Tamanho do texto

A partir de R$ 59.990, modelo agora pode vir com câmbio automático de seis marchas e motor 1.6, de 120 cv. Confira as primeiras impressões ao dirigir

VW Voyage automático tem conjunto bem acertado e passa a ter frente renovada na linha 2019
Divulgação
VW Voyage automático tem conjunto bem acertado e passa a ter frente renovada na linha 2019

O primeiro Voyage lançado no Brasil vinha com motor 1.5, duas portas e concepção bem simples. Estamos falando de 17 anos atrás, quando câmbio automático era algo encontrado na grande maioria das vezes em carros de luxo. Mas os tempos mudaram bastante e, de acordo com a Volkswagen, 60% dos modelos vendidos no  País deverão ter o equipamento até 2020, daí o lançamento do VW Voyage automático.

LEIA MAIS: VW Polo e Virtus ganham câmbio automático com motor 1.6 MSI

Para dar mais apelo ao sedãzinho veterano, a fabricante passa a oferecer uma versão com caixa automática de seis marchas, a mesma da dupla Polo e Virtus, da qual o Voyage também leva o motor 1.6, de 16 válvulas, capaz de render até 120 cv com apenas etanol no tanque. O resultado final agradou nas nossas primeiras impressões ao volante do VW Voyage automático numa viagem entre Guarulhos e Taubaté, no interior de São Paulo.

Pelos R$ 59.990 que custa a versão 1.6 automática do Voyage, sem opcionais, o carro já vem com hastes atrás do volante para trocas de marcha, algo que o novo rival Ford Ka Sedan 1.5 SEL (R$ 65.990) não tem. Há quem diga que esse recurso é pouco utilizado, mas acaba sendo útil numa tocada um pouco mais animada em trechos como subidas de serra.

Outro recurso é o modo “Sport”, que prioriza mais o desempenho, esticando as trocas para o motor ganhar rotação com mais facilidade ao pisar no acelerador. De fato, o carro mostra boa agilidade, accelerando de 0 a 100 km/h em 10,2 segundos, conforme a fabricante, que ainda diz que o sedã pode atingir 190 km/h.

LEIA MAIS: Voyage Plus mantém aparência original, mas com motor de 300 cv

Se a ideia é conseguir o máximo de economia possível, esqueça tanto do modo “Sport” quanto das trocas sequenciais e pise de leve no pedal da direita para o sistema de câmbio se voltar para mininizar o consumo. Assim, o motor é mantido na rotação mais baixa possível. Em sexta marcha, a 120 km/h, por exemplo, o contagiros aponta 2.650 rpm, com o carro rodando em silêncio  e sem vibrações incômodas.

Dirigindo no modo mais econômico possível, de acordo com informações do Inmetro, o VW Voyage  1,6 automático pode fazer 11,1 km/l na cidade e 14,3 km/l na estrada, números que passam para 8 km/l e 10,1 km/l, respectivamente, com apenas etanol no tanque. 

Interior do VW Voyage  automático vem com volante revestido de couro e pode vir com central multimídia opcional
Divulgação
Interior do VW Voyage automático vem com volante revestido de couro e pode vir com central multimídia opcional

Com relações bem escalonadas, o caixa de seis marchas caiu bem no Voyage automático, que também chega com pneus 195/55R 15 de série, mas com as rodas de liga-leve entre os itens opcionais, como parte do pacote Urban (R$ 3 mil). Além das rodas, também estão incluídos itens como alarme, chave canivete com controle remoto e espelhos retrovisores externos com ajuste elétrico e função “tilt down” do lado direito. 

Depois que o sistema de assistência elétrica de direção ficou mais comum, quando aparece um carro com sistema hidráulico, há de se estranhar. O caso do Voyage é um desses. Mas, o peso um pouco maior do volante é sentido apenas nas manobras de estacionamento. Na estrada, onde tivemos a maior parte das primeiras impresões de dirigir, o sistema fucionou a contento.

Frente renovada

Frente com faróis maiores deu um aspecto mais moderno ao VW Voyage automático da linha 2019
Divulgação
Frente com faróis maiores deu um aspecto mais moderno ao VW Voyage automático da linha 2019

Como parte das novidades da linha 2019, o Voyage recebe alterações na parte frontal. Agora vem com os mesmos faróis que começaram a ser usados pela Saveiro Cross, o que obrigou a elevar ligeiramente a altura do capô. Além disso, a grade do radiador também é nova, bem como o para-choque, que ganhou mais entradas de ar. 

LEIA MAIS: Saiba quais são os 5 sedãs compactos 1.0 mais econômicos do Brasil

Afora um pouco mais de capricho no acabamento e espaço interno, o Voyage ainda é sedãzinho que atende pequenas famílias com certa competência. Se optar por uma das duas centrais multimídia disponíveis: Composition Touch (R$ 2,1 mil), ou Discovery Media (R$ 2 mil), o carro fica com duas entradas USB, sendo uma delas “escondida” no suporte para celular, voltada para o carregamento da bateria do aparelho. 

Um ponto importante em se tratando de um sedã é o tamanho do porta-malas. No VW Voyage automático são 480 litros, o que é aceitável se considerar o que os principais concorrentes oferecem: Ka Sedan (445 litros), Prisma (500 litros), Etios Sedan (562 litros) e HB20 S (450 litros). Desses, apenas o modelo da Ford e da Toyota podem vir com controles eletrônicos de estabilidade e tração entre os equipamentos hoje em dia. 

Ficha Técnica

Preço: a partir de R$ 59.990

Motor: 1.6, quatro cilindros, flex, 16V

Potência: 120 cv (E) / 110 cv (G) a 5.750 rpm 

Torque: 16,8 kgfm (E) / 15,8 (G) 4.000 rpm 

Transmissão: automática, seis marchas

Suspensão: independente (dianteira), eixo de torção (traseira) 

Freios: disco ventilado (dianteira), tambor (traseira) 

Porta-malas: 445 litros 

Tanque: 55 litros 

0 a 100 km/h: 10,2 segundos 

Consumo: 8,0 km/l (cidade), 10,1 km/l (estrada) com etanol 

11,1 km/l (cidade) km/l e 14,3 km/l (estrada) com gasolina


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.