Nissan Kicks Sense MT: versão mais em conta vem com calotas plásticas de aro 16 presas por parafusos
Divulgação
Nissan Kicks Sense MT: versão mais em conta vem com calotas plásticas de aro 16 presas por parafusos

Quer um SUV compacto com câmbio manual que não passe muito dos R$ 100 mil? Então é bom não demorar para ir atrás do Nissan Kicks Sense 1.6 manual (R$ 109.290), que junto com o Renault Duster Zen (R$ 100.290) são os únicos do segmento com esse tipo de transmissão, já que os rivais VW T-Cross (R$ 109.590) e Chevrolet Tracker (R$ 113.490) passaram a ser apenas automáticos a partir da linha 2022.

Com o lançamento da linha 2022, em fevereiro do ano passado, o Nissan Kicks passou a ter aspecto mais moderno, como a frente reestilizada e os retoques na traseira, que ganhou uma barra entre as lanternas. Mas, na versão mais em conta Sense , manteve as calotas plásticas de aro 16 com o mesmo desenho antes das mudanças. Por dentro, a principal evolução fica por conta da central multimídia que foi incluída entre os itens de série.

O jeito simples do Kicks Sense também é notado pelos bancos de tecido, embora com costura aparerente e de bom gosto. E, claro, pela avalanca do câmbio manual de cinco marchas, algo quase em extinção entre os SUVs compactos atualmente. Porém, para quem não liga de trocar de marcha , mesmo no anda e para do trânsito congestionado, o modelo da Nissan pode ser uma boa pedida.

Isso porque, para começar, as relações de marcha se mostram bem escalonadas e tem engates fáceis e precisos. A sensação de estar no comando ajuda nas ultrapassagens, aproveitando a certa leveza do SUV da marca japonesa, que pesa 1.104 kg, o que dá uma relação entre peso e potência de razoáveis 9,7 kg/cv, o que contribui com o desempenho , mesmo sem muito fôlego debaixo do capô.

São modestos 15,5 kgfm a altos 4.000 rpm,mas esticando as marchas é possível acelerar de 0 a 100 km/h em 11,3 segundos, um pouco antes dos 11,8 s da versão equivalente com caixa automática CVT . Na questão do consumo, porém, no cômputo geral, a versão manual acaba gastando um pouco mais, levando em conta os dados do Inmetro.

Com gasolina, o Kicks manual pode fazer 10,9 km/l na cidade e 12,7 km/l na estrada, ante 11,3 km/l e 13,6 km/l da automática, respectivamente. Apenas com etanol, em trechos urbanos, é que o SUV com caixa manual gasta um pouco menos, com 7,8 km/l contra 7,6 km/l da CVT . Nas rodovias, o automático dá o troco (9,3 km/ ante 8,9 km/l).

Em ambos os casos, lamenta-se o pequeno tanque de combustível de 41 litros, que acaba prejudicando a autonomia, que não passa de 365 km com etanol e 521 km com gasolina, sempre na estrada e ainda de acordo com dados do Inmetro.

Interior simples, pero no mucho

Nissan Kicks Sense com câmbio manual vem com central multimídia entre os principais itens de série
Divulgação
Nissan Kicks Sense com câmbio manual vem com central multimídia entre os principais itens de série

Se a ideia é levar cinco pessoas e mais bagagem, provavelmente, não faltará espaço. Há como ficar bem acomodado e o motorista tem boa posição para dirigir, além de visibilidade suficiente para guiar com segurança, inclusive pelos retrovisores. Ponto positivo também para a direção com assistência elétrica, que funciona com suavidade e silêncio, o que faz parte do pacote que torna o Kicks um carro agradável de dirigir.

Porém, o carro realmente transmite a ideia de simplicidade por uma série de detalhes, entre os quais os pequenos botões no volante , que não vem com revestimento. Também falta faixa degrade no para-brisa, há vários componentes de plástico no interior e nenhum efeite cromado.

Embora a Nissan tenha incluído ancoragem ISOFIX para cadeiras infantis nos bancos traseiros, entre os itens de segurança passiva estão incluídos apenas dois airbags, o mínimo exigido por lei hoje em dia para os carros novos fabricados no Brasil.

Pelo menos, há cintos de três pontos e encostos de cabeça para todos os cinco ocupantes. Mas será preciso de contentar com os singelos freios a tambor na traseira, que aumentam as chances de apresentarem fadiga quando mais exigidos, como em trecho de serra.

Conclusão

Ainda não se sabe por quanto tempo a Nissan vai manter a versão manual do Nissan Kicks , já que que os principais rivais agora são encontrados apenas com caixa automática. A principal vantagem do manual é estar no comando das trocas e ganhar um pouco de agilidade na hora de acelerar.

A diferença de preço entre as duas versões (manual e automática) do Kicks é de R$ 9.900, que não chega a ser um valor desprezível, ainda mais em tempos de crise econômica.

Ficha Técnica

Leia Também

Leia Também

Preço: a partir de R$ 109.290

Motor: 1.6, quatro cilindros, flex

Potência: 114 cv a 5.600 rpm

Torque: 15,5 kgfm a 4.000 rpm

Transmissão: Manual, cinco marchas, tração dianteira

Suspensão:Independente (dianteira) e eixo de torção (traseira)

Freios: Discos ventilados na dianteira e tambores na traseira

Pneus: 205/60 R16

Dimensões: 4,31 m (comprimento) / 1,76 m (largura) / 1,59 m (altura), 2,61 m (entre-eixos)

Tanque : 41 litros

Porta-malas: 432 litros

Consumo: 10,9 km/l (cidade) /12,7 km/l (estrada) com gasolina e, com etanol, 7,8 km/l na cidade e 8,9 km/l na estrada

0 a 100 km/h: 11,3 segundos

Vel. Max: 173 km/h

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários