Tamanho do texto

SUV compacto de luxo virá importado para entrar no lugar do nacional, que já deixou de ser produzido na fábrica da marca alemã no Paraná


Audi Q3 azul arrow-options
Divulgação
Novo Audi Q3 passará a chegar importado, com nova plataforma e uma série de novidades em relação anterior


Conforme apurado pela reportagem do iG Carros, o novo Audi Q3 chegará ao mercado brasileiro ainda no início de 2020. Lançado na Europa há certo tempo, o modelo já estava confirmado para o nosso mercado. O presidente da marca no Brasil, Johannes Roscheck, aproveitou o lançamento do Q8 para dar a notícia.

LEIA MAIS:  Audi deixa de produzir Q3 nacional à espera do novo, que será importado

carro azul arrow-options
Divulgação
Audi Q3

De acordo com Roscheck, a Audi tem muito potencial na categoria dos SUVs no Brasil. O Q3 nacional foi o modelo que mais vendeu no segmento nos últimos 5 anos, enquanto o Q5 registra o dobro da demanda entre janeiro e julho 2019, na comparação com o mesmo período do ano passado. Portanto, a chegada do novo Audi Q3 promete bons resultados.

O SUV Q2 , por outro lado, ainda tem futuro incerto no mercado brasileiro. O executivo confirma que ele está sendo avaliado, mas diz que talvez não seja o momento certo. “Se não vier nessa geração, talvez venha em uma próxima”, diz ele. O novo hatchback A1 também não verá a luz do dia no mercado brasileiro nos próximos anos.

Queimando dinheiro

Quando questionado sobre a perda de espaço para as rivais alemãs (BMW e Mercedes-Benz) e uma possível recuperação para voltar aos áureos tempos de liderança, Roscheck foi categórico: “Nós não queremos a liderança. A Audi não procura volume, as outras estão queimando dinheiro”.

LEIA MAIS: Audi revela o SUV-cupê Q3 Sportback

Atualmente, a fábrica da Audi em São José dos Pinhais (PR) tem volume de 3 mil carros anuais, sendo que todos são A3 Sedan . Com o fim da produção do Q3, a fatia da Volkswagen aumentou para a fabricação do T-Cross, mas o presidente da marca garante que a produção nacional - que começou no A3 de primeira geração em 1999 - continua nos planos da marca para o futuro. “É a nossa presença. Mostra que a Audi confia no mercado brasileiro”, diz ele.

Um levantamento divulgado pela própria marca mostra que, apesar da crise, o Brasil continua na décima posição no mercado de luxo geral - incluindo automóveis, vestuário, artigos de tecnologia, entre outros itens.

LEIA MAIS: Audi terá 18 lançamentos em 2019, incluindo a nova geração do A3

. Ainda que tenhamos as maiores taxas de cartão de crédito do mundo, a marca vê potencial para o crescimento. Em setembro, teremos o lançamento dos novos A6 (R$ 427 mil) e A7 (R$ 457 mil), que já podem ser encomendados no site da marca a partir de hoje.