Chevrolet Montana passa pela fase final de ajustes para estrear no Brasil no início do ano que vem
Divulgação
Chevrolet Montana passa pela fase final de ajustes para estrear no Brasil no início do ano que vem

A nova Montana está em fase final de desenvolvimento e será o próximo integrante da nova família de veículos globais da Chevrolet, já composta pelas atuais gerações de Onix, Onix Plus e Tracker.

Uma das promessas da Chevrolet Montana que promete sacudir a concorrência está no melhor aproveitamento de espaço interno do segmento, graças ao uso de materiais mais leves para a carroceria dispensam a necessidade de um motor grande, permitindo aumentar a área destinada à cabine sem abrir mão de um amplo volume para carga.

“Ao mesmo tempo que o cliente deseja uma picape mais espaçosa, ele se preocupa também com as dimensões do veículo, principalmente pelo tamanho das vagas de estacionamento disponíveis em grandes centros urbanos”, explica Marianni Sanchez, gerente de pesquisa avançada de mercado na GM América do Sul.

Outra novidade da futura picape da Chevrolet é o sistema de conectividade, que será capaz de receber atualizações remotas de software inerentes à arquitetura eletrônica da picape e de aplicativos nativos à central multimídia.

Com produção em São Caetano do Sul (SP), a futura picape da Chevrolet chega em 2023 e disputará mercado com Renault Duster Oroch e Fiat Toro; e na motorização, espera-se que seja utilizado o 1.2 turbo do Tracker, com câmbio automático de 6 marchas, mais apropriado devido ao porte do veículo.

Pode ser que o motor 1.2 do Tracker receba novos ajustes na picape, mas no SUV possui a configuração de três cilindros, com turbocompressor e intercooler, e injeção indireta de combustível. São 132 cv na gasolina e 133 cv no etanol, ambos a 5.500 rpm, enquanto o torque é de 19,4/21,4 kgfm a 2.000 rpm, nessa mesma ordem.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários