Tamanho do texto

Entre as novidades, está o sistema que permite trocas de informações não apenas entre modelos da marca, mas também com infraestrutura das cidades

Antes dos veículos autônomos, a Ford terá carros que
Divulgação
Antes dos veículos autônomos, a Ford terá carros que "conversam" entre si por meio da tecnologia conhecida como C-V2X

A Ford trabalha em uma série de novidades que devem chegar em breve ao mercado, entre as quais veículos autônomos e elétricos, além de sistemas inteligentes, que funcionam com conexão 5G para trocas de informações entre os carros e a infraestutura, tudo em nome da segurança.  Durante a CES (Consumer Eletronic Show), em Las Vegas (EUA), a reportagem de iG Carros esteve no estande da marca americana e conversou com executivos.

 LEIA MAIS: Marca chinesa mostra protótipo com tela no volante como novidades da CES 

Já em 2022, a Ford terá em todos os seus carros vendidos nos EUA a tecnologia C-V2X, desenvolvida pela Qualcomm, que será útil para trocas de informações entre os carros e com semáforos, por exemplo. Portanto, será possível ter uma contagem regressiva para saber o momento exato que o sinal passará de verde para vermelho. Contudo, isso envolve uma boa infraestutura e acordos com o poder público. Além disso, soubemos mais detalhes sobre o desenvolvimento dos veículos autônomos da Ford.

A fabricante trabalha para oferecer soluções confiáveis e com um custo relativamente atraente no campo dos veículos autônomos. "Mas para chegar a partir do nível 4, em que já não há volante e, portanto, o motorista é dispensável, é preciso ter soluções complexas que consigam lidar com diversas situações como cruzamentos, pisos escorregadios com neve, locais muito escuros, entre outros", disse Sherif Marakby, CEO da divisão de veículos autônomos da Ford.

 LEIA MAIS: Hyundai apresentará veículo de resgate conceitual no CES 2019

Amy Marentic, vice-presidente da divisão (à esquerda), ao lado de Sherif Marakby, CEO do departamento de veículos autônomos
Divulgação
Amy Marentic, vice-presidente da divisão (à esquerda), ao lado de Sherif Marakby, CEO do departamento de veículos autônomos

Já existem cerca de 50 protótipos de veículos autônomos da Ford atualmente, volume que deverá mais que dobrar no fim do ano de 2019. Os carros estão sendo testados em Miami e Washington DC, cidades que precisaram oferecer uma infraestrutura adequada para os testes. A marca tem conseguido avanços no desenvolvimento dos carros. Mas, ainda de acordo com Marakby, ainda há muito trabalho a fazer.

Como parte dos testes,  existem algumas unidades do Ford Fusion que fazem entregas para Domino's Pizza. O sedã autônomo chega na casa do cliente, que digita um código e, em seguida, retira sua encomenda. Há câmeras e microfones no carro que permitem interagir com o carro, de acordo com a fabricante. Pelo que observaram até agora, as respostas a esse serviço têm sido positivas. Além dessa parceria, a Ford fará outras, como o Walmart, também para entregas. 

Além dos veículos autômos, há os elétricos

Darren Palmer, diretor da divisão de veículos elétricos da Ford na CES 2019, que também mostra veículos autônomos
André Jalonetsky/iG
Darren Palmer, diretor da divisão de veículos elétricos da Ford na CES 2019, que também mostra veículos autônomos

 Quanto aos carros elétricos, como Darren Palmer, diretor da divisão de veículos elétricos da Ford, nos revelou que a marca prefere aguardar até conseguir baterias realmente confiáveis e com boa autonomia. "Algo em torno de 500 quilômetros ainda é pouco, precisamos devenvolver melhores soluções, que atendam às necessidades dos clientes", explicou o executivo.

 LEIA MAIS:  Mercedes-Benz CLA aparece em teaser antes da estreia na CES 2019

Além disso, as baterias precisariam ser menores que as disponíveis atualmente, o que ajudaria a criar projetos realmente eficientes. Nesse sentido, Palmer acredita que, talvez, nos próximos 5 anos, seja possível atingir o patamar ideal para lançar um carro totalmente elétrico no mercado. "Queremos democratizar a tecnologia", comentou ele na CES 2019 .

Para solucionar o problema do descarte das baterias depois da vida útil e do fornecimento de um grande volume de energia elétrica a ser consumida por carros elétricos, Palmer disse que é preciso incentivar as pessoas a instalarem painéis de energia solar em casa para que a energia da recarga usada à noite, como veículo parado na garagem, seja produzida durante o dia.

Mas para que se consiga atingir o equilíbrio entre a producão de energia e consumo será preciso que as pessoas e o mercado se adaptem à nova realidade que está chegando, o que será possível ao longo do tempo e de acordo com cada país. Por fim, a respeito da questão das baterias,  elas poderão ser recicladas e reutilizadas, podendo-se transformar, inclusive, em commodities. Tudo dependerá de adaptação, o que também vale para os veículos autônomos .

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.