Coronavírus arrow-options
Divulgação
Fabricantes param linha de montagem para ajudar na fazer máscaras, respiradores e ajudar a acabar com a pandemia

A indústria automotiva brasileira ainda não sentiu o auge dos impactos que a quarentena decretada irá causar, devido ao coronavírus. Algo que tornou mais difícil uma leitura otimista sobre a cura da doença é a nova síndrome respiratória, que promete deixar os cidadãos de várias cidades do mundo em confinamento por tempo indeterminado. Conforme o pronunciamento do Ministério da Saúde, a rede do SUS deverá colapsar em meados de abril, com rápida ascensão dos casos de COVID-19 no país. Diante desse cenário, as montadoras estão fazendo o que podem para contribuir para a sociedade.

LEIA MAIS: O novo coronavírus vai mudar os paradigmas da mobilidade?

A primeira das fabricantes de carros no combate ao vírus FCA está contribuindo para a instalação de hospitais de campanha em Betim (MG) e Goiana (PE), bem como usando sua expertise e recursos para a produção e oferta de itens hospitalares altamente estratégicos neste momento e doando recursos e materiais para a área da saúde, sobrecarregada pelo Coronavírus . A GM do Brasil está trabalhando na reparação de 3 mil respiradores atualmente inativos na rede do SUS, mas a GM considera que o número final será bem maior.

FCA arrow-options
Divulgação
FCA usa sua infraestrutura para fornecer equipamentos e recursos

A Ford, por sua vez, anunciou que vai produzir inicialmente 50.000 máscaras de proteção facial em suas instalações de Camaçari, na Bahia, e de Pacheco, na Argentina, para equipar os profissionais da saúde que atuam na linha de frente tratando pacientes que contraíram a doença. As máscaras, fabricadas com lâmina de acetato e peças de suporte, fazem parte dos itens de proteção individual mais requisitados por esses profissionais no momento. A distribuição nos pontos de serviço será coordenada por meio das Secretarias de Saúde e da Cruz Vermelha.

LEIA MAIS: A Indústria automotiva precisa mudar de marcha pós-coronavírus

Já a Renault conta com a utilização de impressoras 3D do Creative Lab (laboratório de inovação da marca localizado no Complexo Ayrton Senna, PR) para a produção de máscaras de atendimento hospitalar para entrega à Secretaria de Saúde de São José dos Pinhais (PR). As impressoras estão produzindo 24 horas por dia.

Renault arrow-options
Divulgação
Veículos da Renault serão utilizados para transporte de donativos, insumos, atendimento a famílias

Além disso, a marca emprestou dez veículos à Coordenadoria da Defesa Civil do Paraná. Os veículos (Captur, Duster, Oroch e Master), foram entregues na sexta-feira, 27, e serão utilizados para transporte de donativos, insumos, atendimento a famílias necessitadas e apoio a ações de saúde, educação e segurança.

LEIA MAIS: Marcas adiam prazos de revisões garantia dos carros por conta do coronavírus

Ela também está fazendo parte de uma campanha organizada pelo Senai para a manutenção de respiradores mecânicos fora de uso, a fim de auxiliar o tratamento de pacientes com a Covid-19. São mais de 3,6 mil ventiladores pulmonares que haviam sido descartados ou necessitavam de manutenção, segundo a LifesHub Analytics e a Associação Catarinense de Medicina.

A Honda trabalha na cooperação para o desenvolvimento de protótipo de respiradores artificiais com o Governo do Amazonas e a Universidade do Estado do Amazonas. O desenvolvimento do protótipo, que tem início ainda no mês de abril, faz parte de um projeto conjunto para contribuir com o serviço de saúde do estado. O grupo trabalhará com o intuito de viabilizar um protótipo de respiradores de transporte, utilizado em pacientes que necessitam de suporte respiratório temporário ou enquanto são deslocados em curtos e médios trajetos.

LEIA MAIS: Concessionárias e lojistas usam criatividade para sobreviver na crise

Por fim, está a VW, que está disponibilizando frota de 100 veículos da marca para utilização das Prefeituras de São Bernardo do Campo/SP, Taubaté/SP, São Carlos/SP, São José dos Pinhais/PR, localidades onde a empresa mantém fábricas, e para o Governo do Estado de São Paulo. O empréstimo tem como objetivo principalmente apoiar o deslocamento de médicos e enfermeiras, bem como transporte de medicamentos e equipamentos de saúde, podendo ser utilizado para qualquer outra necessidade das autoridades ante o coronavírus .

    Veja Também

      Mostrar mais