Tamanho do texto

Em uma categoria dominada por homens, elas se consagraram como grandes personagens. Veja a lista completa das personalidades femininas

Tal como o futebol, as indústrias automotiva e automobilística sempre exalaram machismo. Propagandas com mulheres ao volante e não sendo objetificadas são recentes. Da mesma forma, ainda temos poucas jornalistas atuando no setor automotivo, ante a esmagadora quantidade de cuecas que falam apenas para eles mesmos. Em uma humilde homenagem ao Dia Internacional da Mulher, a reportagem do iG Carros lista 5 mulheres da indústria que se destacaram.

LEIA MAIS: Veja os 5 hatches compactos que mais gastam combustível no Brasil

1 - Mary Barra

Entre as mulheres da indústria, Mary Barra ostenta o título de
Divulgação
Entre as mulheres da indústria, Mary Barra ostenta o título de "a mais poderosa do mundo" pela Forbes

Eleita a executiva mais poderosa do mundo pela Forbes, a CEO global da General Motors começou sua carreira no grupo aos 18 anos. No princípio, era a inspetora de qualidade na linha de produção da empresa entre as mulheres da indústria , mas desde 2014 comanda todas as marcas da GM no mundo. Isso inclui Chevrolet, Holden, GMC, Buick, Cadillac, Daewoo e a recém-vendida Opel. Formada em engenharia elétrica pela General Motors Institute, a CEO se diz comprometida com a meta de zerar as emissões dos carros da marca nas próximas décadas, além de estimular a capacitação de suas equipes femininas à frente de cargos importantes.

2 - Ana Theresa Borsari

Ana Theresa Borsari foi uma das primeiras mulheres da indústria a assumir um alto cargo na PSA Global
Divulgação
Ana Theresa Borsari foi uma das primeiras mulheres da indústria a assumir um alto cargo na PSA Global

A Peugeot sempre apostou em homens estrangeiros para comandar suas operações no Brasil, mas desde 2015 temos uma mulher brasileira no cargo. Formada em direito pela USP, Ana Theresa Borsari trabalha na Peugeot desde 1995. Esteve envolvida em operações da marca no sul da Europa, onde foi a primeira mulher a comandar uma unidade da PSA no mundo. Com a unificação do Grupo no Brasil, também assumiu as marcas Citroën e DS. Até o momento, Ana Theresa continua sendo a única mulher à frente de uma montadora no Brasil.

LEIA MAIS: Veja os 5 SUVs compactos com câmbio automático mais econômicos

3 - Bia Figueiredo

Bia começou cedo entre as mulheres da indústria automobilística, correndo de kart e partindo para a Stock Car
Divulgação
Bia começou cedo entre as mulheres da indústria automobilística, correndo de kart e partindo para a Stock Car

Saindo da área administrativa, entramos no automobilismo. Desde os oito anos de idade, Bia Figueiredo está com o pé embaixo no automobilismo, iniciando a carreira em campeonatos de kart. Já em sua carreira profissional, foi a primeira mulher a vencer a Fórmula Renault, sendo hoje um dos principais nomes da Stock Car. Tratando-se de uma categoria do esporte dominada por homens, Bia já afirmou que os meninos tentavam tirá-la da pista durante treinos e competições.

4 - Danica Patrick

Entre as mulheres da indústria, Danica Patrick começou em 2005 na Fórmula Indy. Atualmente, compete pela Nascar
Divulgação
Entre as mulheres da indústria, Danica Patrick começou em 2005 na Fórmula Indy. Atualmente, compete pela Nascar

Aos 16 anos, Danica Patrick saiu dos Estados Unidos para disputar séries juniores na Inglaterra. Com ampla experiência do kart, foi destaque na Fórmula Ford de 2000, registrando o melhor resultado de um piloto americano na história. Em 2005, veio a estreia na Indy, onde se tornou conhecida e admirada pelos fãs de automobilismo. Há sete anos, Danica disputa a NASCAR, um dos campeonatos mais tradicionais dos Estados Unidos.

LEIA MAIS: Confira 10 lançamentos que chegarão até o final de 2020

5 - Graziela Fernandes

Graziela começou entre as mulheres da indústria automotiva, mas acabou partindo para o automobilismo
Divulgação
Graziela começou entre as mulheres da indústria automotiva, mas acabou partindo para o automobilismo

Representando a era de ouro do automobilismo brasileiro, Graziela Fernandes sempre demonstrou uma completa paixão por corridas. Nascida no Paraguai, estudou engenharia mecânica na faculdade. Um de seus primeiros empregos foi na Willys-Overland, ainda como pilota de teste dos veículos que passavam pelos ajustes finais de lançamento. Em 1969, surgiu sua tão aguardada oportunidade na equipe Jolly Gancia, com seu memorável Alfa Romeo GTA, onde ficou conhecida como “a boneca que pilotava” entre as mulheres da indústria automobilística.