Volkswagen T7 é a sétima geração da
Divulgação
Volkswagen T7 é a sétima geração da "Kombi", prestes a ser apresentada oficialmente na Europa

Após apresentar os primeiros teasers no começo deste ano de 2021, a  Volkswagen mostrou novas imagens da “ Nova Kombi ”, que na Alemanha recebe o nome de “T” de Type desde os primeiros modelos. No Brasil, onde o modelo também foi fabricado, foi até a segunda geração, ou seja, T2 - levando em consideração a T1 (1957-1975), T1,5 (1976-1996) e a T2 (1997-2013).

Conforme as primeiras imagens divulgadas do interior da T7 (na Alemanha ainda permanece em produção na sexta geração), na verdade um esboço, tudo indica que a sétima geração da minivan terá bancos separados, tal como na T2 que conhecemos.

Já na parte traseira, informações que andam circulando nos bastidores, relatam que o veículo terá cinco assentos individuais removíveis, e segunda fileira giratória (180º) para ficar de frente à terceira ala, um sistema que teve origem no modelo T3 .

Este interessante recurso permite, por exemplo, durante uma parada, poder verificar as crianças ou pegar algo na caixa térmica. Outra engenhoca, e que faz total sentido em um veículo familiar como esse, é a mesa multifuncional que está situada na parte de trás como se fosse um console entre os assentos.

Outra grande novidade da “Bulli” - apelido carinhoso que os europeus deram ao utilitário - é o sistema shift-by-wire que vai atuar em conjunto com a transmissão de dupla embreagem DSG de 7 marchas , com tração integral.

Esboço do interior da sétima geração da VW Kombi mostra um aspecto bastante arejado
Divulgação
Esboço do interior da sétima geração da VW Kombi mostra um aspecto bastante arejado

Também terá freio de mão eletrônico que pode ser ativado automaticamente ou com o apertar de um botão. “Tiramos a alavanca de câmbio do centro, liberando o espaço no meio, e, com isso, o motorista ou passageiro pode passar para a parte traseira, sem problemas”, disse o chefe de design de Veículos Comerciais da Volkswagen, Albert Kirzinger.

A “nova Kombi” será feita na plataforma atualizada MQB , a mesma do Golf VIII, e espera-se esta nova geração seja equipada com tração dianteira e integral e motores diesel e gasolina, podendo ter sistema híbrido-leve, visando na redução no emissões de poluentes e consumo de combustível. Outra possibilidade que anda rondando pela imprensa especializada é uma variante híbrida plug-in.

Você viu?

Seja qual for os planos e interesses de versões que a Volkswagen pretende lançar, o fato é que o modelo totalmente renovado deve estrear no mercado europeu ainda em 2021.

Kombi no Brasil

Volkswagen Kombi: no Brasil, modelo se tornou parte da história de muita gente e da paisagem do país
Divulgação
Volkswagen Kombi: no Brasil, modelo se tornou parte da história de muita gente e da paisagem do país


Um simples desenho em um guardanapo feito pelo holandês Ben Pon deu origem a um dos veículos mais queridos no mundo todo: Kombi . O nome veio do termo em alemão Kombinationsfahrzeug, ‘veículo combinado’ ou ‘veículo multiuso’.

Surgiu na Alemanha 1950 e três anos depois chegou ao Brasil em regime CKD (quando o carro é enviado desmontado), montada pelo grupo Brasmotor passando a ser fabricada no país a partir de 1957.

Desde então, ganhou diversas variações de carroceria e versões, mas sempre com o mesmo desenho e receita básica que fez dela a van mais popular. Embora robusta e confiável, a idade do projeto e o alto investimento para a instalação dos freios ABS e airbag , obrigatório para os veículos produzidos a partir de 2014, a impediram de ser fabricada no Brasil por mais tempo.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários