Tamanho do texto

Se a Honda XL 250R dos anos 80 é tão desejada, o que dizer da precursora dos anos 70?

XL arrow-options
Gabriel Marazzi
A Honda XL 250 Motorsport 1974 tem visual atemporal, bastante ousado para sua época

As primeiras motocicletas utilizadas para o fora de estrada no fim dos anos 60 não passavam de adaptações de modelos street, com suspensões reforçadas e alongadas e, às vezes, com pneus mais adequados para a terra. Era o caso das versões Scrambler das Honda CB 450 e CB 350, que ostentavam um par de escapamentos altos em apenas um lado da motocicleta. Mas aí veio a Honda XL 250 Motorsport , uma das primeiras motocicletas a serem desenvolvida visando uso misto, para o asfalto e para a terra.

LEIA MAIS: Ariel Red Hunter 1952, a caçadora vermelha

Foi quando as motos de uso misto começaram a ganhar a preferência dos motociclistas e os fabricantes perceberam que esse tipo de motocicleta se prestava muito bem para todos os tipos de uso, principalmente o urbano. E começaram a produzir modelos de uso misto mais refinados, a exemplo das séries XL da Honda e DT da Yamaha.

XL arrow-options
Gabriel Marazzi
Partida a pedal, freio a tambor e quase nenhuma modernidade

No Brasil a situação não era diferente e, assim, em 1973, a Honda passou a importar a XL 250 Motorsport, que deu início à saga XL. Este primeiro modelo era equipado com motor OHC de quatro válvulas de 20 cv, câmbio de cinco marchas e suspensão traseira convencional, com dois amortecedores.

LEIA MAIS: A boa e velha Lambretta

Honda XL arrow-options
Gabriel Marazzi
O escapamento preto saindo pela lateral esquerda era a sua marca registrada

A Honda XL 250 Motorsport, com seu motor de quatro tempos, tinha a forte concorrência da Yamaha DT 250 e seu nervoso motor dois tempos, na época mais adequado para a pilotagem no off road. Considerada de uso mais “delicado”, a XL então ficando mais conhecida por suas incursões urbanas. Isso explica o fato de encontrarmos XL Motorsport em melhores estados de conservação do que as DT, antes que começasse a febre das restaurações.

Honda XL arrow-options
Gabriel Marazzi
Os instrumentos típicos dos anos 70: simples e eternamente belos

LEIA MAIS: Trocando marchas com a mão na Indian Chief 1948

A versão nacional dessa motocicleta, a Honda XL 250R, chegou quase uma década depois, em 1982, e conquistou o motociclista brasileiro de uma forma ainda mais forte, uma vez que, com as importações proibidas, praticamente não havia concorrência nesse segmento. De aparência só um pouco mais moderna que a Motosrport, a XL 250R ostentava a tão endeusada suspensão traseira monoamortecida, mas, nos dias de hoje, a pioneira dos anos 70 se mantém como a clássica mais interessante e rara.