Carro elétrico permite viagem com conforto e segurança
Thiago Garcia/Arquivo Pessoal
Carro elétrico permite viagem com conforto e segurança

Fala, galera, beleza? Semana passada, tirei uns dias de folga para ficar com a família, mas não deixei de produzir conteúdo para vocês. Aliás, gostaria de deixar um agradecimento especial para o pessoal da Audi Eurobike Itaim, que emprestou a nave eTron. Muito obrigado pela experiência.

Nessas férias, viajamos para Serra Negra, interior de São Paulo, um trajeto de apenas 145 km, mas com muitos trechos de serra. A subida pode penalizar um pouco a autonomia de um veículo elétrico, mas o retorno é pura alegria de recuperação de energia.

Veja também:  Pesquisa diz que motoristas de elétricos estão perdendo 'ansiedade'

O Audi eTron possui autonomia de sobra para ir e voltar de São Paulo à Serra Negra. Entretanto, aproveitei a oportunidade para conhecer o carregador da Cervejaria Dortmund Bier. Não, eu não bebo, fui apenas pelo carregador mesmo.

Com 2 horas de carregamento na cervejaria, garanti meu retorno para São Paulo com autonomia de sobra. A pergunta que fica é: por que o carregamento não aconteceu no hotel? Bem, esse é exatamente o foco do texto de hoje.

Não foram poucas as vezes que viajei desde que adotei a mobilidade elétrica como forma de locomoção. Apesar de nunca ter encontrado um carregador em minhas viagens, na maioria dos lugares foram garantidas as recargas através de uma simples tomada.

Faço questão de citar os locais como forma de reconhecimento e incentivo:

  • Hotel Tauá Atibaia
  • Hotel Premium Campinas
  • Hotel Mil Flores, em Bragança Paulista
  • Hotel Recanto do Teixeira, em Nazaré Paulista

Veja também:  Tupinambá Energia apresenta: Destinos Eletrificados – de São Paulo a Ilhabela com o Nissan Leaf

Ainda gostaria de deixar uma menção honrosa para o Hotel Paraty, em Ibiúna, e Hotel Vale do Sol, em Serra Negra, que mesmo não conseguindo carregar por conta da infraestrutura, não se negaram a permitir o carregamento.

Observa-se a vontade dos hotéis para promover a recarga de veículos elétricos de seus hóspedes e eventuais viajantes. Nos tempos atuais, oferecer um ponto de carregamento é tão essencial quanto a garantia de Wi-Fi para seus clientes. Infelizmente, os sites de buscas de hospedagem não trazem um filtro com indicação de locais que oferecem o serviço de recarga (fica a dica).

Para quem deseja usufruir de um tempo com a família, nada melhor do que contar com o carregador no local de hospedagem para garantir o início do retorno com as baterias carregadas, tanto do carro quanto a nossa.

Bem, vontade já observamos que os hotéis têm, agora falta se prepararem. Felizmente sou precavido e me organizo para viajar, mas não são poucos os relatos de pessoas que viajaram contando com a tomada amiga e terminaram a viagem de guincho. 

Sendo assim, o ideal é que os hotéis estejam conscientes e preparados para receber os veículos elétricos. A tomada amiga não será suficiente quando tivermos mais hóspedes viajando com veículos elétricos simultaneamente. Se fosse utilizar uma tomada de 20A para carregar o eTron, poderia demorar por volta de 48h em uma tomada 110V para carregar 100% da bateria. Não era o meu caso, mas é necessário avaliar o cenário.

Não são poucos os hotéis que possuem centros de convenções e oferecer um serviço de carregamento de veículos elétricos será um diferencial para ser escolhido como local que sediará alguma feira, evento ou mesmo a festa anual da empresa.

Atualmente, muitos locais estão adotando carregadores de veículos elétricos como serviços adicionais, tarifando a sua recarga em vez de cortesia. Como exemplo temos o Hotel Toriba, em Campos do Jordão, Villa Rossa, em São Roque, e o Double Tree/Urban Park, aqui em São Paulo, no bairro do Itaim, que adotam o sistema da Tupinambá Energia para gestão e cobrança da sessão de carregamento.

A tarifação da recarga permite a sustentabilidade financeira do serviço e manutenção do equipamento fornecido, sem contar que incentivará outros estabelecimentos a adotarem práticas semelhantes. Sempre digo para os clientes que presto consultoria: hoje você é escolhido por oferecer um carregador, amanhã você será excluído se não tiver um carregador para oferecer.

Outro ponto importante a se levar em consideração é os viajantes em trânsito. Já recebi diversos relatos de pessoas que acabam fazendo um pernoite ou mesmo um day use para garantir a recarga. Outros acabam consumindo no restaurante do hotel. Mas também não são poucos os relatos de usuários que tiveram o uso recusado por não estarem hospedados e precisaram ser guinchados até o próximo ponto de carregamento. Belo tiro no pé na minha opinião.

Resumindo: estamos construindo uma bela história da mobilidade elétrica no Brasil, mas ainda há muito para se fazer. E sim, carro elétrico é para viajar com conforto e segurança.

Meu caro leitor hoteleiro, deixo essa reflexão para se prepararem e me coloco à disposição para auxiliar no desenvolvimento da melhor experiência para seu hóspede.

Até mais!

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários