Modelos eletrificados apresentaram crescimento de quase 78% no primeiro quadrimestre de 2022
Divulgação
Modelos eletrificados apresentaram crescimento de quase 78% no primeiro quadrimestre de 2022

Está em trâmite no Senado Federal o projeto de Lei (PL) 403/2022 de autoria do Senador Irajá (PSD/TO) que busca zerar o imposto de importação sobre veículos elétricos e híbridos até 31 de dezembro de 2025.

Atualmente no Brasil os carros elétricos possuem valor muito elevado, com o mais barato disponível custando R$ 142.990. Porém, um relatório da Bloomberg New Energy Finance de 2021 apontou que a tendência é que os veículos híbridos e elétricos se tornem mais baratos que os movidos a combustão até 2027.

Para justificar o PL, o Senador utiliza o argumento de que o órgão executivo da União Europeia propôs a proibição da venda de veículos novos com motores a combustão a partir de 2035, e que estados norte-americanos como Nova Jersey e Califórnia também estudam adoção de leis nesse sentido.

O Senador ainda diz que o Brasil não pode ficar de fora da nova forma de mobilidade que substituirá o combustível fóssil pelo renovável, e que o país é um grande produtor de energia limpa como etanol, solar e eólica.

Para Fábio Pizzamiglio, diretor da Efficienza, empresa especializada em negócios internacionais , a proposta pode trazer pontos positivos, mas ainda será necessário acompanhar a variação dos preços dos insumos de produção.

“Por mais que tenhamos uma diminuição nos impostos no produto final, que é uma ação muito bem-vinda, ainda precisamos nos atentar ao mercado. Lembrando que ainda vivemos uma crise de semicondutores que afeta diretamente essa indústria”, declarou o executivo.

Segundo da Associação Brasileira do Veículo Elétrico (ABVE), somente no primeiro trimestre deste ano houve aumento de 115% na venda de automóveis elétricos no país.

Diversas empresas trabalham para melhoria da infraestrutura para receber os carros elétricos no Brasil
Divulgação
Diversas empresas trabalham para melhoria da infraestrutura para receber os carros elétricos no Brasil

“A maior parte desses veículos é fruto de importação. Ainda não temos a fabricação massiva desse tipo de automóvel no país. Por esse motivo, a medida de forma emergencial pode ser algo essencial para o crescimento do setor”, afirma Pizzamiglio.

Mas a proposta realmente poderá ter um efeito positivo? Segundo Ricardo David, sócio-diretor da Elev Mobility, empresa que trabalha com soluções para o ecossistema do carro elétrico , a medida poderá ser positiva em curto prazo. Porém ainda é necessário aumentar a produção interna dos veículos eletrificados e investir na estruturação do Brasil em longo prazo.

“Em um período maior, para termos uma real diminuição nos valores desses automóveis, precisamos aumentar a nossa produção nacional . Não somente dos veículos em si, mas de outros elementos essenciais para a produção desses modelos como baterias, por exemplo”, explica o executivo.

A busca pela diminuição dos impostos de importação desses automóveis não é uma ideia nova. Em 2020, a Câmara dos Deputados aprovou medida similar, o projeto de Lei 5308/20. Além disso, em 2016 o Governo Federal chegou a reduzir o tributo para estimular o consumidor brasileiro a adquirir um carro movido a energia limpa.

Porém, até o momento não houve impactos significativos no preço dos automóveis elétricos vendidos no país, principalmente por culpa da pandemia da covid-19, que afetou mercados produtores e paralisou a produção em inúmeros países.

Segundo as informações do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) , em todos os estados do Brasil há automóveis eletrificados, com uma grande concentração no sudeste, principalmente nos estados de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários