Em sua versão mais potente, sedã impressiona pela brutalidade do motor 3.0 V6 sobrealimentado de 340 cv

É bom ser mau ? Depende para quem você pergunta. Mas, no caso do Jaguar XE S , sim, é muito bom ser mau. Este sedã é a versão mais potente do novo carro de entrada da marca e é o equivalente a um bom vilão britânico: preciso, concentrado, um passo à frente dos outros, estiloso, com o som adequado, atento aos detalhes e obcecado por poder. Principalmente essa parte de poder.

Não consigo pensar em outra palavra para definir o XE S do que brutal. Seu poder não é para os fracos, pois basta um leve toque no acelerador para que o sedã dispare como um foguete, que deixaria qualquer inimigo do James Bond com inveja. Não é para menos. Seu motor é o 3.0 V6 sobrealimentado, o mesmo da versão de entrada do esportivo F-Type . Se eu disser que ele gera 340 cv a 6.500 rpm e 45,8 kgfm de torque a 4.500 rpm, você pode dizer que não é muito. Acredite, é mais do que suficiente. Graças ao compressor volumétrico e ao competente câmbio automático de oito marchas, a aceleração é muito rápida e forte. O dado de fábrica é 0 a 100 km/h em 5,1 segundos – e eu acredito. Como é esperado de um esportivo como esse, não é econômico, segurando o consumo em 7,2 km/l na cidade e 10,5 km/l na estrada, segundo o Inmetro.

É bom que tenha um novo coração tão feroz, pois é um novo Jaguar . Como diz outro comercial da marca, é hora de um novo chefe e quem vai puxar as vendas será o XE , enfrentando diretamente BMW Série 3, Mercedes-Benz  Classe C e Audi A4 . Essa versão em especial está sozinha no segmento, já que nenhuma das rivais oferece um modelo de potência ou valor equivalente. Antes que pergunte, um M3 custa R$ 439.950, valor muito acima dos R$ 316.260 cobrados para ter um XE S , sem contar que não é com ele que a Jaguar vai enfrentar os sedãs médios de alto desempenho, e sim com o futuro SVR.

Jaguar XE S
Divulgação/Jaguar Land Rover
Jaguar XE S

O novo chefe da Jaguar dita algumas regras. É o primeiro carro a utilizar a nova plataforma de alumínio, abandonando as velhas bases derivadas dos tempos que era controlada pela Ford.  Tem muito mais alumínio, a ponto de 75% do carro ser composto pelo metal. Com isso, pesa apenas 1.665 kg, outro motivo para ser tão ágil quando o motor resolve agir.

Parece exagero, mas a direção é tão boa que poderia ser um símbolo da precisão britânica. Mais ágil que um felino caçando sua presa, o XE S engole curvas e mudanças de faixa como facilidade, até mesmo no modo Eco, que o deixa um pouco mais manso. Mas só um pouquinho, pois ainda assim é muito mais agressivo do que qualquer carro nas ruas. Mudo o controle para o modo Dynamic e troco a transmissão para Sport. O motor ruge furiosamente, a suspensão fica ainda mais firme e a direção mais afiada. E eu apenas sorrio com a combinação, como se fosse Goldfinger prestes a matar James Bond.

A Jaguar continua acertando com o design. O XE tem linhas muito mais belas e bem resolvidas do que seus rivais, ainda mais considerando que ele perdeu um pouco da elegância do XF para dar um ar mais esportivo. Não é o melhor trabalho de Ian Callum, mas é o suficiente para chamar a atenção de qualquer um pelas ruas. Por dentro, temos muito dos outros carros da Jaguar Land Rover, como o seletor rotativo de marchas e o volante multifuncional.

Jaguar XE S
Divulgação/Jaguar Land Rover
Jaguar XE S

Como seus rivais, possui um visor heads-up display projetado no para-brisa. O aspecto mais bacana é como o painel forma uma linha só com as portas, dando uma sensação de que está em um cockpit de uma nave. O acabamento  preto e vermelho põe os pés no chão e lembra que não está no foguete Moonraker , e sim em um carro digno de alguém que vai dominar o mundo. A central multimídia cumpre o seu papel, com navegador GPS e a sempre útil função de mostrar a câmera traseira a qualquer momento.

Infelizmente, como é esperado de todo vilão, ele tem seus pontos fracos. No caso do XE S, a fraqueza é sua altura, ou melhor, a falta dela. São só 10,9 centímetros entre o chão e o carro, pouco menos na frente, tornando qualquer passeio complicado como dar uma volta de superesportivo. Não tem altura o suficiente para subir e descer com segurança a rampa da garagem da redação de iG Carros , e ela nem é tão íngreme assim. Lombadas e valetas? Fora de questão, vai raspar o belo bodykit dessa versão (isso se não quebrar). E o problema não é exclusivo do Brasil, alguns donos na Europa reclamam na internet sobre a frente baixa demais. Faltou um sistema de ajuste da suspensão, ou que pelo menos erguesse o nariz para encarar rampas.

O Jaguar XE S é feroz e competente em quase tudo o que faz. Se você mora em um lugar mais plano e está a fim de um sedã mais forte do que o normal, não tem como errar. Sua brutalidade vai conquistar na primeira pisada no acelerador. Vale considerar as versões abaixo, se quiser menos potência. Agora, se quiser mais adrenalina, vale a pena esperar pelo XE SVR , que deve contar com motor 5.0 V8 sobrealimentado de 500 cv.

Ficha Técnica
Preço R$ 316.260
Motor 3.0 V6 supercharged, gasolina
Potência 340 cv a 6.500 rpm
Torque 45,8 kgfm a 4.500 rpm
Transmissão  Automática de oito marchas, tração traseira
Suspensão Double Wishbone (dianteira) / multilink (traseira)
Freios Discos ventilados
Rodas 235/55 R17
Dimensões 4,67 m (comprimento / 1,85 m (largura) / 1,41 m (altura), 2,83 m (entre-eixos)
Tanque 66 litros
Consumo 7,2 km/l (cidade) /10,5 km/l (estrada)
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.