Tamanho do texto

Nova geração do sedã fica maior que o anterior, passa a ter duas versões com motor 1.4 turbo flex, entre uma série de outras mudanças

VW Jetta R-Line: sedã da nova geração fica maior e mais eficiente, além de focar no conforto e na eficiência energética
Divulgação
VW Jetta R-Line: sedã da nova geração fica maior e mais eficiente, além de focar no conforto e na eficiência energética

É lançado o novo VW Jetta com a intenção de incomodar um pouco mais os líderes de vendas entre os sedãs médios, a dupla Toyota Corolla e Honda Civic. A Volkswagen promete trazer maiores volumes do México e adota preços competivos que partem de R$ 109.990 (Comfortline) e chegam a R$ 119.990 na versão topo de linha R-Line, sem opcionais. Como itens extras, a fabricante oferece apenas carregador sem fio para o celular (R$ 470) e teto solar panorâmico (R$ 4.990).

LEIA MAIS: Honda Civic encara Toyota Corolla: eternos rivais enfrentam briga acirrada

Tudo novo no VW Jetta . E, agora, mais descolado do Golf como nunca, de acordo com o que o chefe de design da Volkswagen na América do Sul, José Carlos Pavone, chegou a mencionar na sua apresentação sobre o carro. Antes, o Jetta mantinha o balanço traseiro bem próximo do dianteiro, o que não mais acontece, deixando o sedã com aspecto mais arrojado.

 A nova geração do Jetta tem 896 mm de balanço dianteiro (distância em linha reta do centro das rodas dianteiras até a extremidade do para-choque frontal), isto é, 10 mm a menos que o anterior. Na parte de trás ocorreu o inverso, o balanço traseiro do sedã cresceu 16 mm, totalizando agora 1.118 mm. Outra mudança significativa fica por conta da terceira janela na lateral fora da porta, algo inédito na história do sedã.

O que também chama atenção é o capô cheio de vincos, algo que contribui com aspecto esportivo do carro, principalmente na versão topo de linha R-Line, que a reportagem de iG Carros teve a oportunidade de dar uma volta entre o Guarujá (SP) e a capital paulista. Entre outros detalhes, o novo Jetta topo de linha vem com alguns componentes pintados de preto brilhante, como a grade dianteira, as carcaças dos retrovisores e a discreta antena da capota. Outra diferença são as rodas de aro 17, agora montadas em mais borrachudos pneus 205/55R 17 (ante o 225/45R 17 da antiga versão Highline).

LEIA MAIS: Sedãs médios estão desfinhando no mercado brasileiro. Saiba detalhes

Com isso, a sétima geração do Jetta se mostrou mais confortável que a anterior ao passar por piso irregular. O que também contribui com o conforto é  a maior distância entre-eixos, de 2,39 metros (37mm a mais). Porém, embora o carro tenha ganhado vários itens sofisticados e equipamentos, o nível de refinamento poderia ser melhor, pelo o que notamos em alguns detalhes. Um deles é a troca do eixo traseiro multibraço pelo eixo de torção.

VW Jetta R-Line tem porta-malas de 510 litros, mas os
Divulgação
VW Jetta R-Line tem porta-malas de 510 litros, mas os "pescoços de ganso" atrapalham na acomodação da bagagem

Além disso, por dentro, faltaram as saídas de ar para o banco traseiro, algo que o Virtus tem, sedã que fica um degrau abaixo do Jetta. Também notamos que há plástico duro nos painéis das portas traseiras, algo que pode ser corrigido adiante, uma vez que a nova geração acaba de chegar. O porta-malas leva bons 510 litros, mas há os chamados "pescoços de ganso" para atrapalhar a acomodação da bagagem.

Afora esses pequenos descuidos, o Jetta agrada por dentro. Agora há luz ambiente cuja cor pode ser escolhida pelo gosto do freguês ao selecionar o modo individual. São 10 opções ao todo. Mas, conforme o modo de direção, a iluminação também muda de cor, seguindo o padrão do quadro de instrumentos. O sistema fornece luz branca indireta no perfil “Normal”, luz vermelha no perfil “Esporte” e luz azul no perfil “Eco”.

Na lista de equipamentos, a R-Line 250 TSI tem como itens de série o Active Info Display (painel digital programável), controlador automático de velocidade (ACC), Front Assist com função City Emergency Brake, Detector de Fadiga, Sistema de Frenagem Pós-Colisão e regulagem automática do farol alto (FLA). No caso do teto solar opcional, a peça abrange quase toda a área da capota, aumentando a área envidraçada.

Primeiras impressões do VW Jetta

VW Jetta R-Line também vem com motor 1.5 turbo flex e câmbio automático de seis marchas.  O 2.0 TSI pode vir depois
Divulgação
VW Jetta R-Line também vem com motor 1.5 turbo flex e câmbio automático de seis marchas. O 2.0 TSI pode vir depois

 Não resta dúvida de que a eficiência é palavra de ordem hoje em dia. Em função disso, os motores com menor cilindrada passam a ser prioridade. Portanto, o Jetta agora é oferecido apenas com motor 1.4 turbo flex, que gera 150 cv e 25,5 kgfm de torque entre 1.400 rpm e 3.500 rpm. Pelo menos por enquanto, sai de cena o 2.0 turbo, de 211 cv. Além disso, o câmbio é apenas o automático, de seis marchas, sem hastes para troca sequenciais no volante.

VW Jetta R-Line tem luz ambiente. São 10 opções de cores, quando selecionado o modo individual
Divulgação
VW Jetta R-Line tem luz ambiente. São 10 opções de cores, quando selecionado o modo individual

Mesmo assim, no trecho em que assumimos o volante do VW Jetta 2019 ficou claro que o modelo tem fôlego suficiente para fazer ultrapassagens seguras e fazer uma viagem com uma velocidade de cruzeiro em torno de 100 km/h em silêncio e com bom nível de conforto, que foi o principal ganho do carro na comparação com a geração anterior.

Portanto, o ajuste foi mais voltado ao equilibrio entre desempenho e economia, outro ponto em que essa nova geração se sobressai na comparação com a anterior. De acordo com dados do Inmetro, apenas com gasolina no tanque, o carro pode fazer 10,9 km/l na cidade e 14 km/l na estrada (ante 10,4 km/l e 13,8 km/l do Jetta 1.4 anterior, que não era flex). 

LEIA MAIS: Saiba quais são os 5 sedãs médios mais econômicos à venda no Brasil

 A boa posição de dirigir também está entre os destaques do carro, que conta com todos os ajustes necessários do volante e do banco do motorista. O cluster é digital e configurável e é possível deixar as coordenadas do GPS no meio do quadro de instrumentos, entre o velocímetro e o contagiros. Aliás, a boa ergonomia é outro ponto positivo do carro, que roda sempre em silêncio.  Agora, resta apenas esperar dar mais detalhes sobre como o novo VW Jetta se sai no dia a dia depois que tivermos o carro na redação.

Ficha Técnica

Preço: R$ 119.990 (R-Line)  

Motor:  1.4, turbo, quatro cilindros, 16 válvulas   

Potência: 150 cv a 5.000 rpm    

Torque: 25,5 kgfm entre 1.400 e 3.500 rpm    

Transmissão: automático, de seis marchas    

Suspensão: independente e multibraço (traseira)  

Freios: Discos ventilados na dianteira e sólidos na traseira   

Dimensões: 4,70 m (comprimento) / 1,80 m (largura) / 1,47 m (altura), 2,70 m (entre-eixos)   

Tanque : 50 litros   

Consumo:  10,9 (G)/7,4 (E) - cidade  e 14 (G)/ 9,6 (E) - estrada

0 a 100 km/h: 8,9 s    

Vel. Max: 210 km/h

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.