Além do valor do veículo, fatores como o perfil do segurado são levados em conta no preço do seguro
Divulgação
Além do valor do veículo, fatores como o perfil do segurado são levados em conta no preço do seguro

O ritmo de crescimento dos carros elétricos no Brasil segue acelerado e as projeções da Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores) confirmam isso.

De acordo com a entidade, os veículos leves eletrificados podem responder por algo entre 12% e 22% do mix de vendas em 2030 no país e de 32% a 62% em 2035. Nesse momento, os modelos eletrificados respondem só por 3% do mix de vendas de veículos leves, ou 2.860 emplacamentos.

Segundo o diretor comercial da Ituran , Roberto Posternak, "as sucessivas altas dos combustíveis aumentou a atenção por carro elétrico e, a tendência, é que o segmento cresça exponencialmente nos próximos anos", comentou o executivo.

Ainda segundo Posternak, "com aumento de demanda e conhecimento de mercado, a tendência é de que as empresas seguradoras reduzam os preços das apólices dos eletrificados — e essa demanda pela busca do produto — vai expandir nos próximos anos".

Entrevistamos as seguradoras Suhai e Youse , bem como a corretora Minuto Seguros , que pertence à  Creditas , para descobrir mais detalhes envolvidos na contratação de seguros para veículos elétricos. Ouça o podcast.


Conforme os carros elétricos vão se tornando mais comuns, os preços dos seguros tendem a cair
Divulgação
Conforme os carros elétricos vão se tornando mais comuns, os preços dos seguros tendem a cair

Separamos as dúvidas em perguntas, e três representantes (um de cada empresa) responderam para nós do iG Carros . Representando a Suhai, temos Jorge Martinez (Diretor de Produto). Enquanto isso, o Nícolas Ferrara (Gerente de Produto) nos ajudou em nome da Youse. Além deles, contamos com a participação de Manes Erlichman, Diretor de Seguros da Creditas.

Os especialistas concordam com o fato de que as tecnologias EVs são o caminho para a reestruturação da matriz energética , quer por consciência ecológica ou pela futura redução de disponibilidade de combustíveis fósseis. E vemos, cada vez mais, os fabricantes traçarem metas para atender a crescente demanda pelos veículos elétricos .

Na Youse, por sua vez, a migração da mobilidade é vista como uma oportunidade. Diante disso, acredita na possibilidade da criação de produtos mais inovadores no mercado de seguros, que será concretizado, principalmente, quando ocorrer a popularização dos elétricos .

A Creditas destaca que, hoje, o mercado dos elétricos está muito atrelado aos clientes de maior poder aquisitivo, cujo histórico de sinistralidade é menos recorrente do que em outros mercados mais acessíveis.

Além do mais, algo que as três disseram que as  seguradoras ainda possuem poucos dados devido à pequena comercialização desses veículos no mercado nacional.

Quem contrata um seguro para carro elétrico tem as mesmas vantagens dos modelos apenas a combustão
Divulgação
Quem contrata um seguro para carro elétrico tem as mesmas vantagens dos modelos apenas a combustão

A Youse oferece apenas o seguro para carros elétricos . O grande diferencial para a empresa é que, o cliente proprietário de um veículo elétrico, possui as mesmas condições, coberturas e serviços de um cliente que contrata um seguro para um veículo convencional, algo que ocorre também com a Creditas.

Leia Também

Leia Também

Leia Também

Já a Suhai oferece as mesmas coberturas disponíveis para os veículos que se utilizam de outros combustíveis, tanto para motos como para carros. São coberturas para Roubo/Furto do veículo com Assistência 24h, podendo ser incluídas as coberturas para Perda Total por Colisão/Danos e para Colisões em veículos/bens de Terceiros ( RCF-V). 

Ainda falando da Suhai, ela diz que se destaca mais no mercado de seguros para motos elétricas do que para carros elétricos , até o momento. Apesar disso, contam com boa quantidade de híbridos no portfólio. Eles planejam prever os eventos de sinistros com este tipo de veículo para identificar estatisticamente a correta precificação e as necessidades das coberturas.

Perguntamos para os especialistas sobre a questão da diferença de cotação entre um carro a combustão, comparado com um totalmente elétrico.

Na Youse, afirmam que não aplicam nenhum fator de preço associado ao fato de o veículo ser elétrico, nem para mais, nem para menos. Lembram também que as versões elétricas destes carros são mais caras e o valor do bem pode interferir na mensalidade do seguro, com possibilidade também de variações de cotação conforme o perfil do cliente.

Na maioria das vezes, o risco de roubo de um carro elétrico é menor que de um modelo a combustão
Divulgação
Na maioria das vezes, o risco de roubo de um carro elétrico é menor que de um modelo a combustão

A Creditas destaca que o seu cliente de veículo elétrico também não verá essa diferença atrelada aos carros elétricos. Apesar disso, observam que o risco atrelado ao perfil majoritário do condutor de carro elétrico é mais baixo. Logo, a cotação pode ter redução de preço.

A Suhai, por sua vez, diz que também estão mantendo a mesma precificação em função do valor do veículo. Deram o exemplo do Volvo XC40 Recharge (100% elétrico) ante o XC40 Inscription (totalmente a combustão), com o primeiro custando R$ 408 mil e o segundo que sai por R$ 266 mil nas concessionárias. Nesse caso, os valores contemplam o valor venal de cada um dos veículos, como de costume.

Entretanto, um detalhe interessante é que a Suhai comenta que, quando falamos do elétrico, casos de roubo/furto podem ajudar a reduzir os riscos, já que, em geral, os elétricos ainda são menos roubados . Apesar disso, caso o prejuízo causado por um eventual acidente comprometa mais de 75% do valor do carro elétrico seja maior no elétrico, isso pode significar a necessidade de alteração da precificação na hora da contratação.

A Youse destaca que, na hora de fazer a cotação, é preciso levar em conta as peculiaridades do veículo e também a forma como ele será utilizado. Por serem elétricos, eles possuem um valor maior que os carros convencionais e menos mão-de-obra especializada.

As baterias dos carros elétricos não estão incluídas na lista de itens que geralmente são cobertos pelos seguros
Reprodução
As baterias dos carros elétricos não estão incluídas na lista de itens que geralmente são cobertos pelos seguros

Para a Creditas, ao mesmo tempo que esses fatores também sejam levados em conta, o perfil médio do condutor de carro elétrico tende a diminuir o custo relativo do seguro , ainda que os carros elétricos tenham valores venais maiores.

A Suhai e a Creditas também levam em consideração a expectativa de grau de dano nos acidentes, na hora da precificação. A empresa ressalta que, por terem menos peças móveis, pode acarretar um custo médio maior nos reparos parciais ou acarretar uma maior incidência de danos que conduzam à Perda Total.

Após o período de contratações e obtenção de massa estatística suficiente, esses eventos são mensurados e os ajustes na precificação são efetuados. Algo que não há é a cobertura de seguro para troca de baterias em função da descarga/fim da vida útil da peça.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários