Seria essa uma esperança para os brasileiros? Ou apenas uma
Divulgação
Seria essa uma esperança para os brasileiros? Ou apenas uma "trégua"?

A Ticket Log divulga um levantamento de preços para os combustíveis em janeiro. No estudo, observou-se — finalmente — que tanto a gasolina quanto o etanol chegaram a uma estabilidade, quando se compara com as médias de dezembro de 2021.

A gasolina vendida nos postos brasileiros, passou de R$ 6,89, para R$ 6,87, um recuo de 0,23%. Já o etanol, que no último mês do ano passado era comercializado a R$ 5,78, foi encontrado nas bombas a R$ 5,76, baixa de 0,36%.

“Se compararmos o valor desses combustíveis hoje com o valor de janeiro de 2021, em que as médias estavam em R$ 4,82 para a gasolina e R$ 3,78 para o etanol, tivemos um aumento de 42,7% e 52,4% respectivamente, em um ano. Desde dezembro, estamos em um momento de estabilidade nos preços, mas as médias ainda estão altas”, destaca Douglas Pina, Head de Mercado Urbano da Edenred Brasil.

“Devemos ficar atentos aos fatores que influenciam na variação de preços dos combustíveis , como o valor do barril de petróleo no mercado internacional, as variações do dólar e reflexo de eventos econômicos internos, como a discussão sobre o congelamento do ICMS”, complementa.

Na análise regional, o Sul se destacou com as maiores baixas para os dois combustíveis. A gasolina apresentou recuo de 1,99%, passando de R$ 6,72 para R$ 6,59, além de novamente fechar o mês com o menor preço médio de todo o território nacional. O etanol nos postos da Região, que em dezembro estava à média de R$ 6,19 — e foi o mais caro do Brasil — passou para R$ 6,03, baixa de 2,52%.

Mesmo mantendo estabilidade de preço em relação ao mês passado, com um aumento de 0,07%, a Região Sudeste assumiu a posição que até então era ocupada pelo Centro-Oeste e, em janeiro, comercializou a gasolina mais cara do País, vendida a R$ 6,95.

Leia Também

Leia Também

Em dezembro, o etanol na Região Norte já era o segundo mais caro entre os postos brasileiros. Apesar de estável, neste mês, a região mudou sua posição no ranking e figurou com o etanol mais caro do País, passando de R$ 6,09 para R$ 6,08.

Tendência de alta dos preços se intensificou a partir de 2020. Resta saber como vão se comportar em 2022
FreePik
Tendência de alta dos preços se intensificou a partir de 2020. Resta saber como vão se comportar em 2022

Já as bombas do Centro-Oeste comercializaram o etanol pelo menor preço médio entre todas as Regiões, mesmo com alta de 2,39% no preço do combustível e valor médio de R$ 5,35 passando para R$ 5,47 em janeiro.

A redução na alíquota do ICMS, divulgada pelo governo e implementada no Rio Grande do Sul no primeiro dia do ano, continuou refletindo no preço dos combustíveis do Estado no final do mês. Com redução de 5,55%, a gasolina gaúcha passou de R$ 7,03 para R$ 6,64; e o etanol de R$ 6,98 para R$ 6,59, baixa de 5,57%.

A gasolina que apresentou o maior aumento (1,65%) foi a do Rio Grande do Norte, que passou de R$ 6,9 para R$ 7,01. Porém, o maior preço médio para o combustível foi novamente encontrado no Rio de Janeiro, a R$ 7,27. Já a menor média para esse combustível foi registrada no Amapá (R$ 6,39).

O etanol com o maior aumento entre todos os Estados (2,01%) foi o de Rondônia, que passou de R$ 6,17 para R$ 6,29. O maior preço médio foi encontrado no Pará, a R$ 6,51 e o menor em São Paulo, por R$ 4,94.

Ainda segundo Douglas, na relação 70/30, a gasolina é considerada a opção mais vantajosa para os motoristas abastecerem em todo o território nacional, exceto para o Estado de Goiás, que teve o etanol como o mais favorável e para o Amapá onde não foi possível analisar.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários