Lobista tinha na garagem um raríssimo Corvette Sting Ray, de 1963, Alfa Romeo Spider, Porsche 911 SC Targa e outros.

Chevrolet Corvette Sting Ray Split Window
Divulgação
Chevrolet Corvette Sting Ray Split Window

Não estranhe o fato de falarmos de política e Lava Jato aqui no iG Carros . Tem um bom motivo para isso. A Polícia Federal prendeu o engenheiro Zwi Skornicki, um dos operadores do esquema de corrupção durante a chamada Operação Acarajé. Na casa do lobista, na Barra da Tijuca (Rio de Janeiro), foi encontrada uma coleção impressionante de carros clássicos, muitos com placa preta.

Começando com um Chevrolet Corvette Sting Ray C2 1963 , vermelho, o mais raro da coleção, da foto acima. Trata-se da versão Split Window, produzida apenas em 1963, com motor 5.2 Small Block V8, de 304 cv. É difícil de achar um, mesmo nos EUA . Uma unidade reformada, em perfeito estado, foi vendida recentemente no mercado americano por US$ 115 mil.

Alfa Romeo Spider 1971
Divulgação
Alfa Romeo Spider 1971

Na coleção de Skornicki, também estava um Alfa Romeo Spider 1971 (pode chegar a mais de R$ 70 mil). O conversível italiano foi fabricado por mais de três décadas com poucas mudanças, tanto no desenho (feito pelo renomado studio Pininfarina) quanto na parte mecânica. Leve e com motor 2.0, de duplo comando no cabeçote, o carro ficou conhecido entre os colecionadores pela boa agilidade.

Mercedes-Benz SL280
Divulgação
Mercedes-Benz SL280


Dois roadsters da Mercedes-Benz  são outras duas raridades na lista. O 280SL  "Pagoda" (estimado em R$ 320 mil) e um SL500 dos anos 70 (vale cerca de R$ 150 mil). O primeiro é famoso pela capota de formato côncavo e por ter sido o pioneiro com injeção de combustível (mecânica). Tem várias partes de alumínio, que ajuda a conservar a carroceria e a melhorar o desempenho do carro.

Mercedes-Benz SL500
Divulgação
Mercedes-Benz SL500

O SL500 faz parte de uma série feita entre 1972 e 1989 que  ficou marcada por ter sido feita com uma pintura mais resistente à ferrugem e pelo potente motor V8 5.0, capaz de render mais de 200 cv.

Porsche 911 SC 1978
Reprodução
Porsche 911 SC 1978

Para completar o time de clássicos alemães, destaca-se um Porsche 911 SC Targa 1978 (valor mínimo de R$ 170 mil). Era o “Super Carrera”, com motor 3.0, de 180 cv, com injeção K-Jetronic.

Chevrolet Bel Air 1955
Reprodução
Chevrolet Bel Air 1955

O lobista tinha alguns sedãs também. Havia um Chevrolet Bel Air 1955 (R$ 70 mil), que passou por uma preparação. O modelo foi produzido em série de 1953 a 1975. O acabamento caprichado está entre as principais qualidades do carro, que continuou em produção no Canadá até 1981.

Rolls-Royce Corniche
Divulgação
Rolls-Royce Corniche

A dupla de luxo, Rolls-Royce Corniche (pode chegar a R$ 390 mil) e Bentley Turbo R (vale cerca de R$ 300 mil) também aparece na lista. O primeiro é a versão conversível do Silver Shadow , que estreou a estrutura monobloco entre os carros da aristocrática marca inglesa. Foi feito entre 1965 e 1995.

Bentley Turbo R
Divulgação
Bentley Turbo R

O Bentley é um sedã de 5,37 metros, com motor V8, turbo, e um interior tão confortável que mais se parece uma sala de estar. E o acabamento é digno da realeza britânica, com painel revestido de madeira nobre e couro do primeira linha. 

Volkswagen Kombi Last Edition
Divulgação
Volkswagen Kombi Last Edition

Curiosamente, uma Volkswagen  Kombi Last Edition (cotada em torno de R$ 70 mil) foi encontrada pela Polícia Federal. Faz parte da derradeira série de 1.200 unidades feitas pelas Volkswagen do Brasil com vários itens exclusivos, como rádio digital, faixa branca nos pneus, pintura de dois tons, entre outros. 

Normalmente, itens apreendidos em operações como a Acarajé são leiloados para que o dinheiro ajude a cobrir o rombo que foi causado pelos desvios de verba. Como a Operação Lava Jato ainda está se desenrolando e deve levar muito tempo para chegar a uma conclusão, vai levar um bom tempo até que a Justiça Federal libere a venda desses carros.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.