Tamanho do texto

Antes previsto para ser atingido em outubro próximo, feito do Bloodhound SSC depende de patrocinadores e do sistema de propulsão do bólido

Bloodhound SSC tentará atingir 1.609 km/h no deserto e bater o recorde mundial de velocidade na superfície
Divulgação
Bloodhound SSC tentará atingir 1.609 km/h no deserto e bater o recorde mundial de velocidade na superfície

O recorde mundial de velocidade na superfície terrestre deveria ser batido em outubro próximo, pelo protótipo Bloodhound SSC, mas o feito teve que ser adiado para meados de 2018. Isso porque depende de patrocínio e de mudanças no projeto do bólido, o que inclui o sistema propulsor, que ficará ainda mais potente. Estima-se que serão nada menos que 135 mil hp, o que é mais de seis vezes a potência de todos os carros de Fórmula 1 juntos no grid de largada.

LEIA MAIS: Última La Ferrari é arremadata pelo equivalente a R$ 24 milhões e bate recorde 

As fabricantes Geely e Jaguar já se comprometeram em contribuir com o projeto do recorde . A marca inglesa se tornou a parceira da parte técnica e entrou como fornecedora de alguns componentes, entre os quais um motor V8 que servirá como bomba de combustível para o Bloodhound SSC. Também entrará na empreitada uma empresa do ramo da tecnologia da informação e outra do mundo da moda, que vão ser anunciadas oficialmente em breve.

O atual recorde mundial de velocidade na superfície da Terra é de 1.227,667 km/h, que foi conseguido pelo piloto de caça de guerra, Andy Green, em 1997, ao volante do Thrust SSC. Ele também foi convocado para assumir o controle do Bloodhound SSC no dia em que vai tentar atingir nada menos que 1.609 km/h no Deserto de Kalahari, na África do Sul.  Para chegar a essa velocidade, vão usar uma turbina de avião Rolls-Royce EJ200, que será alimentada com peróxido de hidrogênio óxido, bombeado pelo V8 da Jaguar.

LEIA MAIS: Moto mais rápida do mundo, com motor V8 de 500 cv, vai a leilão

Mais sobre o Bloodhound SSC

Bloodhound SSC conta com turbina de avião da Rolls-Royce e tem nada menos que 135 mil hp de potência máxima
Divulgação
Bloodhound SSC conta com turbina de avião da Rolls-Royce e tem nada menos que 135 mil hp de potência máxima

O protótipo supersônico tem cerca de 13,4 metros de comprimento e pesa nada menos de 7,5 toneladas. Foi projetado numa combinação que reúne engenharia automotiva e aeronáutica. A estrutura frontal é feita de fibra de carbono e a traseira de metal. As rodas dianteiras ficam embutidas na carroceria, ao contrário das traseiras, expostas.

LEIA MAIS: Ferrari convoca Vettel para mostrar como se pilota um supercarro. Veja vídeo

O BloodHound SSC é o carro mais complexo fabricado até hoje. Quando estiver completamente pronto para bater o recorde mundial de velocidade na superfície,  o protótipo terá 3.500 componentes, sendo que vários deles foram projetados e fabricados com exclusividade. Entre eles estão as rodas de 36 polegadas de diâmetro, feitas de alumínio maciço forjado, que são capazes de suportar 50.000 G de força centrífuga e chegam a rodar até a 10.200 rpm.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.