Tamanho do texto

Seja pelo preço ou por ofertas melhores, estes são os carros ruins de venda. Conheça os modelos que estão no fim da vida e evite dores de cabeça

Dependendo do segmento, alguns carros dificilmente terão sucesso, por não se alinharem ao gosto do brasileiro. Em outros casos, o preço é tão alto que é possível comprar outro modelo de uma marca premium. Seja qual for o motivo, alguns automóveis são ruins de venda e raramente emplacam mais de 10 unidades por mês. Confira cinco exemplos de carros que vendem tão mal que logo devem deixar o Brasil.

LEIA MAIS:  Fim da produção do Volkswagen Fusca volta à tona na mídia internacional

Fiat 500

Emplacando cada vez menos, a Fiat logo deve deixar de trazer o pequeno 500 ao Brasil, uns dos carros ruins de venda
Divulgação/Fiat-Chrysler Automóveis
Emplacando cada vez menos, a Fiat logo deve deixar de trazer o pequeno 500 ao Brasil, uns dos carros ruins de venda

Sim, já falamos sobre o fim do Fiat 500 no Brasil, junto com mais alguns carros ruins de venda , como Linea, Bravo e Freemont . Só que, oficialmente, a fabricante diz que o subcompacto continuará a vir importado do México. A chance disto acontecer é mínima. O preço alto de R$ 56.900, aliado ao espaço diminuto e o conjunto mecânico complicado (tem versão com o antigo câmbio automatizado Dualogic) desanima. E, com a chegada do Argo, faltam argumentos para investir no pequenino. Está tão mal que emplacou 19 unidades desde janeiro. O site já marca como “preço indisponível”, indicando que finalmente deve sair de linha no Brasil.

Honda Accord

É difícil vender um Accord por R$ 162.500 sem que o cliente escolha um modelo de uma marca premium
Divulgação
É difícil vender um Accord por R$ 162.500 sem que o cliente escolha um modelo de uma marca premium

O sedã grande da Honda é um bom carro que sente o peso da idade e que disputa uma segmento com baixas vendas no Brasil. Reestilizado em 2016, ficou um pouco mais próximo da nova geração do Civic em equipamentos e conta com o  interessante motor 3.5 V6 de 280 cv. Só que emplacou 24 unidades em 2017. O motivo é simples: R$ 162.500, um valor muito alto para tentar emplaca-lo em uma categoria na qual os clientes preferem os carros alemães.

LEIA: O que as concessionárias de carros têm a aprender com as lojas da Apple e da Nespresso

JAC J6

Mesmo com um preço chamativo, a JAC J6 não consegue nem fazer cócegas na Chevrolet Spin
Divulgação
Mesmo com um preço chamativo, a JAC J6 não consegue nem fazer cócegas na Chevrolet Spin

As minivans compõem um segmento em crise. Com exceção da Chevrolet Spin, nenhum outro modelo tem bons resultados, com compradores que preferem partir para um SUV compacto. A JAC até tentou brigar com a GM com o J6, com preços bem agressivos – R$ 60.990 em uma versão bem complica, contra os R$ 58.890 da Spin mais básica. Emplacou 25 unidades até agora e, em maio, fechou o mês com apenas uma unidade vendida.

Toyota Camry

O sedã Toyota Camry é tão caro e emplaca tão pouco que não justifica a vinda da nova geração
Divulgação/Toyota
O sedã Toyota Camry é tão caro e emplaca tão pouco que não justifica a vinda da nova geração

Assim como o rival Accord, o Toyota Camry é penalizado pelo preço muito alto e a presença dos sedãs alemães. É vendido em versão única, por R$ 204.990, pouco mais de R$ 40 mil a menos do que um Audi A4 Ambition, BMW 328i M Sport e Mercedes-Benz C 300 Sport. Além disso, os clientes da marca japonesa evitam o modelo, que emplacou 14 unidades desde janeiro, pois a nova geração já foi apresentada nos EUA – embora não tenha previsão de chegar ao Brasil.

Volkswagen Touareg

O fim de vida do Volkswagen Touareg atual é difícil. A próxima geração está a caminho e ele custa muito caro
Divulgação
O fim de vida do Volkswagen Touareg atual é difícil. A próxima geração está a caminho e ele custa muito caro

Há poucos argumentos para justificar a compra de um Volkswagen Touareg. Há sete anos no mercado, tornou-se um dos modelos ruins de venda. Custa R$ 337.630 na versão V6 de 280 cv e R$ 402.744 no V8 de 360 cv. É praticamente o mesmo valor do Jaguar F-Pace na configuração topo de linha S, com motor 3.0 V6 Supercharged de 380 cv, atualmente vendido por R$ 406.300. Para piorar sua vida no Brasil, onde emplacou 15 carros desde janeiro, a nova geração será produzida a partir de novembro, com a apresentação oficial prevista para o Salão de Frankfurt (Alemanha), em setembro.

LEIA MAIS: Será o fim do carro particular? Confira como funciona o compartilhamento

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.