vendas de importados
Divulgação
Lojas de carros importados sofrem com a crise econômica causada pela pandemia e com a alta do dólar no Brasil

As vendas das quinze marcas filiadas à Abeifa (Associação Brasileira das Empresas Importadoras e Fabricantes de Veículos Automotores) em março foram de 2.090 unidades, volume que representa uma queda de 21,7% na comparação ao mês anterior, quando foram vendidas 2.668 unidades importadas. Em relação a março do ano passado, porém a redução foi de 17,2%. No trimestre, o resultadoé negativo em 4,4% se comparado ao mesmo período de 2019.

LEIA MAIS: Vendas de veículos despencam 19,1% no pior março em 14 anos

De acordo com o presidente da Abeifa, João Henrique Garbin de Oliveira, “diante do cenário de desaceleração da economia brasileira e mundial, nos próximos meses, a Abeifa está preocupada com a própria sobrevivência dos importadores e sua rede de concessionárias e, se confirmadas as projeções de queda nas vendas de automóveis novos este ano da ordem de 40%, como indicam altos executivos de montadoras locais, corremos sério risco também de inviabilizar unidades produtivas”.

Ainda conforme o executivo, , “a vida humana e a atenção ao quadro pandêmico por coronavírus são prioridades absolutas. Nesse sentido, as 413 concessionárias que compõem as redes autorizadas de nossas 15 associadas seguem orientações técnicas da OMS e das autoridades brasileiras. Internamente, nossas empresas, na área comercial, têm procurado atender aos seus clientes por meio de plataformas digitais além de , por exemplo, já termos estendido prazos de revisões programadas”.

João Henrique Garbin de Oliveira
Divulgação
João Henrique Garbin de Oliveira, presidente da Abeifa

Por outro lado, ele também diz que às vésperas de completar o primeiro ciclo de quarentena, no dia 7 de abril próximo, seja atendido pelo Governo Federal o pleito de redução da alíquota do imposto de importação , dos atuais 35% para 20%, com a finalidade de reanimar o setor, evitar o fechamento de concessionárias e, consequentemente, impedir a dispensa de parte dos 13,5 mil trabalhadores”.

LEIA MAIS: Concessionárias e lojistas usam criatividade para sobreviver na crise

A participação das associadas à Abeifa que conta com produção nacional contabilizaram queda de 6,6% nas vendas em março em relação a fevereiro, quando tiveram 2.906 unidades vendidas. No acumulado dos três primeiros meses do ano, porém, houve alta de 20,4%, com 8.142 unidades ante 6.762 de 2019. Do total de vendas de automóveis e comerciais leves em março, as marcas ligadas à entidade têm apenas 3% de participação.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários