Tamanho do texto

Cada uma das cadeirinhas de criança tem maneiras próprias de serem usadas. Além disso, há detalhes a serem considerados na hora de comprá-las

Se estiver com criança no carro, não importa a distância da viagem. Use sempre as cadeirinhas de criança
Getty Images
Se estiver com criança no carro, não importa a distância da viagem. Use sempre as cadeirinhas de criança

As estatísticas comprovam a importância do uso das cadeirinhas de criança. De acordo com a Polícia Federal, desde a obrigatoriedade do uso do acessório em carros - em 2008 - houve uma redução de quatro a cada dez crianças mortas ou feridas em acidentes de trânsito. E não para por aí: uma determinação do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) definiu que, a partir de 2020, todos os automóveis vendidos no país deverão ter pontos de fixação para cadeirinhas infantis, o chamado isofix, equipamento mais avançado de retenção infantil.

LEIA MAIS: Carros mais seguros: Ford Focus e Jeep Renegade lideram ranking do CESVI

Obrigatório na Europa, nos Estados Unidos, no Canadá, entre outros países, esse sistema de ancoragem é formado por alças fixadas diretamente à estrutura do carro. Dessa forma, seguram as cadeirinhas de criança firmemente e evitam deslocamentos que podem ser perigosos no momento de um acidente. Vale lembrar que, de acordo com o Código de Trânsito Brasileiro, transportar crianças sem a devida segurança estabelecida é configurado como infração gravíssima, com aplicação de multa e até mesmo a retenção do veículo pelo Detran, até a regularização do problema.

Testes são periodicamente realizados para comprovar a eficiência das cadeirinhas de criança
Divulgação
Testes são periodicamente realizados para comprovar a eficiência das cadeirinhas de criança

A preocupação com a segurança das cadeirinhas para carro tem um grande motivo. No Brasil, os acidentes de trânsito ainda são a principal causa de morte entre crianças até 14 anos. De acordo com dados do Ministério da Saúde, somente em 2016, aconteceram 1292 acidentes de trânsito fatais envolvendo crianças e adolescentes. Felizmente, esse número vem caindo a cada ano. Segundo acompanhamento anual realizado pela ONG Criança Segura, de 2015 para 2016 o registro de óbitos infantis por motivos acidentais diminuiu cerca de 4%.

LEIA MAIS: Os 10 carros menos seguros vendidos no Brasil. Confira os testes

Segundo Maurício Monducci Jr, CEO da Isofix Brasil: “Devemos registrar ainda menos acidentes graves envolvendo crianças no trânsito, agora que os novos modelos de veículos vendidos no Brasil devem obrigatoriamente oferecer o sistema isofix de fixação de cadeirinhas e dispositivos de retenção infantil”.

Apoiado pelas estatísticas positivas dos países que já privilegiam este padrão mais moderno, para Monducci a vantagem do isofix é a facilidade na utilização. “Equipamentos de segurança automotiva para bebês e crianças geralmente vinham acompanhados de um conjunto de instruções extenso e, às vezes, bastante complicado. O isofix é um sistema mais simplificado e mais seguro, pois ele está fixado ao veículo e não apoiado no cinto de segurança como o sistema tradicional”.

LEIA MAIS: Veja quais são os carros mais roubados e os índices que alertam para o perigo

Como usar corretamente as cadeirinhas de criança

Não basta só prendê-la ao carro. Cada uma das cadeirinhas de criança têm seus modos corretos de usar
Getty Images
Não basta só prendê-la ao carro. Cada uma das cadeirinhas de criança têm seus modos corretos de usar

- Crianças de 0 a 1 ano: têm que usar bebê-conforto ou poltrona reversível voltados para a traseira do veículo. Deve ser instalado no banco traseiro, presa pelo cinto de segurança de 3 pontos, de costas para a dianteira do carro (de frente para o assento traseiro). O cinto da cadeira deverá estar bem ajustado na altura dos ombros e também ao corpo da criança, com um dedo de folga;

- Crianças de 1 a 4 anos: têm que usar cadeirinha. Deverá ser voltada para a frente, no banco traseiro, presa pelo cinto de segurança de 3 pontos. O bebê deve estar bem ajustado na altura dos ombros e também ao corpo da criança, com um dedo de folga;

- Crianças de 4 a 7 anos e meio: têm que usar assento de elevação, ou "booster", com o cinto de segurança de três pontos do carro. O assento faz com que o cinto de 3 pontos do carro passe sobre os quadris, centro do ombro e pelo peito. O uso desse equipamento é necessário até que a criança atinja 1,45 metros de altura;

- Crianças de 7 anos e meio a 10 anos: devem viajar no banco traseiro com o cinto de segurança do veículo;

- Se houver mais de três crianças abaixo de 10 anos no carro, a mais alta pode ir no banco da frente com o dispositivo de retenção adequado (cadeirinha ou booster, se tiver menos de 7 anos e meio) para sua altura e peso. O mesmo se aplica a carros que não tenham banco traseiro ou em que não seja possível instalar cadeirinhas. Apesar disso, especialistas não recomendam que crianças viajem no banco da frente.

LEIA MAIS: Especialistas falam sobre os seguros de carros para os jovens

Por cada veículo ser diferente um do outro, a atenção com os acessórios deve ser redobrada, já que a instalação das cadeirinhas de criança pode variar. Pequenas diferenças estruturais podem deixar o equipamento frouxo e inseguro para os pequenos. “Todo cuidado é pouco. Se as instruções indicarem o uso dos pontos de ancoragem inferiores e superiores é preciso segui-las à risca. Se um assento de elevação pede apenas o uso da fixação inferior, esta é a melhor opção. Um ponto mal ancorado pode comprometer toda a segurança do equipamento e, consequentemente, o produto pode não proteger corretamente a criança.” - complementa Maurício.

Como comprar uma cadeirinha de criança

Com muitas cadeirinhas de crianças disponíveis por aí, de diferentes tipos e preços, é bom saber de alguns detalhes
Divulgação
Com muitas cadeirinhas de crianças disponíveis por aí, de diferentes tipos e preços, é bom saber de alguns detalhes

Na hora de comprar a cadeirinha é bom se atentar a alguns pontos para garantir a segurança da criança e também o melhor custo-benefício na aquisição:

- Compre apenas cadeirinhas com selo de certificação do Inmetro e garantia de qualidade e segurança;

- Dê preferência aos equipamentos com cinto de cinco pontos, que deixam a criança mais presa e segura, com fivelas ajustáveis, estofamento confortável e tecido lavável.

- Não economize na escolha do material, pois a cadeirinha vai durar muito tempo e muitas vezes o barato sai caro;

- Coloque a cadeirinha na lista do enxoval e instale-a antes do nascimento do bebê. A legislação determina que o recém-nascido deva sair da maternidade já na cadeirinha. Transportar o bebê no colo é inseguro, já que em caso de acidente o corpo do adulto acaba esmagando a criança.

LEIA MAIS: Veja 5 maneiras infalíveis de reduzir o preço do seguro do seu carro

É muito importante que os pais leiam o manual de instruções. A instalação é complicada, pois o equipamento deve estar bem seguro antes de receber o bebê, e é preciso ficar atento aos pontos onde passar o cinto de segurança e se certificar que o equipamento está bastante firme.

As cadeirinhas de criança devem ser usadas sempre, tanto em trajetos longos quanto curtos. O equipamento deve ser instalado em todo e qualquer veículo que fará o transporte da criança, desde o carro da mãe até o dos avós. A segurança das crianças deve ser prioridade dos adultos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.