Um dos maiores pilotos britânicos de Fórmula 1 e todos os tempos, Stirling Moss faleceu ontem (12), em Londres (Inglaterra), em pleno domingo de Páscoa, aos 90 anos de idade. Com quatro vice-campeonatos seguidos (entre 1955 e 1958) e três terceiros lugares entre 1959 e 1961, Moss se aposentou das corridas apenas aos 81 anos.

LEIA MAIS: Ferrari 250 GTO bate recorde em leilão, vendida por R$198,6 milhões

Fora das pistas, Stirling Moss sempre gostou de esportivos de verdade. Abaixo, conseguimos reunir 5 deles. São todos modelos que se aproximam bastante de versões de competição de marcas como Aston Martin, Ferrari, Mercedes e Porsche, como o 718 RS61, uma raridade que ele pilotou no Motor Racing Legends, em Le Mans (França), há 9 anos.

1 - Porsche 718 RS61

Porsche 718 RS: um dos carros favoritos de Moss pela simplicidade e leveza, o que o torna ágil nas pistas sinuosas
Divulgação
Porsche 718 RS: um dos carros favoritos de Moss pela simplicidade e leveza, o que o torna ágil nas pistas sinuosas



Leve ao extremo e fabricado com chassi tubular, o esportivo consegue ter estrutura rígida o suficiente para trabalhar bem com a suspensão em alta velocidade seja em curvas ou retas. Para suportar condiççoes reveras, os freios e o próprio motor de quatro cilindros contrapostos receberam atenção especial da marca alemã sediada em Stuttgart (Alemanha).

A variação 718 RSK teve bastante sucesso em subidas de montanha nos EUA, bem como nas provas de Formula 2 pela Europa com motor de 2 litros de cilindrada. A partir das experiências obtidas com o 718 dos anos 60 a Porsche adotou uma série de novas tecnologias em modelos que vieram nas décadas seguintes. Hoje, o roadster Porsche Boxster recebe o número 718 em homenagem ao legado deixado pelo clássico.

2 - Aston Martin DBR 1/2 1957

Aston Martin DBR 1/2 1957 foi feito de alumínio com motor de mais de 200 cv, por isso foi feito para pilotos profissionais
Divulgação
Aston Martin DBR 1/2 1957 foi feito de alumínio com motor de mais de 200 cv, por isso foi feito para pilotos profissionais



Feito com carroceria e estrutura de alumínio, o esportivo inglês também conta com motor 2.5, de seis cilindros e duplo comando de válvulas no cabeçote como um das principais caracerísticas. rende 220 cv e funciona em conjunto com caixa de câmbio manual, de cinco marchas e tração traseira, itens que eram considerados modernos para o final dos anos 50.

LEIA MAIS: Aston Martin DB4GT Zagato deverá ser vendido a R$ 68 milhões em leilão

Sua concepção foi toda elaborada para poder participar da prova de longa duração mais famosa e tradicional do mundo, as 24 Horas de Le Mans, na França. Mesmo assim, apresentou problemas de durabilidade para vencer os fortes rivais da Jaguar , Ferrari e Maserati.

Você viu?

3 - Mercedes SLR 1977

Mercedes SLR 1977: modelo chegou as ser pilotado por Moss em várias ocasiôes, inclusive ao lado do atual campeão Lewis Hamilton
Reprodução/Pinterest
Mercedes SLR 1977: modelo chegou as ser pilotado por Moss em várias ocasiôes, inclusive ao lado do atual campeão Lewis Hamilton



Já tinha injeção mecânica de combustível e 3 litros de cilindrada, itens que junto com a estrutura leve, de alumínio, faziam o esportivo de 310 cv a se tornar um dos carros mais velozes do final dos anos 70. Também foi projetado com uma vitória nas 24 Horas de Le Mans como principal objetivo e leva tecnologias e conceitos usados em outros modelos da marca alemã.

É um dos poucos modelos da época que conseguiam beirar os 300 km/h de velocidade máxima e foi pilotado por Moss em várias ocasiões, inclusive ao lado do atual campeão mundial de Fórmula 1 , Lewis Hamilton.

4 - Ferrari 250 GTO

Ferrari 250 GTO um dos clássicos mais caros do mundo, vem com motor V12, algo que está em extinção hoje em dia
Divulgação
Ferrari 250 GTO um dos clássicos mais caros do mundo, vem com motor V12, algo que está em extinção hoje em dia


Essa Ferrari é considerada por muitos o último GT com motor grande, no caso um 3.0 V12 de 300 cv, associado a um câmbio manual de cinco marchas. Seu design, com apelo marcante, bem como a exclusividade, são fatores determinantes para sua valorização crescente e infinita no mercado. Isso se evidencia pelos altíssimos valores arrematados para o modelo.

A sigla "GTO" vem do italiano "Gran Turismo Omologata", que quer dizer que todas as 36 Ferrari 250 GTO produzidas eram voltadas às pistas e podiam rodar publicamente. Vale lembrar que GTs são, essencialmente, modelos de luxo de alto desempenho, capazes de manter altas velocidades por longas distâncias, com arquitetura que, em geral, é a de uma carroceria cupê com motor frontal e tração traseira.

5 - Mercedes SLR McLaren Stirling Moss

Mercedes SLR McLaren Stirling Moss foi apresentado em 2009 com componentes de fibra de carbono e portas abertas para cima
Divulgação
Mercedes SLR McLaren Stirling Moss foi apresentado em 2009 com componentes de fibra de carbono e portas abertas para cima


Foram fabricadas apenas 75 unidades em homenagem a Moss. O supercarro da Mercedes foi apresentado em 2009, com motor V8 5.5, sobrealimentado por compressor volimétrico, capaz de render entre 626 e 650 cv. Imagina toda essa potência em estrutura leve? O resultado é uma aceleração de tirar o fôlego, de 0 a 100 km/h em apenas 3,8 segundos, com máxima de 332 km/h.

LEIA MAIS: Raro Mercedes fica mais de 50 parado. Depois, é exposto em evento nos EUA

Ainda entre os detalhes marcantes da raridade, destacam-se itens como as saídas de escape laterais, bem próximas do coletor de escape, como nos carros de corrida. E as portas abertas para cima. Mesmo como um modelo de mais de 10 anos, o carro conta com parte de fibra de carbono e hastes no volante para trocas sequenciais do câmbio, detalhes do mundo das competições de automobilismo, que sempre estarão ligadas ao lendário Stirling Moss .

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários