Tamanho do texto

Com otimismo, associadas da Abeifa projetam crescimento de 33% no ano, mesmo com a instabilidade do dólar

O balanço 2018 mostra crescimento moderado da indústria, não atingindo os números primários
Divulgação
O balanço 2018 mostra crescimento moderado da indústria, não atingindo os números primários

A Abeifa (Associação Brasileira das Importadoras e Fabricantes de Veículos) revela o balanço 2018 e as expectativas para o ano que se inicia. O setor fechou o ano passado com 37.582 unidades emplacadas, ante uma projeção conservadora de 40 mil veículos importados. Para os associados, o resultado 6% abaixo da previsão inicial é um reflexo da taxa cambial.

LEIA MAIS: Ford mostra carros elétricos e autônomos no CES 2019

“Iniciamos 2018 com números bem conservadores e infelizmente terminamos abaixo”, lamenta José Luiz Gandini, presidente da Abeifa e da Kia Motors do Brasil. “Com o fim do Inovar-Auto e os 30 pontos percentuais adicionais no IPI, imaginávamos obter uma recuperação mais sólida. Com a alta do dólar, a taxa cambial ficou desfavorável para quem trabalha com veículos importados”. O executivo também relaciona os números do balanço 2018 à greve dos caminhoneiros, Copa do Mundo e a instabilidade política por conta da imprevisibilidade das eleições.

LEIA MAIS: Onix fatura R$ 10 bilhões para a Chevrolet do Brasil

Dezembro foi um ano positivo para as importadoras. Foram 3.389 unidades contra 3.324 emplacamentos em 2017. Se compararmos com o mês anterior, a alta é de 15% com apenas 2.947 emplacamentos em novembro de 2018. As associadas que também conduzem produções nacionais (BMW, Land Rover, Suzuki e Caoa Chery ), que tiveram alta de 29% nos emplacamentos, totalizando 18.372 unidades.

Balanço 2018 por marca

O balanço 2018 da Abeifa com números totais, somando veículos importados e de fabricação nacional
Divulgação/Abeifa
O balanço 2018 da Abeifa com números totais, somando veículos importados e de fabricação nacional

A marca com maior participação em 2018 foi a Kia , com 19,1% de participação. A BMW ficou na casa dos 18,5%, com a segunda maior fatia do setor. A Chery assegurou 14,1%, enquanto a Volvo, a marca premium que mais cresceu no último ano, fica com a quarta maior participação em 11,2%. Por fim, a Land Rover encerra o top 5 com exatos 11%.

LEIA MAIS: Veja os 5 SUVs mais esperados para 2019

Em 2019, de acordo com Gandini, os associados da Abeifa estimam emplacar ousadas 50 mil unidades, com um crescimento de 33% sobre 2018. De acordo com o executivo, o número elevado fica por conta da Caoa Chery, que pretende vender cerca de 40 mil carros em 2019. Vale lembrar que a marca conta com duas fábricas e uma nova linha de produtos. Até o fim do ano, serão mais 40 concessionárias espalhadas por todo o Brasil.

Abeifa compara o balanço 2018 com os anos anteriores. Melhor resultado aconteceu em 2011
Divulgação/Abeifa
Abeifa compara o balanço 2018 com os anos anteriores. Melhor resultado aconteceu em 2011

Antes do balanço 2018 , o melhor resultado da Abeifa aconteceu em 2011, quando acumularam 199.422 emplacamentos. De lá para cá, o número foi caindo progressivamente para 92.685 em 2014, 35.852 em 2016 e 29.751 em 2017, o pior resultado da história.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.