VW Nivus
Guilherme Menezes/iG
VW Nivus é um pouco mais baixo e estreito que os rivais. Por isso pode ser considerado um crossover, que combina SUV com cupê

Agora que os utilitários esportivos já são maioria do mercado no Brasil, com 38,3% das vendas em julho, conforme os números da Fenabrave (Federação dos Distribuidores de Veículos), o que não falta é opção no segmento. Existem até os "não SUVs", aqueles modelos que estão mais para o lado dos crossovers, como o novo VW Nivus, o Citroën C4 Cactus, entre outros.

Mesmo assim, vale comparar o VW Nivus com alguns dos principais rivais, como a versão 1.0 automática do Chevrolet Tracker. Pela imagem dos três carros acima já dá para notar que tanto o GM quanto o Honda são mais altos que o VW, com ares de cupê.

E isso tem suas vantagens, como o comportamento de um hatch, o que implica em boa estabilidade nas curvas, mesmo com vão livre do solo até mais alto que o do Tracker e compatível com o do HR-V (17,6 cm, ante ‎15,7 cm e 17,7 cm, respectivamente).

Outra sacada do VW Nivus fica por conta do preço, que parte de R$ 8‎5.890 na versão Comfortline, sem a nova central multimídia VW Play , oferecida como opcional em um pacote que custa R$ 3.520 extras e inclui sistema autônomo de frenagem de emergência, controle de velocidade de cruzeiro adaptativo e volante de couro multifuncional com hastes para trocas de marcha. Com esses itens, o carro passa a custar R$ 89.410, que ainda é menos que os R$ 89.900 sugeridos pela GM pelo Tracker 1.0 turbo automático.

E o Honda HR-V EX, mesmo sendo a versão mais em conta, fica como o mais caro dos três, partindo de R$ 101.700. O SUV da marca japonesa já está prestes a ter a nova geração apresentada o Japão, no ano que vem, quando passará a ter versão híbrida entre várias outras novidades.

Com as portas traseiras de maçanetas embutidas nas colunas, o HR-V é outro SUV que lembra um cupê. Quando chegou ao Brasil, há cinco anos, teve algumas inovações para o segmento, como o freio de estacionamento elétrico, que os dois rivais da VW e GM não têm.

Então, a briga mais acirrada fica entre o Nivus e Tracker, ambos com motor 1.0 turbo, de três cilindros. Se a questão do desempenho é importante para você, veja com bons olhos o modelo da VW. Dos três, é mais ágil, ao acelerar de 0 a 100 km/h em 10 segundos cravados, ante 10,9 segundos do GM e 11,2 s do Honda.

O que ajuda no fôlego do VW é o bom nível de força desde as primeiras marcações do contagiros. São 20,4 kgfm a meros 2.000 rpm, contra 16,8 kgfm do Tracker e 17,4 kgfm do HR-V, que ainda vem com motor 1.8 vindo do Civic da geração anterior à atual.

No VW Nivus, além de mais fôlego, o carro vem com hastes atrás do novo volante de três raios para trocas sequenciais. Bom também é que há freios a disco nas quatro rodas, item que o HR-V também tem, mas não o Tracker, que conta apenas com tambores, o que aumenta o risco de fadiga em caso de uso mais severo, como em descidas de serra. Por outro lado, a visibilidade através do vidro traseiro do VW fica limitada, embora a dos retrovisores seja boa. Entretanto, nesse aspecto, Tracker e HR-V são melhores.

A Volkswagen fez bastante alarde com a nova central multimídia VW Play. De fato, a tela de 10,1 polegadas tem boa resolução e existem alguns aplicativos interessantes a bordo, mas sem o sinal de internet do celular nada funciona. No Tracker, o 4G é nativo. E a central multimídia da GM continua sendo a melhor entre os carros nacionais hoje em dia. No caso da Honda, fica clara a desfasagem em relação aos outros rivais, o que deverá ser resolvido na próxima geração.

No quesito espaço interno, a distância entre-eixos de Nivus e Tracker é a mesma (2,‎57 m), mas o porta-malas do Volkswagen é um pouco maior (415 litros, ante 393 litros do GM). Porém, do trio, o Honda HR-V continua sendo o mais espaçoso, com 2,61 m de entre-eixos e 437 litros para levar a bagagem. No GM, o destaque fica por conta das duas entradas USB para quem vai sentado no banco traseiro, contra apenas uma do VW.

Mas os sinais de que o tempo passou muito depressa para o modelo da marca japonesa aparecem com detalhes como a ausência de velocímetro digital, o que é cada vez mais necessário com tantos radares espalhados pelas vias hoje em dia.

E quando o assunto é economia de combustível o Tracker fica um pouco na frente do Nivus, conforme os dados do Inmetro. Faz 11,9 km/l de gasolina na cidade e 13,7 km/l na estrada, ante 10,7 km/l e 13,2 km/l do Nivus e 11 km/l e 12,3 km/l do HR-V. A vantagem do GM continua com etanol, com 8,2 km/l em trechos urbanos e 9,6 km/l em rodoviários, contra 7,7 km/l e 9,4 km/l do VW e 7,7 km/l e 8,6 km/l do Honda.

Conclusão
O VW Nivus sai com uma vitória apertada diante do rival Chevrolet Tracker pela relação entre custo e benefício um pouco mais favorável, além de melhor desempenho e estilo. Mas o GM continua com a melhor central multimídia e gastando menos combustível. E o Honda espera a nova geração para entrar no pareo com mais força.

Ficha técnica

VW Nivus

Preço: a partir de R$ 8‎5.890 

Motor: 1.0, quatro cilindros, flex, turbo

Potência: 128 cv (E) / 116 cv (G) a 5.500 rpm

Torque: 20,4 kgfm a 2.000 rpm

Transmissão: Automático, seis marchas, tração dianteira

Suspensão: Independente, McPherson (dianteira) / eixo de torção (traseira)

Freios: Discos ventilados (dianteiros) / sólido (traseiros)

Pneus: 205/55 R16

Dimensões: 4,27 m (comprimento) / 1,75 m (largura) / 1,49 m (altura), 2,57 m (entre-eixos)

Tanque: 52 litros

Porta-malas: 415 litros

Consumo gasolina: 7,7 km/l (cidade) / 9,4 km/l (estrada), com etanol e 10,7 cidade e 13,2 km/l na estrada, com gasolina

0 a 100 km/h: 10 segundos

Velocidade máxima: 189 km/h

Honda HR-V EX

Preço: a partir de R$ 101.700

Motor: 1.8, quatro cilindros, flex

Potência: 139 cv (G) / 140 cv (E) a 6.300 rpm

Torque: 17,3 kgfm (G) / 17,4 (E) a 5.000 rpm

Transmissão: automática, CVT, simula 7 marchas, tração dianteira

Suspensão: Independente, McPherson (dianteira) / eixo de torção (traseira)

Freios: Discos ventilados (dianteiros) / discos sólidos (traseiros)

Pneus: 215/55 R17

Dimensões: 4,33 m (comprimento) / 1,78 m (largura) / 1,59 m (altura), 2,61 m (entre-eixos)

Tanque: 51 litros

Porta-malas: 437 litros

Consumo etanol: 7,7 km/l (cidade) / 8,6 km/l (estrada)

Consumo gasolina: 11 km/l (cidade) / 12,3 km/l (estrada)

0 a 100 km/h:11,2 segundos

Velocidade máxima: 175 km/h

Chevrolet Tracker 1.0 LT


Preço: a partir de R$ 89.900

Motor: 1.0, três cilindros, flex

Potência: 116 cv a 5.500 rpm

Torque: 16,8 kgfm a 2.000 rpm (E) / 16,3 kgfm a 2.000 rpm (G)

Transmissão: Automático,  seis matchas, tração dianteira

Suspensão: Independente, McPherson (dianteira) / Eixo de torção (traseira)

Freios: Discos ventilados (dianteiros) / tambor (traseiros)

Pneus: 215/60 R16

Dimensões: 4,27 m (comprimento) / 1,79 m (largura) / 1,62 m (altura), 2,57 m (entre-eixos)

Tanque: 44 litros

Porta-malas: 393 litros

Consumo etanol: 8,2 km/l (cidade) / 9,6 km/l (estrada)

Consumo gasolina: 11,9 km/l (cidade) / 13,7 km/l (estrada)

0 a 100 km/h: 11,2 segundos

Vel. Max: 175 km/h

    Veja Também

      Mostrar mais