Tamanho do texto

Em alta, o segmento corresponde a 27% dos emplacamentos no Brasil. Saiba quais foram os utilitários esportivos que mais curtimos neste período

De acordo com o último relatório publicado pela Fenabrave (Federação Nacional de Distribuição de Veículos), os SUVs já correspondem a 27% das vendas nacionais. Trata-se do segundo segmento mais importante, ficando abaixo apenas dos hatches compactos, que mantém 33% do mercado. Ou seja, um em cada quatro carros novos tem suspensão elevada e caráter de utilitário esportivo.

LEIA MAIS: VW T-Cross 1.0 enfrenta Citroën C4 Cactus 1.6 THP. Qual vence?

Para ajudar na alta nas vendas, a categoria contou com muitos lançamentos inéditos ao longo de 2019, além de renovações. Como a temporada de SUVs novos no Brasil está oficialmente encerrada, a reportagem do iG Carros elege os 5 modelos que mais agradaram no ano. 

1 - VW T-Cross

VW T-Cross Highline arrow-options
Divulgação
O VW T-Cross Highline pode chegar a R$ 124.990, com teto-solar e sistema de estacionamento autônomo

A lista não poderia começar com outro se não o principal lançamento entre os compactos em 2019, o VW T-Cross . O modelo inédito chegou ao mercado em fevereiro, e aos poucos foi ganhando expressão nas vendas. Durante seu primeiro ano de mercado, foram mais de 24 mil emplacamentos, superando rivais como Captur, Tracker e 2008.

O T-Cross conta com duas opções de motorização: 1.0 de 128 cv de potência (com opção de câmbio automático) para as versões Sense (R$ 69.990), 200 TSI (R$ 84.990) e Comfortline (R$ 99.990), e 1.4 de 150 cv (apenas automática) para o modelo Highline (R$ 109.990). O porta-malas tem capacidade para 420 litros.

Pela carroceria mais curta na comparação com os rivais, o T-Cross se aproxima muito de um hatch bombado. Combine isso ao vão livre do solo de 17,7 cm que privilegia a aerodinâmica, a posição de dirigir mais baixa e o motor turbo, e teremos um SUV muito interessante ao volante.

2 - Jaguar I-Pace

Jaguar I-Pace arrow-options
Divulgação
Jaguar I-Pace traz a alma dos superesportivos para as ruas. Pode acelerar de 0 a 100 k/h em míseros 4,1 segundos

O futuro é elétrico! Isso foi comprovado em maio, quando aceleramos o  Jaguar I-Pace no Autódromo Velo Città, e posteriormente em agosto, onde testamos o modelo na cidade. Além da ótima autonomia de 420 quilômetros e o estilo chamativo, o SUV 100% elétrico pode acelerar como um esportivo: vai de 0 a 100 km/h em 4,8 segundos.

O bom acerto de suspensão, a ausência de vibrações e o centro de gravidade baixo configuram um SUV muito agradável de dirigir. Os motores elétricos dispostos na dianteira e na traseira entregam 200 cv cada, gerando o torque combinado de 70 kgfm. Digno dos superesportivos, não?

A velocidade máxima de 200 km/h é limitada eletronicamente. Com o torque instantâneo proporcionado pelo motor elétrico, a aceleração do I-Pace pode causar náuseas nas pessoas de estômago fraco. Tão impressionante quando sua aceleração é a capacidade deste SUV nas retomadas. 

3 - Toyota RAV4

Toyota RAV4 arrow-options
Divulgação
Toyota RAV4 é o único modelo híbrido de sua categoria, contra Jeep Compass, VW Tiguan e Peugeot 3008

No segmento de SUVs médios que também inclui Jeep Compass , VW Tiguan Allspace, Peugeot 3008 e Mitsubishi Eclipse Cross, o Toyota RAV4 é o único híbrido. A marca japonesa, aliás, já conta com três opções eletrificadas no Brasil, incluindo Prius e Corolla. Entre os atrativos do novo SUV, destaque para o consumo de 14,3 km/l na cidade; número de hatches 1.0 de três cilindros.

LEIA MAIS: Toyota RAV4 faz valer R$ 179.990? Confira nossas impressões na cidade

O novo RAV4 parte de R$ 165.990 na versão S, podendo atingir R$ 179.990 na versão SX. Ele surge com motor 2.5 a gasolina com potência combinada de 222 cv de potência e 32 kgfm de torque. Apesar do tamanho e da proposta eficiente, pode acelerar de 0 a 100 km/h em apenas 8,1 segundos. O porta-malas traz um verdadeiro latifúndio para 580 litros.

Desempenho nunca foi um atributo que os clientes fieis do RAV4 buscavam. Por isso, a Toyota optou por um conjunto mais voltado para o conforto. O modelo filtra bem as irregularidades do solo, enfrentando os desafios urbanos com muita competência. Ótima compra para quem anda muito na cidade. 

4 - Audi Q3

Audi Q3 arrow-options
Divulgação
Audi Q3 está completamente renovado. As primeiras unidades deverão chegar entre janeiro e fevereiro de 2020

A Audi, enfim, mostrou o seu carro-chefe para o Brasil na próxima década. O Audi Q3 nacional estava defasado e carecia de um refresco de visual, ergonomia e mecânica para manter-se competitivo na briga dos SUVs médios premium. Com a chegada do novo modelo da Hungria, a marca das quatro argolas tentará virar o jogo ao seu favor.

Ele virá com o conhecido 1.4 turbo de 150 cv de potência e 25,5 kgfm de torque, sempre com câmbio automático de seis marchas. O modelo de entrada se chamará Prestige, com rodas de liga leve aro 17, seis alto-falantes e comando de voz por R$ 179.990. Em seguida, surge o Prestige Plus, acrescentando faróis full-LED, partida sem chave, cockpit virtual, rodas aro 18 e ar-condicionado de duas zonas por R$ 189.990.

Durante o lançamento, aceleramos uma unidade pré-série alemã que tem diferenças pontuais com o modelo húngaro. Mesmo assim, ficou claro que o Q3 buscou inspiração no irmão mais caro, o Q5, para garantir um trejeito bem esportivo para a condução. 

5 - Honda HR-V Touring

Honda HR-V Touring arrow-options
Divulgação
Honda HR-V Touring traz motor 1.5 do Civic e teto-solar como equipamentos exclusivos

A Honda tinha uma lacuna entre as versões aspiradas do HR-V e o SUV médio CR-V. Durante todo esse tempo, a solução estava abaixo do capô do Civic, com o motor turbo importado do Japão. Eis que a marca decidiu reposicionar o HR-V Touring , para fazer o meio de campo e eliminar o gap de consumo entre R$ 110 mil e R$ 140 mil.

LEIA MAIS: Aceleramos o Honda HR-V Touring, com motor 1.5 de 173 cv

A Honda ainda adicionou teto-solar, item exclusivo da versão Touring de R$ 139.990. Com motor 1.5 turbinado, o HR-V entrega 173 cv de potência e 22,4 kgfm de torque, sempre com câmbio automático de sete velocidades. Com desempenho digno de esportivo, pode atingir 100 km/h em 8,1 segundos. O porta-malas tem espaço para 393 litros.

Pena que o motor mais potente e moderno não combina com o pacato câmbio automático CVT. Além disso, o SUV precisa de uma nova central multimídia com tela de melhor resolução, além de mais fácil de rápida de ser usada. Quem faz questão de um carro flex entre os SUVs novos é bom saber que essa versão do Honda HR-V aceita apenas gasolina.