Cobra, original, arrematado no leilão RM Auctions, nos Estados Unidos, por US$ 13,75 milhões

Mas a ideia foi criar algo diferente. E com quatro cilindros. Os mais puristas – e alguns pilotos de teclado também – torcem o nariz. Mas a ideia evoluiu e o Duratec recebeu uma turbina e baixa pressão, apenas 0,6 bar, para alegrar os passeios de final de semana.

O carro foi todo feito de maneira artesanal. É o caminho mais árduo. Dificuldades diversas e orçamento extrapolado foram problemas que surgiram pelo caminho. Mas após oito oficinas o novo mecânico afinou a máquina, que entrega 205 cv na roda, algo em torno de 240 cv no motor.

Parece pouco, mas a receita deu certo. Melhor equilíbrio e baixo peso fazem dele algo bem acertado para andar. A turbina enche com força após os 3 mil giros e cola o corpo no banco. Realmente algo diferente do convencional, mas que faria Carroll Shelby se divertir ao volante.

    Veja Também

      Mostrar mais