Tamanho do texto

Modelo será o carro-chefe da reestruturação da marca coreana no Brasil. SUV compacto começa a ser vendido no País a partir de fevereiro próximo

SsangYong Tivoli: preço atraente e desenho que chama atenção como principais pontos que chamam atenção
Divulgação
SsangYong Tivoli: preço atraente e desenho que chama atenção como principais pontos que chamam atenção

Ao anunciar seu retorno ao mercado brasileiro, a sul-coreana SsangYong prometeu uma investida mais sólida, inclusive com planos de começar uma produção por aqui se a demanda estiver de acordo. De início, a marca terá quatro modelos que começam ser vendidos juntos em fevereiro: o SUV compacto SsangYong Tivoli, o intermediário XLV, o utilitário esportivo médio Korando e a picape Actyon Sports Diesel.

LEIA MAIS: SsangYong volta ao Brasil com quatro modelos em 2018

A reportagem de iG Carros teve a oportunidade de andar em todos no interior de São Paulo. Tratando-se de unidades para homologação, os modelos que serão vendidos por aqui terão diferenças pontuais em relação aos testados. Motorização e câmbio, entretanto, serão os mesmos. Mas, primeiramente falaremos do modelo que mais chamou atenção, o SUV compacto SsangYong Tivoli .

O carro terá concorrentes de peso. Vem para brigar no segmento de Honda HR-V, Jeep Renegade, Hyundai Creta, Nissan Kicks, entre outros. Suas linhas lembram bastante o Kia Soul, com design demarcado por vértices bem acentuados. A linha de cintura que fica mais alta na traseira dá uma aparência mais singular ao Tivoli, que se destacaria com facilidade em meio aos rivais que já são vendidos no Brasil. Por dentro, as semelhanças com o conterrâneo continuam, com a boa qualidade de acabamento e montagem. Couro de toque agradável reveste bancos e o volante multifuncional, contrastando com superfícies de plástico que imitam aço escovado.

Logo de início, fiquei bem acomodado no banco traseiro do Tivoli, mas o espaço interno não é dos melhores, deixando a impressão que é suficiente  apenas para dois adultos e uma criança com conforto.  Por outro lado, o teto mais alto favorece o espaço para a cabeça. Bom também é o porta-malas de 423 litros de capacidade, que pode ser ampliado para 1.115 litros com o rebatimento do banco.

LEIA MAIS: Importados: 2018 marca novos lançamentos e retorno de montadoras

O pacote de equipamentos também agrada. Terá sistema de direção elétrica com três ajustes, partida por chave presencial, rebatimento dos retrovisores e ar-condicionado de duas zonas. A central multimídia é rápida e intuitiva, mas não traz funções de navegação. Não nos aprofundaremos nessa parte, pois a marca diz que os modelos de varejo terão sistemas diferenciados, mais ao gosto dos brasileiros. O diretor da SsangYong do Brasil, Marcelo Fevereiro, afirma que a versão definitiva poderá contar até com Android Auto e Apple CarPlay.

Fôlego razoável

Em suas duas versões, o Tivoli virá equipado com motor 1.6, a gasolina, de 128 cv e 16 kgfm de torque. Dá para dizer que tem fôlego suficiente apenas  para uma condução tranquila e confortável, levando em conta os 1.300 kg de peso do SUV.  O silêncio ao rodar também é um dos destaques, apesar das linhas angulosas não ajudarem muito.  Mas falta um pouco de força para ultrapassagens sem preocupações, mesmo com o ar-condicionado desligado. Constatamos também que a direção poderia ser mais direta. Porém, basta não exagerar nas curvas  para Tivoli mostrar que pode garantir um bom passeio.

LEIA MAIS: SUVs mais econômicos: saiba quais são os melhores entre os compactos

É cedo para dizer se o SsangYong Tivoli tem bom custo benefício em relação aos rivais. Como mencionamos, trata-se apenas de um modelo de homologação que a importadora Venko trouxe para o Brasil - ainda na placa verde. Seguro, lista de peças e custo de manutenção continuam incertos, mas pudemos comprovar que a nova investida da marca tem características suficientes para se adequar ao gosto do consumidor brasileiro. O preço, por outro lado, é um ponto a favor. O carro custará algo entre R$ 85 mil e R$ 100 mil, na média do mercado.

Ficha Técnica

Preço: entre R$ 85 mil e R$ 100 mil
Motor: 1.6, gasolina
Potência: 128 cv a 6.000 rpm
Torque: 16,3 kgfm a 4.600 rpm
Transmissão: automática de seis velocidades
Suspensão: Independente McPherson (dianteira) e eixo de torção (traseira)
Freios: Discos ventilados
Rodas: 215/45 R18
Dimensões: 4,20 m (comprimento), 1,79 m (largura), 1,59 m (altura) e 2,60 m (entre-eixos)
Tanque: 47 litros
Porta-malas: 423 litros
Consumo: não disponível

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.