Tamanho do texto

Versão esportiva da Renault Sport tem preparação caprichada dos chefs franceses, mas sem custar muito

Fazia tempo que não apareceria um hatch com uma pegada realmente esportiva no Brasil e preço acessível.  A Renault tomou a iniciativa ao aproveitar a tradição da divisão Sport, criada em 1976, colocando seus engenheiros franceses para trabalhar em uma saborosa receita apimentada no Sandero RS, versão vendida por apetitosos R$ 62.510 já com as belas rodas de aro 17. Portanto, esqueça tudo o que já sabe sobre o Sandero . O RS é um carro que merecia até um outro nome.

Como todo esportivo de verdade, porém, não há como fugir de alguns itens que podem causar certo desconforto no dia a dia, como a suspensão mais firme, que não consegue absorver bem as irregularidades do piso, mas, em contrapartida, garante uma inclinação da carroceria nas curvas 32% menor que na versão Dynamique 1.6 . E o pacote de mudanças estruturais foi completo, inclusive nos freios, que receberam novos componentes que resistem bravamente ao superaquecimento, mesmo com uma tocada mais animada.

LEIA MAIS: Renault Sandero GT Line: esportivado com jeito modesto

Preparacão do chef, bem temperada

Renault Sandero RS vem com lanternas  traseiras fumês
Divulgação
Renault Sandero RS vem com lanternas traseiras fumês

 A receita dos chefs da Renault Sport também incluiu um tempero especial no sistema de escapamento, com dupla saída e que é capaz de mudar de ronco com o acionamento da tecla R.S no painel, que também deixa o acelerador mais sensível com a mudança no mapeamento da central eletrônica do motor. Se o juízo deixar, também é possível desligar o controle eletrônico de estabilidade deixando apertada o botão com alguns segundos.

Por falar em motor, trata-se de um 2.0 flex, de 150 cv com uma pitada de pimenta e que funciona em conjunto com o câmbio manual de seis marchas, com relações e engates curtos, como todo autêntico esportivo. Como há boa dose de torque (20,9 kgfm a 4.000 rpm), dá para pular de quarta para sexta sem perder muita agilidade no trânsito e com ganhos no consumo e nível de ruído. 

LEIA MAIS: Renault confirma novo Fluence e picape Alaskan para 2016

Até mesmo o sistema de direcão é diferente no RS em relação às demais versões do Sandero . Tem assistência eletrohidráulica e ajuste tão apetitoso quanto os pratos do famoso chef Alain Ducasse. Consegue ser comunicativa em velocidade, transmitindo segurança e o que acontece entre os pneus e o asfalto. Para dar um toque de sofisticação, instalaram o volante revestido de couro do Clio RS europeu, com costuras vermelhas e com os comandos do piloto automático e do Bluetooth.

Renault Sandero RS
Divulgação
Renault Sandero RS

Faltaram apenas alguns detalhes, como os vidros elétricos sem o comando do tipo “um toque”, o que acaba obrigando a apertar os botões das janelas até fecharem completamente. Mas não se esqueceram de instalar bancos com largos apoios laterais, faixas que remetem aos modelos de competição e com a inscricão R.S nos encostos de cabeça. Ok, não são autênticos modelos da Recaro, como os que instararam em modelos como Gol GTI e Kadett GS , no início dos anos 90, mas bem melhores que o de esportivados que foram lançados ultimamente.

Bom também é que a central multimídia vem de série, funciona bem com qualquer celular e conta com GPS. Também não está entre as que têm melhor resolução de tela, nem a velocidade mais alta de processamento, mas conta com um pacote suficiente de recursos para não decepcionar. Além disso, o RS tem o bom espaço do Sandero , tanto para os cinco ocupantes quanto no porta-malas, de 320 litros.

Entre os rivais, o RS tem o Peugeot 208 GT , que tem motor 1.6 turbo flex, de 173 cv, mas custa R$ 79.490, uma diferença de consideráveis R$ 16.980, afora o acerto mais voltado ao uso cotidiano do GT do que para quem pode, até, levar o carro para um track day, o que acontece com o RS .

Ficha Técnica

Preço: R$ 62.509 (com as rodas de aro 17 opcionais)

Motor: 2.0, quatro cilindros, flex, 

Potência: 150 cv a 5.750 rpm

Torque: 20,9 kgfm a partir de 4.000 rpm

Transmissão: Manual, de seis marchas, tração dianteira

Suspensão:Independente (dianteira) / eixo de torção (traseira)

Freios: Discos ventilados na dianteira e sólidos na traseira

Pneus: 205/45 R17

Dimensões: 4,07 m (comprimento) / 1,73 m (largura) / 1,50 m (altura), 2,59 m (entre-eixos)

Tanque : 50 litros

Consumo: 8,3 km/l (cidade) /10,8 km/l (estrada) com gasolina

0 a 100 km/h: 8 segundos

Vel. Max: 202 km/h

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.