Tamanho do texto

VW Santana e Ford Escort fizeram história no mercado brasileiro e continuam sendo vendidos na China. Confira outros exemplos

Com um design atraente, o Escort é o carro-líder da marca Ford na China. Por aqui, é um dos carros fora de linha
Divulgação
Com um design atraente, o Escort é o carro-líder da marca Ford na China. Por aqui, é um dos carros fora de linha

O mercado chinês de automóveis tem números inacreditáveis: são cerca de 29 milhões de veículos vendidos em um ano. A frota é tão grande que surgem até iniciativas para tentar controlar o crescimento e diminuir a poluição. Em Pequim, por exemplo, os interessados num carro precisam participar de um sorteio de placas. Só os sortudos podem ir atrás de um novo automóvel. Entre eles, há carros fora de linha no Brasil.

LEIA MAIS: Carros compactos renascem em novas gerações

Este também é um mercado que tem grande concorrência e dois sucessos de vendas são carros fora de linha conhecidos dos brasileiros: o Volkswagen Santana e o Ford Escort. Quem têm mais de 50 anos de idade certamente lembram bem desses modelos no Brasil.

Atualmente na China, o Santana fechou 2017 na 12ª colocação, enquanto o Escort ficou 14ª posição. Somadas as vendas dos dois ultrapassam os 572 mil veículos. Esse número representa mais de 50% do total de veículos comercializados por aqui no primeiro semestre do ano.

É interessante notar ainda que no mercado chinês, onde a VW lidera com folga, há vários modelos que os brasileiros conhecem bem, como o Tiguan, o Jetta, o Passat, o Golf, o Polo, o Toyota Corolla, o Honda Civic, o CR-V, o Accord, o Nissan Sentra (chamado lá de Sylphy) e o Hyundai Tucson. A Ford tem ainda o Focus, mas numa modesta posição.

LEIA MAIS: Rota 2030 vai impulsionar vendas de carros

Voltando ao Santana e ao Escort, não pense que estes modelos são parecidos com seus irmão brasileiros do passado. O Escort foi relançado na China como um sedã em 2014 . O modelo atual incorpora elementos inspirados na novíssima quarta geração do Focus lançado na Europa e sem previsão para o Brasil.

Um dos carros fora de linha no Brasil, o Santana nunca saiu do mercado chinês, onde é sempre atualizado
Divulgação
Um dos carros fora de linha no Brasil, o Santana nunca saiu do mercado chinês, onde é sempre atualizado

O Escort chinês traz um motor 1.5 Ti-VCT a gasolina e uma grande preocupação com segurança (classificado como 5 estrelas nos testes de colisão). No seu visual, destacam-se a iluminação de LED na dianteira e traseira. Internamente, esbanja conforto com bancos de ajustes elétricos e memória, sistema de entretenimento com tela de 8 polegadas, câmera de ré entre outros atributos.

O Santana é o carro-símbolo da Volkswagen na China. Por lá, ele tem uma longa tradição. Chegou em 1983, na mesma época que era vendido aqui. Passou por diversas atualizações, a mais recente no ano passado. É um modelo que fez história nas ruas da China na mesma proporção que o Gol no Brasil. Teve diversas versões e nunca saiu de linha.

Carros fora de linha: história de mitos

Ayrton Senna mostrava que era um usuário do Escort na ruas de São Paulo. O modelo é um dos carros fora de linha
Divulgação
Ayrton Senna mostrava que era um usuário do Escort na ruas de São Paulo. O modelo é um dos carros fora de linha

Sempre que posso, tenho mencionado nos meus artigos a oportunidade que tive de participar nos lançamentos da Ford e VW. No caso, também vi de perto a chegada do Escort e do Santana nas décadas de 1980 e 1990.

Destaco o Escort como um mito na indústria automobilística do Brasil. Chegou ao Brasil em 1983 como o carro mundial da Ford e até ganhou uma capa da revista semanal Veja, na época um publicação com mais de um milhão de exemplares por edição.

Em seguida, a Ford lançou o esportivo XR3 e convidou o piloto Ayrton Senna, também um mito, para ser mais que um garoto propaganda do Escort, mas um usuário do carro no Brasil. O Escort XR-3 também teve uma versão conversível, até hoje muito disputada por colecionadores.

LEIA MAIS: Salão de Detroit busca se reinventar

O Escort deixou de ser vendido em 1999 e foi substituído pelo Focus, classificado como o novo carro global da Ford. Curioso, é que na China, anos mais tarde, a estratégia foi diferente. O Escort foi lançado e vem superando o Focus naquele país.

A previsão é que as vendas de carro na China continuem a subir este ano mesmo num nível um pouco mais lento basicamente em virtude do aumento de impostos para os carros leves de 7,5% para 10% e algumas restrições de vendas na cidade de Pequim.

Por aqui, o Escort dificilmente seria relançado. Continuará entre os carros fora de linha . Mas o sucesso lá fora dá uma esperança. Não é saudosismo, mas arrisco dizer que o modelo se surgisse no Brasil teria um impacto muito positivo para a Ford. Estratégias de marketing, incluindo, a herança do nome e as boas lembranças do passado não iriam faltar.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.