Até mesmo a Fiat está sendo afetada pela falta de semicondutores, o que tem prejudicado a produção e as vendas
Divulgação
Até mesmo a Fiat está sendo afetada pela falta de semicondutores, o que tem prejudicado a produção e as vendas

A Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores) publicou o relatório referente ao mês de setembro de 2021, revelando que os licenciamentos de automóveis, comerciais leves, motocicletas e veículos pesados registraram retração de 4,43% na comparação com agosto.

O acumulado de janeiro a setembro de 2021 ainda apresenta alta de 20% sobre o mesmo período do ano anterior. Segundo a Fenabrave, apenas o segmento de motocicletas apresentou alta nos licenciamentos, enquanto os demais tiveram queda no período.

“A falta de veículos novos em função da escassez de componentes na indústria é um fenômeno global, que atinge outros países, como os Estados Unidos", explica Alarico Assumpção, presidente da Fenabrave. “Vivemos, hoje, possivelmente, o ponto mais crítico dessa crise de abastecimento de veículos. Mas acredito que nos primeiros meses de 2022 teremos uma clareza maior sobre a resolução pro problema.”

Os números de setembro fizeram a Fenabrave reavaliar suas projeções para 2021. Na análise divulgada em julho, a entidade repercutiu a expectativa de crescimento de 13,6% sobre 2020. Os dados revisados agora apontam alta de 11,1% para o setor – queda de 2,5%.

“Estamos diante de muitas incertezas e da maior crise de abastecimento de veículos já vivida nos últimos anos. Isso nos faz reduzir as expectativas de crescimento, infelizmente”, afirma Alarico Assumpção.

Com 109.077 automóveis vendidos em setembro, a categoria apresenta retração de - 8,95% sobre o mês de agosto. Na categoria dos comerciais leves, a retração foi de -14,01% no mesmo período, com 33.277 veículos vendidos. A Fenabrave também aponta que 108.848 motocicletas foram vendidas em setembro, representando alta de 5,98% sobre agosto. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários