Lupa E26 que será feito no Uruguai, país que dá incentivos para produção de modelos sustentáveis
Divulgação
Lupa E26 que será feito no Uruguai, país que dá incentivos para produção de modelos sustentáveis


A startup espanhola Lupa pretende apresentar os seus primeiros carros elétricos de produção apenas em 2023. Mas a empresa baseada em Barcelona já anunciou a construção de uma fábrica no Uruguai, de olho no mercado automotivo da América Latina e principalmente dos países do Mercosul.


A unidade industrial da Lupa , que terá capacidade para produzir 20 mil carros/ano, está prevista para começar a operar em 2024. De acordo com um comunicado divulgado pela empresa, a escolha do Uruguai para a instalação da sua base na América do Sul se dá por conta das políticas do país para a mobilidade sustentável e da base energêtica 100% concentrada em fontes renováveis, principalmente de hidrelétricas e usinas eólicas.

Você viu?

Ainda de acordo com startup, a fábrica será neutra em carbono e irá produzir inicialmente o modelo E26 , um hatch compacto pouco menor do que um Chevrolet Onix. O modelo, que teve apenas um protótipo sem mecânica revelado, deverá utilizar um motor de 117 cv e será dotado de baterias de 50 kWh para garantir uma autonomia de até 400 km (ciclo WLTP). 

Lupa E26
Divulgação
Lupa E26


Os planos da empresa incluem ainda o furgão E66 , modelo elétrico com um propulsor de 140 cv e autonomia de cerca de 350 km, e o E137, um SUV elétrico montado sobre o mesmo conjunto motriz do furgão. Ambos ainda com o visual desconhecido.

Lupa quer se diferenciar de outras fabricantes de veículos elétricos pela possibilidade de comprar os seus carros sem a bateria, permitindo que o comprador adquira um carro novo da empresa mantendo o mesmo pacote de acumuladores de energia do seu automóvel antigo.

Isso faz com que o preço do E26 , que deverá sair por cerca de 17 mil euros (cerca de R$ 112 mil) em sua configuração completa, custe 9,4 mil euros (cerca de R$ 62 mil) sem a bateria.


Como o acumulador veicular tem uma vida útil estimada em 10 anos, o plano da Lupa prevê que esse componente seja reutilizado no PowerHome, um kit de armazenamento doméstico de eletricidade que também aparece no portfólio da empresa.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários