Apesar dos 4 anos de operação no Brasil, vemos uma ascendente nas operações da Chery
Divulgação
Apesar dos 4 anos de operação no Brasil, vemos uma ascendente nas operações da Chery

Durante evento de lançamento do novo Chery Tiggo 7 Pro (13/12), a redação do iG Carros teve a oportunidade de entrevistar a equipe da CAOA Chery para descobrir mais detalhes sobre o lançamento, bem como do futuro da marca no Brasil. Notamos como o SUV que chega hoje (16) evolui em diversos quesitos em relação ao seu antecessor. Se o rumo parece promissor, quais serão os próximos passos?

Tivemos um bate papo com Henrique Sampaio (Marketing CAOA Chery) e Edinei Navarro (Engenharia CAOA Chery ) para tirarmos algumas dúvidas. A gravação da entrevista está no Spotify, mas vocês podem conferir por aqui também, a seguir, ouça.


Primeiro, procuramos saber mais sobre o que está por trás do desenvolvimento e da oferta dos carros da marca para o mercado Brasileiro, tomando como base o novo Chery Tiggo 7 Pro .

Além disso, procuramos entender quais foram as intenções da própria fabricante com a novidade, em relação ao modelo anterior. Isso, inclusive, para checarmos a compatibilidade com as impressões que tivemos durante o test drive.

Perguntamos também sobre as expectativas de vendas da novidade no mercado, diante de uma concorrência composta por lançamentos de peso, de marcas com mais tempo de operação no Brasil.

Leia Também

“Mensalmente na casa de umas 800 unidades, o que pra nós é um número bem razoável dentro do segmento, lembrando que irá competir com Jeep Compass, VW Taos e T oyota Corolla Cross . Esse número o deixaria bem forte em participação do segmento. Entretanto, esse volume seria menor do que o do próprio Tiggo 8, que vende entre 1.000 e 1.100 carros por mês”, conforme Henrique Sampaio.

Relembramos do sedã Arrizo 5e , que foi o primeiro carro 100% elétrico da marca a começar suas vendas no nosso mercado. Será que a fabricante planeja lançar outros eletrificados no Brasil? “A discussão de eletrificação é presente. Não fechamos os olhos para esse segmento, e por isso veremos mais novidades ano que vem. Só não podemos falar quais”, segundo Edinei.

Deixamos para o final a maior dúvida do mercado, que é sobre a possibilidade da Chery lançar uma picape, baseada no novo Tiggo 7 Pro , para rivalizar com Fiat Toro e a nova Ford Maverick. O segmento das picapes é praticamente um “tiro certeiro” para qualquer um capaz de oferecer preço e qualidade. E a resposta foi:

“Esse assunto não é novo, vivem perguntando isso pra nós. Acho que a marca já mostrou que em todos os seus lançamentos do Brasil , ela tem total competência pra desenvolver o carro que se propõe a vender.

O que posso falar agora é que temos tecnologia para desenvolver uma picape e temos total consciência da importância desse segmento das picapes no Brasil. Então sim, segmento de picapes interessa para a CAOA Chery para atuarmos no mercado nacional”, finaliza Henrique do Marketing.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários