Tamanho do texto

Sedã médio é um dos dois únicos da categoria com a combinação do motor turbo com câmbio manual, de seis marchas. Parte de R$ 75.590

Citroën C4 Lounge Origine THP tem rodar confortável e bom desempenho, mas faltou capricho, principalmente por dentro
Divulgação
Citroën C4 Lounge Origine THP tem rodar confortável e bom desempenho, mas faltou capricho, principalmente por dentro

Na briga entre os sedãs médios, o Citroën C4 Lounge é um dos dois modelos disponíveis com motor turbo e câmbio manual. O outro é o Volkswagen Jetta TSI 1.4. Mas essa combinação, que favorece o caráter esportivo, tem uma participação bem pequena nas vendas, já que a maioria prefere o conforto da caixa automática. De qualquer forma, para quem não se incomoda em ficar trocando de marcha no dia a dia, o sedã da marca francesa ainda tem outro atrativo: o preço.

LEIA MAIS: Citroën C4 Lounge recebe versão especial S THP por R$ 86.740

A versão mais em conta do Citroën , Origine THP sai por R$ 75.590, o que é menos que os R$ 80.741 do modelo da fabricante alemã. E a diferença de valores aumenta mais ainda se for considerar o que custam as versões básicas dos líderes do segmento (R$ 91.890 do GM Cruze LT, R$ 90.990 do Toyota Corolla GLi e R$ 87.900 do Honda Civic Sport).

Mas, por outro lado, o Citroën fica devendo alguns equipamentos que a maioria das versões básicas tem. Já começa pela falta de uma central multimídia moderna. Existe apenas uma antiquada tela com grafismo laranja usado nos modelos da PSA desde a década passada, como o 307 e o C4 Pallas. Além disso, o carro não vem com itens como câmera de ré, ar-condicionado digital, freio de estacionamento elétrico e volante revestido de couro. No caso da tela, outro agravante é que o quadro de instrumentos vem com iluminação de outra cor: branca. O que dá idéia de improviso e despojamento com a questão do design interno do carro. 

LEIA MAIS: Honda Civic Touring vale mesmo os R$ 124.900? Confira na avaliação

De fato, a versão Origine THP é simples se comparada à maioria dos rivais. O volante não tem boa empunhadura, vem sem revestimento e é maior do que o ideal. O desenho do painel é de bom gosto, mas há partes de plastico rígido no console central, cujos botões são um tanto confusos. Mas a curta alavanca do câmbio de seis marchas está bem posicionada e tem engates fáceis na maioria das vezes. Além disso, favorece uma tocada mais animada, já que é o motorista que determina quando vai trocar de marcha ou fazer uma redução.

Relação custo/desempenho

O motor é o famoso 1.6 THP Flex, de 173 cv, desenvolvido em conjunto entre o Grupo PSA e a BMW
Divulgação
O motor é o famoso 1.6 THP Flex, de 173 cv, desenvolvido em conjunto entre o Grupo PSA e a BMW

 Está aí, no fator desempenho, o grande atrativo do C4 Origine THP. Trata-se do sedã médio com melhor relação entre custo e disposição para acelerar. Conforme os números da fabricante, a aceleração de 0 a 100 km/h é feita em apenas 9,1 segundos, com máxima de 215 km/h, nada mau. Mas, bem que a posição de dirigir poderia ser um pouco mais baixa. E senti falta também de apoios mais largos nos bancos de tecido, para ajudar a segurar o corpo nas curvas. A falta de precisão dos instrumentos digitais também atrapalha um pouco, mas assim que o motor 1.6 turbo flex, de 173 cv, passa dos 1.500 rpm, basta acelerar que o carro responde com vigor.

LEIA MAIS:  Honda Civic topo de linha, ou um dos seus 10 rivais dem preço. Veja comparativo

Não há como negar que o sedã anda bem. Pise no acelerador e vai ouvir até um discreto sibilar da turbina em ação. Sim, existe um certo atraso para a sobrealimentação começar a fazer efeito, que começa a partir dos 1.500 rpm. Depois disso, a agilidade está garantida, o que significa ultrapassagens sempre ágeis e com boa margem de segurança. Com rodas de aro 16 montadas em pneus 205/55R, o C4 Origine THP consegue aliar certo conforto com boa estabilidade. E os freios a disco nas quatro rodas dão conta do recado.

O bom espaço interno do C4 THP é outro atrativo do carro. Cinco adultos se acomodam sem aperto (com saídas do ar-condicionado para o banco traseiro), bem como duas respectivas bagagens no porta-malas de 40 litros. Ponto positivo também para a área envidraçada, que ajuda a manter boa visibilidade, inclusive pelo ângulo de visão dos grandes retrovisores, que podem atrapalhar em vagas apertadas, mesmo dobrados. Como se trata de uma versão simples, faróis e lanternas não vêm com LED, mas há luzes de neblina, tanto dianteiras quanto traseiras.

O carro  é o sedã com melhor desempenho por menos dinheiro possível que você vai encontrar no mercado hoje em dia. Mas faltam equipamentos, um pouco de capricho e também é bom ficar atento à questão da desvalorização. Se é o tipo de pessoa que não liga para estas questões e quer um sedã que ande bem e custe pouco, vale a pena dar uma olhada neste Citroën, que é apenas o sétimo modelo mais vendido do segmento no acumulado dos três primeiros meses do ano, atrás de VW Jetta, Ford Focus Fastback, Nissan Sentra, GM Cruze, Honda Civic e Toyota Corolla.

Ficha Técnica

Preço:  a partir de  R$ 75.590

Motor: 1.6, 16V, quatro cilindros em linha,  turbo

Potência: 173 cv a 6.000 rpm

Torque: 24,5 kgfm a 1.400 rpm

Transmissão: Manual, seis marchas, tração dianteira

Suspensão: Independente, McPherson (dianteira)/ eixo de torção (traseira)

Freios: Discos ventilados (dianteiros) / discos sólidos (traseiros)

Pneus: 205/55 R16

Dimensões: 4,62 m (comprimento) / 1,79 m (largura) / 1,50 m (altura), 2,71 m (entre-eixos)

Tanque : 60 litros

Porta-malas: 450 litros

Consumo (gasolina): 10,5 km/l (cidade) / 13,2 km/l (estrada) 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.