Mesmo com a falta de componentes da indústria, Fenabrave prevê que setor tende a se estabilizar
Divulgação
Mesmo com a falta de componentes da indústria, Fenabrave prevê que setor tende a se estabilizar

Com três dias úteis a mais do que em abril e com a melhora da entrega de veículos, com espera de peças, o resultado de maio surpreendeu. Foram 338.440 licenciamentos, uma alta de 25,09% na comparação com abril, e 6,03% a mais em maio de 2021, segundo a Fenabrave.


Com o resultado, a retração no acumulado dos cinco primeiros meses do ano caiu para 4,16%, ante uma queda de 7,18% registrada no 1º quadrimestre. Para Andreta Jr, presidente da entidade, o grande salto frente a abril impulsionou os números gerais do setor, mas ainda podem enfrentar volatilidade ao longo do ano.

“Em maio, oferta e demanda começaram a se estabilizar. Não há um movimento forte de retomada , nem de oferta e nem de demanda, mas acredito que estamos chegando à certa estabilidade, considerando um ano bastante incerto como o que estamos vivendo”, analisa o executivo.

Tabela de maio 2022 - Fenabrave
Divulgação
Tabela de maio 2022 - Fenabrave


No caso de automóveis e comerciais leves, Andreta explica que a demanda tem sido atendida, mas com a crise de abastecimento global , é possível que haja espera, a depender do modelo. Além disso, há o próprio cenário econômico brasileiro que, por conta das eleições presidenciais, pode ter um ambiente mais volátil no segundo semestre.

Sobre veículos híbridos e elétricos , o resultado vem se consolidando numa curva evolutiva, registrada nos últimos meses. No acumulado dos cinco primeiros meses de 2022, foram comercializados 16.393 autos e leves eletrificados.

Esses números apontam aumento de 57,7% no volume, ou seja, 10.393 em igual período de 2021. Em termos de participação de mercado , eles representam 2,4% do total comercializado, um percentual ainda baixo, mas que já demonstra uma tendência de consumo.

Já no de motocicletas, há uma constante alta, em razão do aumento do serviço de entregas de mercadorias (delivery) e pela troca do automóvel pela motocicleta , em função dos custos dos combustíveis. Por essas razões, ainda há registro de espera para entrega de alguns modelos.

“É, de longe, o segmento que aponta o melhor resultado até maio, e tem tudo para ter um excelente ano de 2022, apesar da restrição de crédito , que ainda está se mantendo em 30% de aprovação dos cadastros para financiamentos”, diz Andreta Jr.

Na subdivisão, vem as motos eletrificadas que em função do aumento dos preços dos combustíveis, elas têm crescido sua participação no mercado, nos últimos meses. Nos primeiros cinco meses de 2022 foram emplacadas 3.062 motos eletrificadas no Brasil.

Isso representa um crescimento superior a 878% sobre o mesmo período de 2021 , incluindo aí os triciclos e scooteres . Mesmo com esse aumento, a participação dessas motos ainda é pequena no Brasil, representando cerca de 0,59% do total de motos emplacadas no país.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários