Tamanho do texto

Cada escolha é uma renúncia na briga quente entre SUVs compactos que mais de aproximam dos hatches. Veja qual se enquadra melhor no seu perfil

VW T-Cross x C4 Cactus
Cauê Lira/iG Carros
VW T-Cross e C4 Cactus compartilham algumas características pontuais na categoria dos SUVs compactos

No “cara a cara” dos SUVs, o VW T-Cross 1.0 Comfortline tem muito em comum com o Citroën C4 Cactus 1.6 THP Shine. Ambos são pequenos, baixos e turbinados, além de priorizarem claramente a dinâmica e a sensação ao volante. Neste mundo em que os utilitários esportivos ganham as ruas do Brasil e do mundo, é bom ter dois modelos que ainda se aproximem dos hatches médios.

LEIA MAIS: Hyundai Creta Sport: versão esportiva agrada pelo custo-benefício

Talvez este seja um dos motivos pelos quais as pessoas se surpreendem tanto com o tamanho do VW T-Cross . Ele tem 4,19 metros de comprimento, ante 4,17 m do C4 Cactus , mas precisamos considerar que o segmento tem modelos bem maiores como HR-V e Kicks (ambos com 4,29 m). Na comparação da dupla de SUV compactos dessa briga com rivais, uma das principais diferenças fica por conta da altura, em torno de 10 cm menor (1,57 m no T-Cross, 1,56 m no C4 Catus e 1,66 m no Renegade, por exemplo).  

Ao menos na largura, os quatro SUVs são equiparáveis, na casa de 1,75 m. Ou seja, o fato de T-Cross e C4 Cactus serem menores não significa que os passageiros do banco traseiro terão esbarrões com os ombros. É uma categoria que leva quatro adultos e uma criança com conforto, mas um quinto ocupante adulto ficaria mais acomodado no Citroën por conta do formato do assento.

É claro que neste perde e ganha, a escolha por um design mais compacto acaba pesando em alguns tópicos. O T-Cross, por exemplo, tem 373 litros de capacidade no porta-malas, enquanto o C4 entrega míseros 320 litros (o mesmo do hatch Sandero).O HR-V tem bons 437 litros, e o Kicks também não decepciona com 432.

Com o espaço apertado para bagagens,  um casal com dois filhos adolescentes teria que apertar a carga no porta-malas. Mas como dizem, cada escolha é uma renúncia. Tanto o SUV da marca alemã quanto o rival da fabricante francesa trazem diversos atributos que você não encontrará em nenhum outro modelo da categoria.

LEIA MAIS: JAC T80 x Peugeot 5008: embate entre SUVs de 7 lugares

Painel do VW T-Cross
Divulgação
Entre os opcionais do VW T-Cross 2019, destaque para a tela touchscreen de oito polegadas

O T-Cross é o SUV mais conectado entre os dois. Além da ótima central multimídia com opção de espelhamento das telas do celular, vale destacar o cluster digital configurável, de 10,2 polegadas. Dessa forma, o motorista pode projetar diversos recursos da central multimídia, sem desviar a atenção da estrada. Até mesmo, o GPS pode ser reproduzido.

Apesar de também ser digital, o cluster do Citroën C4 é bem inferior e rudimentar quando comparado ao do concorrente da VW. Além de não ser configurável, o conta-giros está longe de ser preciso - fazendo marcações a cada 500 rpm. A central multimídia do Citroën não traz aplicativo de navegação nativo, mas assim como o VW T-Cross, o Cactus pode reproduzir Waze e Google Maps por meio do espelhamento de tela.

Vale lembrar que estamos falando da versão topo de linha do C4 Cactus e da intermediária do T-Cross. Portanto, embora ambos venham bem equipados, o Citroën tem alguns itens mais sofisticados que o rival, como indicador de fadiga e alerta de mudança indevida de faixa entre os itens de série. Nos dois, há controles eletrônicos de estabilidade e tração,  ancoragem ISOFIX para cadeiras infantis e câmera de ré para ajudar nas manobras de estacionamento. 

De qualquer forma, a dirigibilidade é o ponto forte da dupla. Como mencionamos no primeiro parágrafo, eles são mais baixos quando comparados aos demais SUVs da categoria, mas tem bons vãos livres do solo (191 mm para o T-Cross e 225 mm para o Cactus). Dessa forma, há uma melhor distribuição no centro de gravidade. Ambos topam curvas com maestria, mas a suspensão do SUV da VW é um pouco mais rígida, assegurando ainda mais estabilidade.

Painel do C4 Cactus durante o dia
Divulgação
Citroën C4 Cactus tem visual moderno, mas o cluster digital não é tão visível e prático quando do rival VW T-Cross

Em contrapartida, não falta fôlego ao Citroën. O motor 1.6 turbo entrega 173 cv de potência a 6.000 rpm e bons 24,5 kgfm de torque a míseros 1.400 rpm. Além de acelerar de 0 a 100 km/h em apenas 7,3 segundos, o SUV da marca francesa enfrenta desafios urbanos e retomadas com bravura. Graças ao câmbio automático de seis marchas, não é necessário pisar com muita força no acelerador em uma retomada, por exemplo.

Do lado do VW T-Cross, temos o conhecido 1.0 turbo, de 128 cv de potência e 20,4 kgfm a 2.000 rpm. Ou seja, o T-Cross precisa funcionar sempre acima desse patamar de rotação para atingir o ápice de sua entrega de força. Abaixo disso, existe  um atraso para responder aos comandos do acelerador.   De acordo com a marca, o SUV chega aos 100 km/h em 9,6 segundos.

Veredito

Entre outros fatores, O T-Cross é o SUV mais conta de consertar no Brasil, de acordo com os testes feitos pelo Car Group. A boa quantidade de concessionárias também é um ponto a favor do SUV da VW. Apesar do pequeno porta-malas, o Citroën C4 Cactus é um verdadeiro devorador de asfalto, e está disposto a permitir um pouco mais de diversão.

LEIA MAIS: Kia Sportage 2019 fica mais arrojado, mas mantém parte mecânica

Ainda que o C4 tenha me conquistado, três tópicos me fariam preferir o VW T-Cross : conectividade, capacidade de bagagem e economia de combustível. De acordo com o Inmetro, o SUV faz 8,5 km/l na cidade e 10,1 km/l na estrada com etanol, e 12,2 km/l e 14,5 km/l, respectivamente com gasolina. Os números do Citroën ficam na casa dos 7,2 km/l na cidade e 8,9 km/l na estrada com gasolina, saltando para 10,4 km/l e 12,6 km/l, respectivamente, com gasolina.

Ficha técnica:

VW T-Cross Highline 1.0 TSI
Preço: a partir de R$ 99.990
Motor: 1.0, três cilindros, turboflex
Potência (cv): 128 a 5.500 rpm
Torque (kgfm): 20,4 a 2.000 rpm
Transmissão: automática, seis marchas, tração dianteira
Suspensão: Independente, McPherson (dianteira) / Eixo de torção (traseira)
Freios: Discos ventilados (dianteiros) / sólidos (traseiros)
Pneus: 205/55 R17
Dimensões: 4,20 m (comprimento) / 1,75 m (largura) / 1,57 m (altura), 2,65 m (entre-eixos)
Tanque: 52 litros
Porta-malas: 373 litros
Consumo etanol: 7,6 km/l (cidade) / 9,5 km/l (estrada)
Consumo gasolina: 11 km/l (cidade) / 13,5 km/l (estrada)

Citroën C4 Cactus Shine Pack 1.6 THP
Preço: a partir de R$ 98.990
Motor: 1.6, quatro cilindros, flex
Potência: 173 cv (E) / 166 cv (G) a 6.000 rpm
Torque: 24,5 kgfm a 1.400 rpm
Transmissão: Automático, seis marchas, tração dianteira
Suspensão: Independente, McPherson (dianteira) / eixo de torção (traseira)
Freios: Discos ventilados (dianteiros) / tambores (traseiros)
Pneus: 205/55 R17
Dimensões: 4,17 m (comprimento) / 1,71 m (largura) / 1,56 m (altura), 2,60 m (entre-eixos)
Tanque: 55 litros
Porta-malas: 320 litros
Consumo gasolina: 12,5 km/l (cidade) / 13,5 km/l (estrada)
0 a 100 km/h: 7,3 segundos
Velocidade máxima: 212 km/h