Lotus Final Edition:  esportivos a combustão estão começando a fazer parte de uma era que está acabando
Divulgação
Lotus Final Edition: esportivos a combustão estão começando a fazer parte de uma era que está acabando


Conhecido principalmente pelos seus modelos esportivos leves e compactos, a britânica Lotus deu mais um passo em direção ao fim dos seus tradicionais modelos Elise e Exige , produzidos respectivamente há 25 e 21 anos.


Para marcar o encerramento da produção dos dois modelos, a Lotus  mexe completamente na linha dos dois modelos. O Elise agora está disponível em duas versões limitadas de despedida (Sport 240 e Cup 250), enquanto o Exige conta com três configurações (Sport 390, Sport 420, e Cup 430), que se caracterizam pela combinação de visual exclusivo, motores mais potentes e um pacote de alívio de peso com peças em fibra de carbono.

O mais acessível dos cinco modelos é o Elise Sport 240 Final Edition , que parte de 45.500 libras no Reino Unido (cerca de R$ 335 mil). A nova versão, que substitui a Sport 220, traz um motor Toyota 1.8 16V retrabalhado para desenvolver 240 cv (23 a mais do que no antecessor) e que permite ao esportivo acelerar de 0 a 100 km/h em meros 4,5 segundos e ir a 237 km/h.

As rodas de alumínio, de 16 polegadas na dianteira e 17 na traseira, são 500g mais leves do que as usadas no Sport 220. Combinado ao pacote opcional de alívio de peso, o Sport 240 pesa 24 kg a menos (898 kg) do que o antecessor.

Você viu?


Já o mais extremo desses Lotus de despedida é o Exige Cup 430 Final Edition , que tem um preço de tabela no Reino Unido de 100.600 libras (R$ 740 mil). Equipado com um motor 3.5 V6 de 436 cv (também de fornecido pela Toyota), o esportivo vai de 0 a 100 km/h em 3,3 segundos e atinge 280 km/h. O pacote de despedida traz novas opções de cores para a carroceria e rodas, painel digital, novo volante e acabamento da cabine.

Futuro híbrido

Lotus Evija: hipercarro será produzido a conta gotas, algo que vai se tornar cada vez mais comum  daqui para frente
Divulgação
Lotus Evija: hipercarro será produzido a conta gotas, algo que vai se tornar cada vez mais comum daqui para frente


Além dos dois modelos acima, a Lotus já confirmou também que o Evora  vai deixar de se produzido em 2021, marcando assim o encerramento da produção dos carros da marca britânica movidos exclusivamente por motores a combustão.

Além do supercarro Evija , um monstro híbrido de 2.000 cv e produção limitada que começa a ser montado este ano na fábrica de Hethel (Reino Unido), a Lotus já confirmou também o desenvolvimento do carro conhecido pelo nome de projeto Type 131 , um novo modelo esportivo que deverá ser equipado com um conjunto motriz híbrido centrado em um V6 a gasolina.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários