VW Taos 2022: maior que T-Cross e Nivus, novo modelo chega da Argentina por preços que partem de R$ 154.990
Renato Maia/iG
VW Taos 2022: maior que T-Cross e Nivus, novo modelo chega da Argentina por preços que partem de R$ 154.990

A chuva de SUVs médios que está caindo no Brasil nos últimos seis meses é sinal de novos tempos. A pandemia no país já dura mais de 15 meses, o desemprego está alto, bem como a inflação, a cotação do dólar, o clima de insegurança e o risco de faltarem cada vez mais modelos nas lojas, com fábricas trabalhando com alto índice de ociosidade, acima de 50%.

Agora, mais do que nunca, tendo em vista que as matrizes das fabricantes estão enfrentando grandes desafios na nova era da mobilidade , a palavra de ordem é eficiência para sobreviver. Some-se a isso uma mudança radical no mercado de automóveis novos no Brasil, que em 2020 teve o pior volume de vendas nos últimos 14 anos, fechando em 1.950.889 unidades.

Com a classe média afetada pela crise econômica, o ticket médio aumentou, assim como a necessidade das fabricantes de conseguirem mais lucro por unidade vendida, uma vez que o volume de vendas caiu e a margem dos compactos se tornou bem desfavorável com uma série de custos que levaram o preço de um Chevrolet Onix Joy a mais de R$ 60 mil sem nenhum opcional.

Antes líderes absolutos nas vendas, os hatches compactos representam apenas 22,3% do total em maio último, pelo dados da Fenabrave, ante nada menos que 42,1% dos SUVs. Hoje em dia, a grande maioria que antes podia comprar um carrinho simples, agora está tendo que recorrer às locadoras ou aos motoristas de aplicativos . Ou seja, trocando em miúdos, passou a se destacar uma elite que está disposta a pagar mais de R$ 150 mil em um carro para a família.

Novos paradigmas

Peugeot 3008: virá até o fim do mês com vsual renovado e uma série de novidades, com a multimídia com tela de 10 polegadas
Divulgação
Peugeot 3008: virá até o fim do mês com vsual renovado e uma série de novidades, com a multimídia com tela de 10 polegadas


Você viu?

Aí é que entram os SUVs médios . De janeiro até o final deste mês de junho já teremos ao todo seis lançamentos: VW Taos, Ford Bronco Sport, Jeep Compass, Toyota Corolla Cross,  Honda CR-V e Peugeot 3008 GT , este último com chegada às lojas agendada para a última semana. Exceto pelo Corolla Cross , os outros vêm equipados com motores turbinados, centrais multimídia com telas de alta resolução (algumas com acesso à internet) e até sistema de condução semiautônoma, depedendo da versão.

Se antes, as apostas recaíam sobre os SUVs compactos, agora, os médios chegam para atender à demanda do novo principal público alvo que compra carro novo no Brasil. Não é à toa que continarão sendo oferecidas mais novidades no segmento. Depois do novo Jeep Compass renovado, o modelo vai passar a ter uma versão híbrida, que será importada. Além disso, a marca americana vai lançar o Commander, de sete lugares, no fim do ano.

Para fazer frente a ele, a VW deverá trazer o novo Tiguan , também no segundo semestre, com capacidade de levar sete ocupantes e, provavelmente, com um pacote de equipamentos que deverá incluir sistema de frenagem de emergência, assistente de permanência em faixa e controle de cruzeiro adaptativo. Para não conflitar com o novo Taos, o novo SUV de luxo deverá ser importado com o poderoso motor 2.0 turbo de 230 cv e 35,5 kgfm de torque, com câmbio automatizado de 7 marchas.

Ao contrário do que acontece na Europa, Estados Unidos e nos pricipais países asiáticos, a maoria dos novos SUVs médios que estão chegando ao Brasil não será oferecida nas versões híbridas , que os tornam menos sedentos por combustível e mais amigos do meio ambiente. É que ainda falta muita infraestrutura para carregar as baterias dos sistemas elétricos até mesmo nas principais capitais do país, principalmente nas rodovias. "E la nave va"...

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários