Tamanho do texto

Utilitário esportivo poderá contar com motores a combustão, como opção mais em conta em relação ao modelo híbrido. Veja o que sabemos

Toyota C-HR: SUV  tem estilo arrojado e poderá ser vendido no Brasil em breve, já que vem sendo testado no Brasil
Divulgação
Toyota C-HR: SUV tem estilo arrojado e poderá ser vendido no Brasil em breve, já que vem sendo testado no Brasil

Conforme apurado pela reportagem do iG Carros, a Toyota do Brasil continua considerando a importação do utilitário esportivo compacto híbrido C-HR. A marca japonesa, que está concentrando todos os seus esforços no lançamento do Yaris, para 2018, estuda a viabilidade do lançamento, uma vez que o carro seria favorecido pelo novo regime automotivo que entrará em vigor no ano que vem.

LEIA MAIS: Como é a vida andando de BMW i3 em São Paulo

A Toyota também diz que o C-HR não está sendo testado apenas em versão híbrida para o nosso mercado. Alguns países da Europa também recebem o modelo com opção de motor a combustão, como uma variante mais em conta em relação ao híbrido. É certo que, caso seja viabilizado para o Brasil, o Toyota C-HR será importado da Turquia, onde saem os modelos que abastecem o mercado europeu. A chegada do SUV, entretanto, continua nebulosa, não passando de uma etapa de estudos.

Traseira arrojada deixa de lado o conservadorismo da maioria dos modelos que a marca japonesa tem em sua linha atual
Divulgação
Traseira arrojada deixa de lado o conservadorismo da maioria dos modelos que a marca japonesa tem em sua linha atual

A confirmação de que o Toyota C-HR chegaria ao Brasil aconteceu durante o Salão de Buenos Aires (Argentina). À época, a marca considerava apenas a variante híbrida, pegando carona nos incentivos governamentais que estavam engatilhados para o final de 2017. Recentemente, foi anunciado que o C-HR teria sido jogado para escanteio pela Toyota, mas a marca garante que os estudos continuam. Algumas unidades foram flagradas em testes nos arredores de São Bernardo do Campo (SP), mesmo após o anúncio de que o modelo poderia ser descartado.

LEIA MAIS: Exemplo a ser seguido pelos rivais. Como anda o Toyota Corolla Altis 2018?

Como falamos anteriormente, o C-HR é vendido com opções mais em conta, com motores a combustão, no mercado europeu.  Por lá, o SUV vem equipado com um competente 1.2, turbo, de 116 cv de potência, mas apenas com câmbio manual de seis marchas - quem preferir câmbio automático terá que pular para a versão híbrida. A configuração também se destaca pela boa economia de combustível. De acordo com a Toyota, o C-HR 1.2 turbo faz 14,2 km/l na cidade e 19,6 km/l na estrada, com gasolina.

O híbrido mais vendido do Brasil

Toyota Prius: híbrido vem ganhando espaço no mercado do Brasil, com crescimento constante nas vendas
Divulgação
Toyota Prius: híbrido vem ganhando espaço no mercado do Brasil, com crescimento constante nas vendas

A Toyota instalou o espaço Hybrid House no Parque Villa Lobos, em São Paulo, onde convida o público geral para conhecer as tecnologias do Prius. Quem se interessar poderá até agendar um test-drive nos arredores do parque. De acordo com a marca, o objetivo é fomentar condições competitivas para a popularização de novas tecnologias, como veículos híbridos, elétricos e movidos a células a combustível. O Prius, vale lembrar, obteve a marca de 485 unidades vendidas em 2016, sendo o modelo híbrido mais vendido do Brasil.

LEIA MAIS: Toyota Prius: como anda o seu primeiro carro híbrido 

Segundo a Toyota, o crescimento da demanda pelo Prius é animador. O último levantamento publicado pela Fenabrave (Federação Nacional de Distribuição de Veículos Automotores) revela que o Prius já vende mais que o Volkswagen Golf. No mês passado, o carro híbrido emplacou 319 unidades, enquanto o VW, apenas 192 unidades.

A montadora também aproveitou a instalação da Hybrid House para apresentar o Toyota Environmental Challenge 2050   (ou Desafio Ambiental Toyota 2050). O objetivo é zerar impactos negativos na operação das fábricas do mundo todo. Até 2050, a marca planeja deixar de produzir veículos com motores exclusivamente a combustão, transformando sua frota global em um misto de híbridos e elétricos. E o Brasil faz parte da meta.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.