Fábrica da Yamaha é a segunda a retornar as atividades no Brasil, depois da Harley-Davidson
Divulgação
Fábrica da Yamaha é a segunda a retornar as atividades no Brasil, depois da Harley-Davidson

Depois da Harley-Davidson, a Yamaha anuncia que retomará hoje (30) as atividades na fábrica de Manaus (AM). Por causa da pandemia de coronavírus, as montadoras de motos estavam com a produção suspensa desde março. A marca norte-americana, por sua vez, completa a sua primeira semana cheia (tirando o feriado desta sexta) de volta aos trabalhos. Ambas afirmam adotar medidas de proteção para os funcionários no combate ao novo coronavírus.

LEIA MAIS: Yamaha Fazer 250 2021 ganha visual da nova MT-03

A Yamaha disse que está tomando "medidas necessárias à prevenção do Coronavírus e à preservação da saúde de seus colaboradores, recomendadas pelas autoridades". Entre as ações para a retomada, a empresa disponibilizará máscaras higienizadas, álcool gel e medição de temperatura para todos os que frequentam as áreas comuns de sua fábrica.

LEIA MAIS: Veja dicas de manutenção da moto para quem está rodando mais na quarentena

Honda
Divulgação
Fábrica da Honda, a maior de Manaus, prorrogou o retorno das atividades para 18 de maio

Também haverá o aumento de rotas dentro da fábrica, limitando a 50% de sua ocupação, além de redução de 50% no número de pessoas ao mesmo tempo no refeitório. Além disso, a empresa aumentará a mão de obra da equipe de saúde e de limpeza e mudará horários operacionais visando evitar aglomerações. Quem tiver alguma atividade que não esteja diretamente ligada à produção, continuará em home office.

LEIA MAIS: Harley-Davidson lembra dos cuidados com a moto que ficará parada na quarentena

Principal montadora do país, com quase 80% do mercado, a Honda anunciou a suspensão temporária dos contratos de 6,5 mil trabalhadores em sua fábrica de motos . Essa medida será válida por no máximo 60 dias, mas a fabricante planeja retorno às atividades em 18 de maio.

A BMW, por sua vez, programou o retorno da produção para 4 de maio. Juntas, Honda, Yamaha , BMW e Harley-Davidson têm mais de 94% do mercado brasileiro. A Kawasaki, por outro lado, disse que está trabalhando em "escala reduzida".

    Veja Também

      Mostrar mais