Tamanho do texto

Apenas 40 unidades serão fabricadas com motor de 1.500 cavalos e com tida a parte aerodinâmica revista em relação ao Chiron. Veja galeria de fotos

Bugatti Divo: as lanternas acima do capô dão uma característica mais exclusiva ao supercarro francês
Divulgação
Bugatti Divo: as lanternas acima do capô dão uma característica mais exclusiva ao supercarro francês

Eis o novo Bugatti Divo, que foi tão antecipado nos últimos meses. Sua estreia aconteceu no último fim de semana, no encontro de carros clássicos realizado em Pebble Beach, na Califórnia (EUA). Apesar de suas características evolucionárias, ele um pouco menos veloz que o Chiron e o próprio Veyron , lançado em 2005.

LEIA MAIS: Bugatti revela o Chiron Sport, hiperesportivo que chega ainda mais veloz

Dê mais uma olhada nas linhas do Bugatti Divo . Prestando atenção, é notável o seu parentesco com o Chiron . Feito sob a mesma base do hipercarro mais potente da marca, suas linhas são bem demarcadas como um legítimo Bugatti. A pequena grade dianteira em formato de ferradura contrasta com os faróis alongados e posicionados acima do capô. No caso do irmão Chiron, quatro canhões de luz ficam enfileirados de forma perpendicular à grade. Talvez essa seja a grande diferença entre os supercarros, uma vez que o Divo leva a mesma linha em forma de “C” que circula as portas dianteiras, dá a volta pelo teto e se encerra ao fim das janelas.

Na parte estrutural, a marca francesa resgata uma tradição antiga. A Bugatti costumava utilizar parte de chassis e estrutura de um veículo para dar vida a um modelo totalmente renovado. A prática aplicada aos grandalhões lançados na década de 1930 volta a aparecer, uma vez que Chiron e Divo - tributo ao piloto Albert Eugène Divo  - compartilham diversos componentes.

LEIA MAIS: Koenigsegg Agera RS, de 1.341 cv, bate recorde de velocidade

O foco do Divo está em sua aerodinâmica. Chassi e carroceria receberam aprimoramentos para torná-lo muito mais maleável em pistas em relação ao irmão Chiron. Sendo 35 kg mais leve que o irmão, o Divo tem 456 kg de pressão negativa correspondendo a 90 kg a mais de downforce. Se o Chiron continua sendo o Bugatti mais potente de todos os tempos, o Divo tem todas as propriedades para dar uma volta em menos tempo na pista.

Bugatti Divo com motor de Chiron

De acordo com a marca, até as plaquetas nas lanternas do Bugatti Divo têm funções aerodinâmicas
Divulgação
De acordo com a marca, até as plaquetas nas lanternas do Bugatti Divo têm funções aerodinâmicas

O que aumenta o seu arrasto aerodinâmico é o túnel de vento em formato de barbatana desenhado no teto, que tem a função de refrigerar o motor W16 de oito litros com quatro turbos, 1.500 cv e 163,15 mkgf de torque entre 2.000 e 6.000 rpm. Com o câmbio de dupla embreagem e sete marchas do Chiron, bem como tração integral, o conjunto mecânico é exatamente o mesmo entre os dois Bugatti. Além deste, há outro desvio de vento lateral para refrigeração dos freios.

LEIA MAIS: Ariel Hipercar será o supercarro com aceleração mais rápida da história

Enfim, chegamos à traseira onde o surpreendente defletor de ar é 23% maior que o do Chiron. O design das lanternas é um dos charmes que distanciam ambos os modelos. Neste caso, a Bugatti aplicou acabamento em três dimensões nas lanternas traseiras, onde 44 plaquetas são iluminadas por LED para contribuir ao efeito inédito.

Limitadíssimo, apenas 40 unidades do Bugatti Divo serão vendidas pela marca. O endinheirado terá que desembolsar o equivalente a 5 milhões de euros (inimagináveis R$ 24 milhões) para fazer a encomenda. A marca não gosta de revelar muitos dados, mas os proprietários do Divo poderão, ao menos, dizer que seu novo superesportivo é capaz de percorrer a pista de Nardò, na Itália, oito segundos à frente do Chiron.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.