Tamanho do texto

CEO da marca francesa diz que não há motivos que impeçam o modelo movido a eletricidade de ser lançado no País. Veja mais informações

Sonho possível no Brasil, Renault Kwid elétrico tem data para chegar ao mercado indiano
Divulgação
Sonho possível no Brasil, Renault Kwid elétrico tem data para chegar ao mercado indiano

Além do Brasil, o Kwid é um produto importante para a Renault em outros países emergentes; em especial, a Índia. Por lá, o modelo concorre com os pequenos Hyundai i10 e Suzuki Celerio, e a marca pretende lançar uma nova versão para melhorar o fôlego das vendas ante os rivais. Em breve, os indianos poderão dirigir o Renault Kwid elétrico. E isso poderá ter impacto direto no Brasil.

LEIA MAIS: Hatches médios que menos desvalorizam: veja os 5 destaques

“Uma vez que o modelo esteja no mercado, não há motivos para não levá-lo para Índia, Brasil e Oriente Médio”, disse Carlos Ghosn, CEO da Renault. Um grupo de engenheiros envolvidos no projeto foram à China para buscar ajuda no desenvolvimento do sistema. O objetivo é que o Renault Kwid elétrico iguale o preço praticado no subcompacto Mahindra E20.

Conforme apurado pelo site indiano ETAuto, uma fonte ligada à Renault disse que o Kwid elétrico será lançado em até 18 meses. Globalmente, a aliança Renault-Nissan planeja lançar diversos veículos elétricos até 2022. O grande entrave no procedimento é o barateamento na produção de baterias, uma vez que correspondem a 40% do valor de um carro elétrico.

LEIA MAIS: Conheça 5 SUVs elétricos que chegarão a partir de 2020

Os chineses terão papel fundamental no desenvolvimento do Kwid elétrico. De acordo com a marca, eles estão em níveis avançados de estudo e conhecimento para a fabricação de baterias, o que poderia facilitar a viabilização do projeto como um todo. O Kwid é um dos carros mais em conta da Índia, contando com motor de 800 cc de cilindrada, a gasolina, e outra versão 1.0, com câmbio manual, ou automática.

Desafios antes do Renault Kwid elétrico

Antes de lançar o Renault Kwid elétrico no Brasil, a aliança terá que consagrar o Nissan Leaf no País,  março de 2019
Divulgação
Antes de lançar o Renault Kwid elétrico no Brasil, a aliança terá que consagrar o Nissan Leaf no País, março de 2019

A aliança Renault-Nissan tem novos motivos para sonhar com o mercado de veículos elétricos no Brasil. Com a aprovação do Rota 2030 , que entre seus tópicos viabiliza a venda de veículos ecológicos, o primeiro lançamento do grupo chegará ao País, em apenas sete meses.

LEIA MAIS: Rota 2030: governo assina novo regime automotivo. Veja os detalhes

Estamos falando do Nissan Leaf , que está confirmado para desembarcar no Brasil em março de 2019. “A mesma tecnologia que existe fora do Brasil precisa estar em nosso País”, diz Marco Silva, presidente da Nissan. “Acreditamos que eletrificação veio para ficar, e o Brasil não pode ficar excluído do que está acontecendo no resto do mundo. O Nissan Leaf tem potencial em nosso mercado, e nós não queremos que ele seja um carro de nicho”.

Ainda conforme o presidente, o planejamento para a chegada do modelo está bem encaminhado. A Nissan já adiantou que oferecerá oito anos de garantia para a bateria do Leaf, mas ficou devendo preço e versões. Em sua nova geração, o Nissan Leaf surge com uma bateria de 40 kWh, proporcionando autonomia de 240 km. Há também a opção de 60 kWh, que chega aos 320 km de capacidade. A potência fica na casa dos 149 cv, com 32,6 kgfm de torque. Portanto, antes de consagrar o Renault Kwid elétrico no Brasil, a aliança terá que cumprir os seus objetivos com o Leaf.

Fonte: ET Auto

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.