Acidente de moto
shutterstock
Entre janeiro e setembro registrados em São Paulo 4.152 acidentes com fuga do condutor, que resultaram em 331 vítimas fatais


Uma pesquisa realizada pelo Respeito à Vida, programa coordenado pelo Detran-SP, mostra que nos casos de acidentes de trânsito em que há a fuga do condutor — como no recente caso do atropelamento da cicilista Marina Harkot Kohler , no início desde mês, na capital paulista —, o risco de vítimas fatais aumenta em até três vezes.


A conclusão surgiu da análise das ocorrências registradas entre janeiro e setembro deste ano no sistema do Infosiga SP. No período, foram registrados no estado de São Paulo 4.152  acidentes com  fuga do condutor , que resultaram em 331 vítimas fatais. Dessas vítimas, 47% eram pedestres, seguidas por motociclistas (32%), ocupantes de automóveis (13%) e ciclistas (8%).

Ainda de acordo com o levatamento, 85% dos acidentes com abandono do local pelos condutores ocorreram em vias urbanas, que também abrigam a maior parte das fatalidades (54%). Em 64% dos casos, os acidentes foram no período noturno. Os tipos de acidente mais comuns são os atropelamentos e as colisões traseiras (26% cada).

Em vias urbanas, as estatísticas apontam que há 57,8 acidentes para cada óbito. Já nas ocorrências com fuga do condutor, a relação passa para 18,9 acidentes para cada óbito. A situação é semelhante nas rodovias. A relação passa de 12,3 para 3,6 acidentes por óbito quando há fuga do condutor, índice 3,4 vezes maior.

Como proceder

acidente
Thiago Ventura
Fugir do local do acidente é crime de trânsito e motorista pode ser preso, decide STF


Uma razão para o aumento dos óbitos nessas ocorrências é o tempo perdido entre o acidente e o acionamento dos serviços de emergência. Estudos apontam que a chance de sobrevivência da vítima cai 10% a cada hora sem socorro.

No CTB ( Código de Trânsito Brasileiro ), a fuga do local do acidente é considerada uma infração passível de multa e de até seis meses de detenção. Caso haja feridos, também pode se configurar a omissão de socorro, elevando a possibilidade de detenção para um ano.

Ao se envolver em um acidente com vítima, o correto no caso das vias públicas é ligar para o 190 (Polícia Militar), o 193 (Corpo de Bombeiros) ou o 192 (SAMU). Nos acidentes em rodovias de São Paulo, podem ser acionadas as equipes de emergência do DER (0800 055 55 10), Polícia Militar Rodoviária (11 3327-2727) e Artesp (0800 727 83 77).

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários