Mantendo o motor 1.4 turbo, nova versão viria para bater de frente com o Toyota Corolla XRS. Confira o que mudou

Chevrolet Cruze  2019: de diferente, apenas as rodas e insígnia na grade frontal. Deverá chegar ao Brasil no ano que vem
Kleber Pinho da Silva
Chevrolet Cruze 2019: de diferente, apenas as rodas e insígnia na grade frontal. Deverá chegar ao Brasil no ano que vem

Imagens antecipando as mudanças do Chevrolet Cruze foram publicadas oficialmente pela marca no início do ano. Elas serão integradas ao modelo na América do Norte até o fim de 2018, chegando ao Mercosul em meados do ano que vem. É certo que o Cruze Sedan ganhará novas versões com pacotes estéticos diferenciados, entre as quais, a versão esportiva RS que bateria de frente com o Toyota Corolla XRS. O designer Kleber Pinho fez a projeção acima, imaginando como ficará a versão final do modelo.

LEIA MAIS: Segredo! Imagem revela lateral do VW T-Cross, sem qualquer disfarce

A projeção do Chevrolet Cruze Sedan RS segue uma lógica simples. As mudanças que foram apresentadas apenas na versão RS do hatchback foram integradas ao sedã, contando com as rodas diferenciadas e até a insígnia alusiva à nova categoria. O visual da reestilização do Cruze antecipado pela Chevrolet, por si só, já revela um lado mais agressivo na estética do modelo.

Visto de traseira, uma das únicas mudanças fica por conta dos retoques no desenho do para-choque
Kleber Pinho da Silva
Visto de traseira, uma das únicas mudanças fica por conta dos retoques no desenho do para-choque

A grade frontal ficou maior, ocupando uma parte mais protuberante de sua dianteira. Os mais atentos também poderão notar que os faróis de neblina ganharam novo desenho, bem como as entradas de ar na lateral do para-choque.

LEIA MAIS: Flagra! Pegamos o JAC S7 sem disfarces antes da estreia

Não espere por grandes mudanças no interior, onde ele contará apenas com novos revestimentos e sistema operacional da central multimídia que abandona o sistema MyLink. A partir de agora, a GM utilizará o nome Infotainment 3. O conjunto mecânico também continua o mesmo. Além do 1.4 turbo, movido apenas a gasolina, com 153 cv e torque de 24,7 mkgf, há uma versão 1.6 movida a diesel para o exterior. As mudanças ainda não foram confirmadas para o modelo vendido no Mercosul, fabricado na Argentina.

Sedãs médios renovados

Volkswagen Jetta 2019: porte de sedã grande, apostando também na queda do teto que proporciona aparência de cupê
André Jalonetsky/iG
Volkswagen Jetta 2019: porte de sedã grande, apostando também na queda do teto que proporciona aparência de cupê

Todas as marcas estão correndo para renovar seus sedãs médios, mesmo que o grande destaque do segmento seja apenas o Toyota Corolla. A Citroën, por exemplo, adoyou retoques no visual do C4 Lounge, mesmo que o conjunto mecânico continue o mesmo. Sua dianteira é a mesma do modelo que foi antecipado na China, contando também com novo cluster totalmente digital.

LEIA MAIS: Flagramos o SsangYong Rexton, novo rival do Chevrolet Trailblazer

Em janeiro, nossa redação esteve no gelado Salão de Detroit (EUA) para conhecer a nova geração do Volkswagen Jetta. O modelo fabricado no México já está confirmado para o Brasil, e será uma das atrações da marca no Salão do Automóvel, no São Paulo Expo, entre 8 e 18 de novembro. 

O Jetta continuará oferecendo a linha de motores turbo: 1.4 de 150 cv, bem como o potente 2.0, de 220 cv, para a versão esportiva. Os preços da novidade deverão ficar perto de R$ 100 mil, com um pacote de equipamentos bem recheado, incluindo teto solar. Como a versão mais cara do Virtus custa R$ 80 mil (mesmo preço do atual Jetta de entrada), a ideia é afastar um pouco o sedã para uma faixa superior, mas suficiente para manter uma boa briga com Toyota Corolla, Chevrolet Cruze e Honda Civic.

Fonte: Behance

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.