Honda
Divulgação
Fábrica da Honda tem capacidade para produzir ainda mais, após ter recebido os investimentos mais recentes

A divisão de motos da Honda celebra o marco de 25 milhões de unidades produzidas na fábrica de Manaus (AM). No início de tudo, em 1976, havia apenas a CG 125, quem teve 13 milhões de unidades até sair de linha em fevereiro de 2019. Com 7 mil empregados, hoje, a planta conta com 24 modelos diferentes em seu portfólio, além de quadriciclos e motores. Suas operações são do tipo vertical, na qual fabrica também chassis e periféricos, como bancos e rodas.

LEIA MAIS: Veja quais foram as 5 motos mais vendidas no primeiro balanço do ano

Em 2019, a Honda anunciou um aporte de R$ 500 milhões na unidade fabril. Esse dinheiro foi investido em uma nova linha de fundição de motores e rodas, que já está operando parcialmente. Apenas em outubro ela estará utilizando sua capacidade máxima. Hoje, a planta tem capacidade para produzir 1,2 milhão de motos por ano.

Durante a celebração na fábrica da Honda , o presidente da montadora, Issao Mizoguchi, afirmou que a marca terá 16 novidades para o mercado brasileiro até 2021, que inclui inéditas, novas versões e atualizações. Apesar de não ter comentado qual será a agenda de apresentações, nos próximos dias, as primeiras unidades das novas CB 650R e CBR 650R começam a chegar nas concessionárias. Ambas já estão em pré-venda, desde o final de janeiro, por R$ 37.900 e R$ 39.500 respectivamente.

LEIA MAIS: Honda CG 160 chega à linha 2020 mais cara e com novos grafismos

CG 160 Titan S: a moto nº 25.000.000

Honda
Guilherme Menezes/iG
Honda CG 160 Titan S, que serve de modelo comemorativo por representar a liderança no mercado

A moto que fica à frente da comemoração é uma Titan S, pintada de branco, preto e vermelho. Além do esquema tricolor, outro diferencial das CGs convencionais é roda de liga-leve, com cinco raios, em vermelho. Entretanto, a base e a mecânica continuam as mesmas, com o motor de 162,7 cc que gera 15,1 cv e 1,54 kgfm (etanol) e 14,9 cv 1,40 kgfm (gasolina). Ela custa R$ 11.490.

LEIA MAIS: Honda lança série limitada da linha 2020 da NXR 160 Bros

Vale lembrar que a Honda CG 160 mantém, também, a suspensão dianteira SFF (Separated Function Fork), derivada das máquinas usadas nas competições off-road – motocross, enduro e rally – que fez o modelo ficar mais resistente e com melhor dirigibilidade, de acordo com as informações da fabricante. Além disso, são equipadas com rodas de 18 polegadas de liga de alumínio (rodas raiadas de aço na Start) e freio dianteiro a disco (a tambor na Start), com o sistema de freios combinados CBS.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários